Social Icons

domingo, 6 de novembro de 2016

Intense Desire To Kill - Discografia Comentada

Belo Horizonte e região metropolitana têm o ótimo costume de serem grandes celeiros para o Metal brasileiro, especialmente nas vertentes mais pesadas. Essa realidade, que nunca mudou, está em constante efervescência - assim como diversas outras localidades do Brasil -, e o Intense Desire To Kill é mais uma banda a surgir em um cenário regional privilegiado.

Sendo uma das responsáveis por agitar a localidade no que diz respeito ao Metal extremo, a banda surgiu por volta do início de 2015 na cidade de Santa Luzia, região metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais, com o ideal de executar um Death Metal assassino e sujo. Apesar das fotos até o momento apresentarem apenas três membros, trata-se, na verdade de um quarteto: André Luiz (vocal), Roger Lúcio (guitarra), Warley Alves (baixo) e Wesley Adrian (bateria), todos remanescentes da banda Mortifer Rage (exceto Roger), um dos conhecidos nomes do Brutal Death Metal local.

Com poucos meses de trabalho, a banda já tinha algumas composições prontas, faltando apenas entrar em estúdio para gravá-las. Passaram então o restante do ano de 2015 no Roffer Studio, em Belo Horizonte, registrando suas composições e sempre anunciando o status do processo em que se encontravam através da página oficial no Facebook. À altura de abril de 2016, o primeiro trabalho dos mineiros foi enfim lançado, de forma independente: o EP-demo de sete faixas "Next Victim... Just A Matter of Minutes...".

O registro compreende 22 minutos de uma musicalidade fechada e insana. A qualidade de produção é bem aceitável para o estilo, realizada de uma forma que deixa o som bastante sujo e pesado. O ITDK é considerado uma banda de Death Metal, mas a musicalidade, na prática, está alguns palmos mais abaixo, provavelmente devido ao fato de quase todos os membros serem ou terem sido integrantes do Mortifer Rage. O que se ouve é um Death Metal esmagador e obscuro, sim, mas com grande proximidade do Brutal Death Metal. Essa proximidade é melhor sentida no vocal de André Luiz, assentado em um cavernoso gutural fechado que também lança mão de outras técnicas, como o pig squeal, algo presente na faixa "Blessed Man Who Lives Without Religion", por exemplo.

Pouco tempo de duração não impede a banda de satisfazer os ouvidos e ainda ceder espaço a participações especiais; é o que acontece em "Disturbed By Fear", "Blessed Man Who Lives Without Religion" e "Macabre Murderer" - as duas primeiras contam com a participação de Djavan Fernandez (Mata Borrão) nos vocais e, a terceira, com Ricardo Vasconcelos (Coffinfeeder) na mesma função.

O instinto assassino e sangrento da musicalidade do conjunto é bem retratado na capa assinada por Marlon Darkness, que representa em tons escuros a silhueta de um assassino nas ruas indo encontrar sua próxima vítima, enquanto rostos de vítimas anteriores em desespero tomam forma na neblina.
A primeira tentativa do Intense Desire To Kill é boa. Provavelmente, algo ainda mais violento será entregue em um eventual primeiro álbum completo.

|    Facebook    |    YouTube    |
|    Bandcamp    |    Soundcloud    |

SHOWS & IMPRENSA:
E-mail: intensedesiretokill@gmail.com
Telefone: (31) 985076273


 Next Victim... Just A Matter of Minutes (EP) (2016)

01 - Intro
02 - Next Victim... Just A Matter of Minutes...
03 - False Personality
04 - Blessed Man Who Lives Without Religion
05 - Disturbed By Fear
06 - Signs of Hatred
07 - Macabre Murderers

Ouvir (Bandcamp)
Ouvir (Soudcloud)

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Somberland - Discografia Comentada

Tem bandas que não precisam de muito pra fazer boas músicas. No caso dos catarinenses do Somberland, três elementos humanos são suficientes para sintetizar um Black Metal excelente e destacável. Se o elevado número de bandas do estilo espalhadas pelo mundo faz do Black Metal uma vertente rígida, onde o ouvinte já sabe premeditadamente mais ou menos o que esperar, então esse trio sulista vem para tornar as coisas um pouco mais interessantes, sem desgarrar do estilo.

Composto por E. Nargaroth (vocal e baixo), Orland (guitarra) e Wag (bateria), o Somberland foi fundado em Criciúma, no estado de Santa Catarina, e está em atividade desde 2015, sendo, portanto, ainda bastante jovem. Focado desde o princípio em executar Black Metal, o conjunto já sabia o que fazer e rapidamente, no início de 2016, lançou seu primeiro registro: o EP-demo "Dark Silence of Death".

O título quer dizer "silêncio negro da morte", mas a sonoridade vai na direção inversa, evidentemente - é o esmagador e violento som negro da morte. O Black Metal executado pelos catarinenses nesse trabalho é um pouquinho mais aberto e criativo, situando-se mais próximo daquele executado pelos suecos e finlandeses, distanciando-se da famosa vertente norueguesa. Os riffs são bem desenvoltos e carregados, ganhando peso com a boa produção. A bateria é seca, estando dentro do esperado do estilo, mantendo ritmos tradicionais de acordo com a passagem, mas também variando para os indispensáveis blast beats. O vocal de E. Nargaroth é um gutural rasgado, mas não tanto quanto o das bandas norueguesas. Sua técnica, sendo um pouco mais fechada - ainda assim, rasgada - é mais um fator que aproxima o clima geral da musicalidade àquele de bandas suecas.

São apenas três faixas, mas suficientes para provocar impressão positiva. Não são homogêneas, retilíneas e porradarias invariáveis, sem fim, como muitas vezes se espera do estilo. Elas têm balanço, tem harmonia, têm preocupação em serem atrativas sem perderem agressividade. Provas disso são as inserções de passagens mais calmas, levadas à base de contrabaixo e guitarra clean, maximizando o clima sombrio que as canções têm. Além de variações rítmicas dentro das próprias músicas, elas em si se portam de maneiras distintas também: "Forever Dark Wood" e "Into The Front" são mais violentas, enquanto "Fallen Angel", embora seja a de maior duração, tem um andamento mais cadenciado e soturno.

"Dark Silence of Death" dota de incontestável qualidade. Três excelentes e convincentes faixas brasileiras de Black Metal.

Outro detalhe interessante em relação ao Somberland é a não-utilização de corpse paint pelos integrantes. Ao invés disso, o trio se banha em sangue, ganhando uma aparência mais guerreira e sanguinária.

Aparentemente, o conjunto lançará seu primeiro álbum de estúdio em breve. A foto de perfil no Facebook foi recentemente atualizada e leva a inscrição "Voluntas Hominis", possivelmente o título do futuro debut. Tendo "Dark Silence of Death" em mente e a excelência praticada nele, pode-se esperar coisas boas sobre esse primeiro trabalho.

|    Facebook    |    YouTube    |    Soundcloud    |

SHOW & IMPRENSA:
E-mail: somberland@hotmail.com


 Dark Silence of Death (EP) (2016)

01 - Forever Dark Wood
02 - Fallen Angel

Ouvir (Soundcloud)