Social Icons

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Amazon - Discografia Comentada

Embora tenha se popularizado e ganhado força tardiamente - muito devido à ditadura militar e dificuldades de acesso a bons materiais e equipamentos -, o Metal no Brasil é praticado há muito tempo. São pelo menos 30 anos de história. Tempo suficiente para que muitos ouvintes se convertam à causa, para que uma cena se solidifique e, claro, para que bandas surjam. Tempo suficiente também para que determinados segmentos se tornem preferência, enquanto outros são menos praticados. Bandas brasileiras de Death Metal, Thrash Metal e Power Metal não são novidades, por exemplo. Mas e o Symphonic Metal?
A vertente que tem Epica e Nightwish como grandes nomes mundiais ainda não é amplamente praticada em terra tupiniquim. Mas engana-se quem pensar que ela não existe aqui. Em Valinhos, no interior de São Paulo, existe uma banda que pode não ser o último biscoito do pacote, mas faz muito bem aquilo que se propõe a fazer e tem obtido melhoras significativas no álbum mais recente. Com temática inspirada em fantasias, sentimentos e cultura brasileira e sul-americana interpretada por vocais femininos líricos, o Amazon nos dá uma boa alternativa Sinfônica e demonstra potencial para contribuir à cena com álbuns ainda melhores no futuro.
Por iniciativa dos líderes Renato Ângelo (guitarra e teclados) e Sabrina Todt (vocal), em 2001 as atividades tiveram início. Após completarem a formação com Danilo Ângelo (baixo) e Newton Godoi (bateria), lançaram a primeira demo "While There Is Time" já em 2002, que contém cinco músicas que viriam a ser aproveitadas mais tarde no álbum de estreia.
Já com Marcelo Freitas responsável pelas baquetas, chegou em 2004 o debut independente "Victoria Regia", que mais tarde seria relançado pela Megahard Records com nova capa e set em ordem alterada. Esse é um álbum que consegue ser muito bonito e muito bem produzido mesmo com as limitações de um trabalho independente. A sonoridade brilha com certo clima florestal gerado por teclados mágicos e ocasionais flautas inseridas, mesmo que os arranjos de guitarra não sejam muito complexos e o baixo e bateria façam apenas o dever de casa. As influências de Nightwish e After Forever são latentes tanto instrumentalmente quanto vocalmente falando, até pela forma como Sabrina canta. Abusa da força do lírico, mas também contrasta com a suavidade de uma técnica mais amena, ou até mesmo trechos cantados mais limpamente. Enquanto isso, claros traços de Stratovarius também aparecem em solos de guitarra à lá Timo Tolkki, dividindo os holofotes com ótimos solos de teclado. Sem dúvidas "Victoria Regia" foi um ótimo ponta-pé inicial, por mais que não seja bombástico e não conte com músicas explosivas. A chave aqui é a beleza por si só.
Ainda em 2004, no dia 5 de dezembro, o Amazon se apresentou na Via Funchal, em São Paulo, abrindo um show do Nightwish. O show foi gravado e lançado em um DVD que trás seis músicas, dentre as quais duas são emblemáticos covers de "Tears of The Dragon" do Bruce Dickinson e "Rainbow In The Dark" do Dio.
Seis longos anos se passam e chegamos a agosto de 2010, momento do lançamento do segundo álbum "Nature's Last Ride", também independente. Por um momento, ele é estranho, pois a mixagem é desigual, mas no decorrer do álbum você se acostuma e passa a apreciar. Uma pena um trabalho que demonstra amadurecimento, músicas mais fortes e arranjos de guitarra mais criativos ser ofuscado por uma produção que pôs a guitarra muito baixa, a bateria muito alta e seca e deu destaque demais aos teclados. Os acertos foram o vocal e o baixo. Principalmente o âmbito vocal ganhou força com refrões com coro apoiando a voz de Sabrina. "Nature's Last Ride" é um álbum difícil de definir pois ele apresenta tanto avanços quanto retrocessos. É sim, de certa forma, um amadurecimento da proposta do antecessor, mas os teclados são menos participativos nos arranjos solo das canções. Suas funções são mais puxadas para a base. Solos de guitarra também são mais escassos e os que aparecem são rápidos demais. Em contrapartida, os riffs são mais complexos, criativos, harmônicos e mais pesados (ou deveriam ser), flertando com o Heavy Metal. É um bom álbum que merece regravação futura.
Mais cinco anos se passaram até que um novo álbum fosse lançado pelo Amazon. Com eles, alterações no line-up aconteceram. O baixista Danilo Ângelo e o baterista Marcelo Freitas se desligaram da banda, cedendo vaga para André Pedral e Marcos Frassão. De cara e atitude novas, a banda buscou novos horizontes e novas possibilidade para aproveitar ao máximo o potencial e maturidade que acumularam ao longo dos anos. Por isso, Renato Ângelo buscou o auxílio de Amanda Somerville (Kiske/Somerville e HDK) e Sander Gommans (HDK, ex-After Forever) para produzir o álbum subsequente, e o resultado não poderia ter sido melhor.
Agora sim: uma produção perfeita, músicas vigorosas, nível internacional. Solos matadores, riffs pesados e sofisticados de se aplaudir de pé. Alternâncias entre peso e melodismo. Orquestrações. Atributos de uma grande banda segura naquilo que está fazendo. Isso é o álbum "Rise!", cujo nome simboliza essa nova era do conjunto. Lançado novamente de forma independente em 2015, ele é a divisão de águas da banda. É notável a entrega nesse trabalho, mesmo que tenham contado também com auxílios de Somerville e Gommans com dicas composicionais. O disco pulsa, convence, empolga. É daqui que vem a ideia de que a banda pode vir a contribuir com álbuns cada vez melhores no futuro.
Muitas vezes não importa se uma banda faz som ruim ou bom. Se tiver propaganda, ela ganha nome de peso, então ganha fãs. O Amazon é muito bom e o que falta a eles é uma estratégia publicitária efetiva. Precisam aparecer. Precisam realizar shows, abrir para mais grandes bandas, aparecer em revistas, na internet. Em relação a shows, o fato de Sabrina e Renato estarem atualmente morando na Alemanha e o restante dos membros no Brasil atrapalha bastante, com certeza. Mas lá eles poderão acumular ainda mais conhecimento e se/quando voltarem, poderão ativar a banda nos palcos. Ainda não são uma banda especial, mas tem muito potencial, conforme provaram no álbum "Rise!". Curioso? Não se arrependerá. É som brasileiro dos bons.

|    Official Website    |    Facebook Page    |
|    Twitter    |    Soundcloud    |


 Victoria Regia (2004)

01 - Dawn
02 - The Phantom In The Mirror
03 - Destiny's Revenge
04 - Surrender
05 - Growing
06 - The Shadow
07 - Seven Suns and Seven Moons
08 - We Were All
09 - Angel Wolf
10 - Fate of Glory
11 - While There Is Time

Ouvir (Soundcloud)

 Nature's Last Ride (2010)

01 - Black Star
02 - Conceived
03 - Come
04 - Nature's Last Ride
05 - Lake of Dreams
06 - Falling
07 - Heretic
08 - Prisoner (Phantom In The Mirror - Part II)
09 - Whoever You Are
10 - Gathering High
11 - Moon High Glow
12 - The Poem & The Eden

Ouvir (Soundcloud)

 Rise! (2015)

02 - Three Lives
03 - The Path
04 - Suicide Note
05 - Prisoners of The Seas
06 - Sins
07 - Immortal
08 - Time
09 - New Horizons
10 - Bittersweet

Nenhum comentário:

Postar um comentário