Social Icons

sábado, 28 de janeiro de 2017

Pop Javali - Live In Amsterdam (Live) (2016)

Banda: Pop Javali
Álbum: Live In Amsterdam (Live)
Ano: 2016
Gênero: Hard 'n' Heavy
Origem: Americana, São Paulo - Brasil
Membros: Marcelo Frizzo (vocal e baixo), Jaéder Menossi (guitarra) e Loks Rasmunssen (bateria).

Imagine se aquela banda que você formou com seus amigos há muito tempo atrás tivesse continuado. Imagine a formação estável, a camaradagem e o comprometimento sempre pulsantes, com muitos shows, mesmo que locais em sua maioria, e muitas histórias para contar. Imagine que insano permanecerem juntos por 20 anos e só depois de todo esse tempo todo lançarem o primeiro álbum de estúdio! Pense mais além: que depois do segundo disco, você e seus amigos seriam recompensados com uma turnê pela Europa para divulgar o trabalho!

Pois é. Essa é a ponta do iceberg da longa história do Pop Javali, banda de um genérico Hard Rock oriunda de Americana (SP) e em atividade desde 1992. O ótimo debut "No Reason To Be Lonely" foi lançado apenas em 2011, mas recompensas maiores passaram a ser recebidas somente após o amadurecido disco subsequente, que foi produzido pelos irmãos Andria e Ivan Busic (Dr. Sin) e foi lançado em 2014 sob o título "The Game of Fate".

O fruto mais marcante do trabalho foi levar o trio Marcelo Frizzo (vocal e baixo), Jaéder Menossi (guitarra) e Loks Rasmunssen (bateria) para fora do Brasil pela primeira vez em outubro de 2015, em uma bem-sucedida e marcante excursão para a realização de nove shows, passando por Inglaterra, Alemanha, Suíça, Itália e Holanda. Entre os 'achievements' dentro desses próprios 'achievements', estão o show no Cart & Horses, em Londres (lá mesmo, onde o Iron Maiden fez seu primeiro show, em 1976), e o show no belo The Waterhole, famosa casa/bar de shows de Rock em Amsterdã (Holanda). Essa apresentação foi captada e lançada, em setembro de 2016, em forma de disco, resultando no primeiro trabalho ao vivo do Pop Javali: o sugestivo "Live In Amsterdam", tema dessa publicação.

Claro, não foram todas as canções tocadas que fizeram parte do set do disco. Apenas oito foram selecionadas (intro inclusa), todas originalmente lançadas em "The Game of Fate", totalizando 31 minutos de uma ótima apresentação ao vivo. Como se trata de uma casa de shows fechada, a acústica funciona diferente, por isso dá pra sentir aquele "confinamento" do som (reforçado pela produção e captação, que poderiam ser melhores), algo diferente do que costuma acontecer em muitos shows open air. Mesmo com esse leve entrave, a experiência de ouvi-los é muito boa.

Mesmo ao vivo, o som não ficou mais pesado do que o é originalmente em estúdio, até pelo fato da banda contar com apenas uma guitarra. Por falar mesmo nela, a performance de Jaéder é excelente, mas aquela segunda guitarra faz falta, especialmente nos momentos dos solos, que são matadores mas poderiam ser potencializados por bases distorcidas. Mas... é pedir demais. É um trio. Por outro lado, isso os torna autênticos.

Interessante mesmo é que essa autenticidade ao vivo demonstra o quão sincero é o som dos paulistas. Não tem falsidades, milagres de estúdio, nada disso. O que é ouvido no disco de estúdio é ouvido também ao vivo, inclusive na timbragem alta do característico vocal de Marcelo Frizzo, que muito lembra, aos meus ouvidos, os de Phil Collins (Genesis). Sua performance é excelente, e ainda mais agressiva, em determinados momentos - especialmente da metade em diante. Faz questão de aplicar alguns drives no vocal, elevar um pouco mais o tom, provavelmente pela felicidade do momento e pela excelente recepção do público presente, algo que pode ser claramente percebido com os aplausos ao fim de cada canção.

Se a banda fez uma boa apresentação, isso é graças ao conjunto em si. Logo, apesar de não haver grandes desafios na bateria, Loks Rasmunssen também deve ser parabenizado pelo sólido trabalho no instrumento.

A bem da verdade: o Pop Javali não é espetacular. Porém, é bem gostosa de ouvir, porque parece profunda, introspectiva. Para quem gosta de um Hard Rock mais 'soft', 'easy', com contornos menos delineados e mais genéricos, vale dar uma chance aos power trio, que claramente recebe influências do Dr. Sin.

|    Official Website    |    Facebook Page    |    Twitter    |
|    YouTube Channel    |    Soundcloud    |

SHOWS & IMPRENSA:
E-mail: eliton@somdodarma.com.br
popjavali@gmail.com
williamdeoliveira@wwaegroup.com

Assessoria de Imprensa: Som do Darma
E-mail: contato@somdodarma.com.br

01 - Intro
02 - Road To Nowhere
03 - Free Men
04 - Lie To Me
05 - A Friend That I've Lost
06 - Wrath of The Soul
07 - Time Allowed
08 - I Wanna Choose

2 comentários:

  1. Esta página es una mierda enorme. No van la mayoría de los links, no hay casi bandas del buen power americano,y hay mariconadas numetaleras a saco, además de la peste de Nirvana y otros grupos de grunge. Y el autor se las dará de metalero encima.

    ResponderExcluir