Social Icons

quinta-feira, 10 de março de 2016

Lançamentos fevereiro 2016

Fevereiro de 2016 se mostrou um mês rico em lançamentos interessantes, mantendo o pique já iniciado em janeiro. Tendo passado o mês mais curto do ano, é hora de fazer - com algum atraso, é verdade - o balanceamento mensal dos principais lançamentos do período.

Lembrando sempre que a exibição é por ordem de lançamento, não de relevância, e as datas se referem aos dias oficiais de lançamento, não aos dias de vazamento, havendo vista que é frequente e natural que os discos vazem na internet com antecedência. Sintam-se à vontade para informar sobre discos que possivelmente foram esquecidos!

01/02 - Megadriver - Gaming Hell

Após um 2015 sem novidades, os paulistanos do Megadriver voltaram com tudo em 2016 e já lançaram dois álbuns, ambos no mesmo mês, e o primeiro é "Gaming Hell". A banda já é referência no Brasil no que diz respeito à remodelagem de trilhas sonoras de jogos eletrônicos para versões Heavy Metal. Esse disco traz 17 faixas que somam 56 minutos de pura "nerdice" metálica que conta com versões de temas de jogos como Assassin's Creed, Donkey Kong Country, Starcraft II, GTA Vice City, entre outros.

02/02 - Lagerstein - All For Rum & Rum For All

O navio pirata voador dos australianos do Lagerstein almejou os céus novamente nesse mês de fevereiro apresentando o novo álbum "All For Rum & Rum For All". Esse, que é o segundo trabalho de estúdio, marca a presença de novos marujos na tripulação: o tecladista Jacob, The Fiercest Pirate In All Caribbean e o vocalista e novo capitão Captain Gregaaarrr, que substitui o antigo capitão Definition of A Viking. O novo disco mantém a veia divertida do conjunto, com muito Folk Metal, sons de acordeão e diálogos piratas nos intervalos das canções. Ao contrário do primeiro disco, "Drink 'Til We Die", de 2012, que tem uma postura mais aberta, esse aqui tem uma atmosfera mais pesada e fechada, um tanto mais densa. Captain Gregaarrr não é tão versátil quanto Definition of A Viking, mas o resultado final manteve a consistência da banda.

02/02 - Terra Prima - Second

Se no álbum de estreia "And Life Begins", de 2010, os pernambucanos do Terra Prima não tinham exatamente uma identidade desenvolvida e deixavam as influências exercidas pelo Angra se manifestarem um pouquinho demais, o mesmo não pode ser dito sobre "Second", cujo próprio nome sugere que é o segundo álbum de estúdio. Agora a banda tem sua própria cara, sem que isso signifique trair o que mais a inspira, que é a cultura brasileira. Com arranjos secos, progressivos e bem desenvoltos, o conjunto alia Metal bem estruturado com os batuques e todo o gingado que caracteriza nossa cultura. De quebra, os recifenses ainda oferecem a participação do vocalista italiano Fabio Lione (Angra, Rhapsody of Fire, Vision Divine) na faixa "Coming Home" como cartão postal para esse excelente disco.

05/02 - Fleshgod Apocalypse - King

"King" é apenas o quarto álbum do formoso Fleshgod Apocalypse, mas faz parecer que a banda tem mais estrada. Com a costumeira maturidade traduzida em forma de uma porradaria intensa que funde Technical Death Metal a Symphonic Metal, os italianos mostraram que o nível não caiu e que conhecem bem sua própria especialidade. Certamente estará entre os "melhores do ano" nas listas de dezembro.

05/02 - The Cult - Hidden City

Muitos dinossauros do Rock ainda estão em atividade. Alguns ainda chamam bastante a atenção das pessoas em geral, e outros, nem tanto. Apesar de não ser mais um nome tão mencionado quanto já foi outrora, o The Cult segue firme em seus trabalhos e, quatro anos após "Choice of Weapon", lançam o décimo e novo álbum "Hidden City", que encerra a trilogia iniciada em "Born Into This" (2007). A crítica deu resenhas de mistas a positivas ao disco, que cumpre bem seu papel em 12 músicas e 52 minutos de duração.

05/02 - Obscura - Akróasis

E o Obscura adiciona mais um álbum autoral ao seu acervo. Mais um para enriquecer e sustentar o crescente convencimento quanto ao que fazem. "Akróasis", quarto álbum de estúdio dos alemães, resume em 58 minutos o que é um Metal extremo técnico, violento e criativo. O alicerçamento do Technical Death Metal e do Black Metal com o Progressive Metal é coeso e extremamente bem tocado, reafirmando de uma vez por todas que a banda deveria ser ouvida por todos que gostam de musicalidade complexa e cheia de recursos.

