Social Icons

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Be'lakor - Discografia Comentada

A Austrália é certamente um país com gosto para Rock e Metal. São ótimos consumidores do gênero e, vira e mexe, contribuem exportando alguma banda de qualidade. É mais comum ver bandas australianas que seguem alguma vertente do Rock, tais como Silverchair, Airbourne, Wolfmother, e, claro, uma das maiores da história, o AC/DC, mas o Metal não é menos executado, muito embora não alcance, geralmente, o mesmo patamar de expressão daquelas que fazem o gênero parente. Mesmo assim, tem um conjunto que segue linha mais Extrema que vem se destacando no underground global graças ao excelente Melodic Death Metal plural que fazem, rico, de diferentes passagens e momentos através de seus longos minutos de música.
Recebendo o nome de um demônio do jogo de tabuleiro Warhammer, o Be'lakor é uma excelente banda nascida na cidade de Melbourne, em Victoria, no ano de 2004. Sua formação consiste em George Kosmas no vocal gutural e guitarra base, Shaun Sykes na guitarra solo, John Richardson no baixo, Jimmy Vanden Broek na bateria e Steve Merry nos teclados, piano e samples. Essa ainda é a formação até os dias atuais. Mais de 10 anos de estabilidade, algo difícil, ainda mais em se tratando de uma banda ainda jovem.
É muito frequente testemunharmos bandas de Melodic Death Metal que fazem um som de fato melódico, leve, bem adocicado. Difícil mesmo é ver uma banda do gênero que consiga ser melódica sem perder o peso original do Death Metal e usando guturais fechados ao invés dos rasgados. O Be'lakor é uma das poucas que fazem isso, assim como o Amon Amarth.
Pesadas distorções, muitos momentos pegados e secos de riffs característicos do Death, passagens cadenciadas geralmente com riffs e solos lentos e melódicos e um gutural fechado monstruoso são marcantes características do Melodeath desses australianos, que são unidas a pontuais levadinhas Progressivas a nível elemental. Os bônus do instrumental incluem pianos, teclados, lindas passagens tranquilas de violão e ainda, por vezes e dependendo da canção e do disco, flautas e alguma rápida orquestração.
O primeiro álbum de estúdio surgiu três anos após a fundação da banda, em 2007, intitulado "The Frail Tide". Esse lançamento independente é o mais curto, com 42 minutos de duração, e também o mais seco, cru, mais simples, embora já demonstrassem ter capacidade de chegar onde desejavam. Era óbvio que os próximos discos seriam ainda melhores. O registro colheu boas críticas gerais por parte dos fãs e mídia e os levou a assinar um contrato com a Descent Productions em 2008, que re-lançou o debut em digipack.
O início de 2009 foi marcado pela primeira turnê nacional do Be'lakor e conquista de outro contrato, agora com a Prime Cuts Music. Em meados do ano chega o segundo e melhor composto álbum dos caras, o "Stone's Reach", inspirado na Mitologia Grega em seus longos 60 minutos de duração. Aqui a musicalidade é mais desenvolvida, mais encorpada, mais bonita nas partes que têm de realmente ser bonitas. Não se sente mais aquela crueza do lançamento anterior. Além disso, as músicas estão mais diversificadas, cabendo com mais fluidez a alternância de diferentes atmosferas dentro de uma mesma música. Como consequência do amadurecimento, os australianos colheram críticas ainda mais positivas acerca do lançamento, e fecharam o ano com um contrato com a Kolony Records.
"Stone's Reach" concedeu à banda o primeiro lugar no quesito "Best Melodeath/Gothenburg Metal Album" da Metal Storm de 2009, além de acompanharem o Turisas e o Alestorm durante suas passagens pela Austrália em 2010. Ainda no mesmo ano voaram até a Alemanha para tocarem no grande Summer Breeze Open Air Festival.
Em 2012 é a vez do álbum "Of Breath and Bone" ser lançado, o mais pesado e também de mais difícil assimilação até então. É bastante cadenciado, com turbulência e musicalidade preenchida mesmo enquanto tudo está lento. O ar é profundo e estonteante. Leva-te a viajar e se perder em meio ao som, o que, ao meu ver, os aproxima de um Melodeath mais tradicional de excelente qualidade. Embora a banda esteja mais consistente, estão também mais genéricos em vários trechos. Porém, continuam realmente matadores. Novamente as resenhas sobre foram positivas e os levaram a uma turnê europeia naquele ano, começando pelo festival Brutal Assault, da República Tcheca. Passaram novamente pelo Summer Breeze, e, ao voltar ao seu país, abriram os shows do Apocalyptica e do At The Gates em Melbourne.
Be'lakor é com certeza uma banda que vai conquistar aqueles que ainda não os conhecem e são fãs de Melodic Death Metal. Têm tudo para se tornar um dos gigantes expoentes do gênero se a divulgação for efetiva e a galera der valor ao que fazem. Essa musicalidade onde em um momento está tudo calmo com violões e pianos e do nada vem a quebradeira Death desencadeia um loop emocional no ouvinte, que logo pesca que esse é um atrativo cartão-postal da excelente banda. Ouçam, mas ouçam com carinho. É daquelas que precisam de várias sessões auditivas para dissecar a sonoridade, compreender e ficar ainda melhor!


 The Frail Tide (2007)

01 - Neither Shape Nor Shadow
02 - The Desolation of Ares
03 - Tre'aste
04 - A Natural Apostasy
05 - Paths
06 - Sanguinary

Ouvir (Spotify)

 Stone's Reach (2009)

01 - Venator
02 - From Scythe To Sceptre
03 - Outlive The Hand
04 - Sun's Delusion
05 - Held In Hollows
06 - Husks
07 - Aspect
08 - Countless Skies

Ouvir (Spotify)

 Of Breath and Bone (2012)

01 - Abeyance
02 - Remnants
03 - Fraught
04 - Absit Omen
05 - To Stir The Sea
06 - In Parting
07 - The Dream and The Waking
08 - By Moon and Star

Ouvir (Spotify)

 Vessels (2016)

01 - Luma
02 - An Ember's Arc
03 - Withering Strands
04 - Roots of Sever
05 - Whelm
06 - A Thread Dissolves
07 - Grasping Light
08 - The Smoke of Many Fires

Ouvir (Spotify)


2 comentários:

  1. Muito obrigado por compartilhar. É uma boa banda.
    Saudações e continuar com o bom trabalho.

    ResponderExcluir
  2. Umas das melhores bandas que escuto,Muito foda ...

    ResponderExcluir