12/02 - Megadriver - Role Playing Metal

"Role Playing Metal" é o segundo álbum do mês e do ano dos paulistanos do Megadriver. Seguindo a tradicional proposta de transformar temas de jogos eletrônicos em versões Heavy Metal, esse disco se mostra mais encorpado e épico, até por executar versões de jogos mais fantasiosos, tais como Skyrim, Chrono Trigger, Chrono Cross, The Legend of Zelda, Final Fantasy, World of Warcraft, e muitos outros. Esse dura um pouco menos do que "Gaming Hell": 45 minutos distribuídos ao longo de 13 faixas.

12/02 - Rotting Christ - Rituals

Pouquíssimos títulos de álbum refletem tão precisamente como é a sonoridade contida nele quanto o novo do Rotting Christ. Preste bastante atenção ao título: "Rituals". Exato. São 10 músicas e 49 minutos de uma sonoridade pesada, obscura e absolutamente ritualística. Ouvi-lo o faz se sentir como se inserido em um macabro ritual pagão. O sentimento é alcançado principalmente pela disposição dos vocais, que muito acionam os backing vocals e, em coro, cantam pausadamente palavras de idiomas como grego, latim, hebraico, entre outros. Trabalho fantástico de uma banda veterana fantástica. Grécia bem representada.

12/02 - Onslaught - Live At The Slaughterhouse (Live)

"Live At The Slaughterhouse" é o segundo disco ao vivo dos britânicos do Onslaught e seu vigoroso Thrash Metal. Gravado nos dias 19 e 20 de julho de 2014 no Academy Bristol e Academy London, respectivamente, o trabalho com 13 faixas que totalizam uma hora e dez minutos de música de qualidade. Na versão física, além do CD, vem ainda um DVD contendo 20 minutos de documentário, o videoclipe da faixa "66 Fucking 6", além de um teaser.

12/02 - Lost Society - Braindead

Um dos maiores representantes da nova safra do Thrash Metal, os finlandeses do Lost Society chegam ao terceiro álbum de estúdio com louvor. "Braindead" preserva o pique dos discos anteriores, tocando Thrash de uma maneira agressiva, moderna e estruturada, sem deixar de exalar em determinados momentos aquela familiar influência e sentimento transmitidos pelos gigantes tradicionais do gênero.

12/02 - Anneke van Giersbergen & Árstíðir - Verloren Verleden

Fãs da holandesa Anneke van Giersbergen ficarão felizes com esse lançamento. Sempre envolvida em trabalhos lá e cá, agora a vocalista se juntou à banda islandesa Árstíðir e lançou o suave álbum colaborativo "Verloren Verleden". Trata-se de um trabalho calmo e celestial, bem distante do Rock. A suavidade é tanta que nem parece que há uma banda inteira por detrás da etérea vocalista. A postura calma valorizou e explorou efetivamente sua formosa voz, que caiu muito bem na proposta do trabalho.

19/02 - Myrath - Legacy

Os tunisianos do Myrath construíram sua reputação merecidamente por meio de uma musicalidade muito bem estruturada, aliando Progressive Metal à cultura árabe e gerando uma sonoridade frequentemente comparada à dos israelenses do Orphaned Land. Quase pode-se dizer que "Legacy" é um álbum homônimo, já que o nome da banda significa exatamente "legado" em árabe. De qualquer forma, esse, que é o quarto álbum de estúdio, aguça uma tendência já iniciada de certa forma no álbum anterior, "Tales of The Sands": o apelo comercial. Ao contrário dos primeiros discos, a banda aqui carece de peso e progressividade nos arranjos, e compuseram as canções de forma a serem acessíveis e fáceis de mastigar. "Legacy" não está ruim de forma alguma - pelo contrário, está ótimo, fora que buscar seu horizonte no meio comercial não é um crime, desde que a musicalidade permaneça boa. Contudo, se comparar principalmente com o álbum "Desert Call", vê-se que a mudança no lado Metal foi muita. Por isso, esse disco é tanto bom quanto decepcionante, em determinadas proporções.

19/02 - Wolfmother - Victorious

"Victorious" é o quarto álbum de estúdio da banda australiana Wolfmother. Disco bom e bem direcionado, com um Hard/Stoner Rock, como sempre, remetendo às suas mais básicas influências, como o Led Zeppelin e o Deep Purple. Mais um aperitivo de qualidade para quem gosta de um som mais leve e tradicional.

19/02 - Delain - Lunar Prelude (EP)

Um dos mais famosos nomes do Symphonic Metal holandês, o Delain em 2016 trouxe, pela primeira vez, um EP para a discografia. "Lunar Prelude" é relativamente longo para o formato: tem oito faixas e 35 minutos de duração. Contudo, apenas três são inéditas: "Suckerpunch", a versão orquestrada da mesma música, que aparece ao final do set, e "Turn The Lights Out". As demais são gravações ao vivo, além de uma nova versão de "Don't Let Go", originalmente lançada no CD bônus do álbum anterior, "The Human Contradiction".

19/02 - Omnium Gatherum - Grey Heavens

Banda com selo Finlândia de qualidade, o Omnium Gatherum chega com "Grey Heavens" ao álbum de número sete na discografia. O consistente Melodic Death Metal do conjunto se mantém estupendo e faz desse disco mais um cartão postal para o sexteto, que não é dos mais conhecidos conjuntos finlandeses mas retém o respeito e admiração daqueles que os conhecem.

21/02 - Maldita - Estranhos Em Uma Terra Estranha

A bem-sucedida banda carioca Maldita chegou ao seu quinto álbum de estúdio com o lançamento "Estranhos Em Uma Terra Estranha". Sua mais nova amostra de Industrial Metal contém 14 faixas e mais de uma hora de duração. O conjunto dispôs o álbum para streaming em todas as principais plataformas digitais, e também para download no site oficial.

26/02 - Steel Panther - Live From Lexxi's Mom's Garage (Live Acoustic)

Após três álbuns, e um ao vivo, o Glam Metal de Los Angeles do Steel Panther agora trouxe uma obra acústica lançada em CD e DVD, chamada "Live From Lexxi's Mom's Garage". Trata-se de um trabalho que mistura o concerto com atuações dos membros da banda na "casa do Lexxi", interagindo com "sua mãe" de forma um tanto 'abusiva' algumas vezes. Na versão em CD, são 13 faixas e 45 minutos de instrumentos desplugados, com direito até a cello, dependendo da música.

26/02 - Voivod - Post Society (EP)

O novo trabalho do clássico Voivod é um EP. "Post Society", lançado pela Century Media Records, é um singular trabalho de 30 minutos, cujo set de cinco faixas conta inclusive com um cover de "Silver Machine", do Hawkwind.

26/02 - Rage of Angels - The Devil's New Tricks

Geralmente quem é mais afinco no Metal, ao ouvir o nome Rage of Angels, pensa naquela banda estadunidense de Hard 'n' Heavy do fim dos anos oitenta que lançou apenas o álbum homônimo em 1989 antes de desfazer-se e alguns membros migrarem para o Steelheart. Aquela se foi! Esse Rage of Angels é outro. É a banda do tecladista Ged Rylands (ex-Ten), e "The Devil's New Tricks" é a sequência do muito bem criticado álbum de estreia "Dream World", de 2013. A sonoridade é calcada num apaixonante Melodic Rock/AOR, gerando músicas melódicas e de fácil assimilação. Resultado excelente, mas poderia ser um pouco mais AOR do que o atingido.

26/02 - Anvil - Anvil Is Anvil

Três anos após "Hope In Hell", o trio canadense do Anvil lança seu décimo sexto álbum de estúdio: "Anvil Is Anvil". Seco e tradicional, o disco mostra que a banda é cascuda e se mantém com boa performance. Afinal, "Bigorna é Bigorna".

26/02 - Anthrax - For All Kings

"For All Kings" é o 12º álbum do Anthrax, lenda do Thrash Metal estadunidense. Por ter vazado no início de janeiro, a essa altura, muitos já o conhecem. As opiniões se dividem um pouco, mas de geral, tendem a ser mais positivas. A banda está mais acessível, um tanto sentimental, explorando a capacidade dos refrões de marcar o ouvinte. Logo, as músicas não estão tão pesadas quanto outrora, mas tão boas quanto mesmo para uma boa parcela dos fãs mais tradicionais. Eu, que não sou muito chegado na banda, gostei bastante do trabalho.

26/02 - Vanir - Aldar Rök

Os dinamarqueses do Vanir definitivamente mudaram de postura. Sempre residiram na linha do Folk/Death Metal, mas no novo álbum, "Aldar Rök", a musicalidade está mais negra, densa e bruta. O som apresenta claras influências de Black Metal e o Folk, tão explorado outrora, agora se resume a bases épicas montadas por teclados. Certamente, o resultado é excelente e alguns podem até considerar a banda melhor agora, dependendo do gosto. Pesada e heroica, até solos de guitarra explora.

26/02 - Entombed A.D. - Dead Dawn

O vigoroso e devastador Death Metal dos suecos do Entombed já é conhecido pelos fãs do estilo há décadas, e essa competência é mantida com autoridade no impressionante "Dead Dawn", lançado no fim do mês. Esse curto disco (40 minutos) é o segundo lançado sob o nome "Entombed A.D.", sucedendo "Back To The Front", de 2014. Houve uma disputa pelo nome motivada por problemas entre os membros do "antigo" Entombed. Por isso a "nova" banda está acrescentando um "A.D." à frente do antigo nome, diferenciando a nova fase, que não deixa nada a desejar.

Um comentário:

  1. Tem um álbum que eu acho que poderia entrar nesta lista e foi lançado em fevereiro man!

    "Destructor - Back in Bondage"

    ResponderExcluir