Social Icons

terça-feira, 10 de março de 2015

Nervochaos - Discografia

Que o Brasil é abundante em bandas de qualidade em todos os gêneros, isso não há dúvidas. Se há, é por falta de conferir o que nós temos. O acesso à gratuidade dos downloads certamente ajudou muito a revelar isso, inclusive pra mim. Mas nem sempre foi fácil fazer um som foderoso e de qualidade, sem parecer bagunça. Imagina como era no século passado, com toda a dificuldade financeira e de acesso a bons equipamentos, além de que os meios de exposição de seu som eram basicamente rádio e TV, limitando ainda mais as oportunidades de um gênero musical marginalizado e com público específico.
Mas esse não era por si só o único obstáculo no caminho dos paulistanos do Nervochaos. Ainda tem o detalhe de que o Brasil é abundante em bandas de Death Metal. Então para se destacar é necessária muita perspicácia e muita dedicação. É por isso que o Nervochaos é uma banda tão maravilhosa.
Claramente tomando como referência inicial a maior das bandas extremas brasileiras, o Sepultura, o conjunto surgiu em setembro de 1996 com a ideia de executar música agressiva, com mensagens fortes e blasfêmicas. A primeira formação consistia em um quinteto composto por Marcelo Miranda no vocal, Sidney Becky na guitarra e backing vocal, Gubber na outra guitarra, Thomas no contrabaixo e Eduardo Lane na bateria, formação essa que trouxe apenas um mês após o início das atividades a demo auto-intitulada. O disco é composto por quatro faixas, inclusive "Pain Haze", cover do Brutal Truth. A repercussão foi ótima ao ponto de render diversos shows pelo Brasil, dividindo os palcos com diversas bandas como Kreator, Agnostic Front, Krisiun, Napalm Death, Korzus, Biohazard, Dorsal Atlântica... Mas não tardou para os trabalhos com o álbum debut engrenarem.
Agora como um trio composto apenas por Sidney Becky no vocal e guitarra, Thomas no baixo e Eduardo Lane nas baquetas, sai no finzinho de 1998 o álbum de estreia "Pay Back Time", através da Tumba Records. Trata-se de um disco realmente seco, com pegada seca e muita objetividade. Ele trás não apenas um Death Metal Old School em suas veias, mas também elementos de Grindcore e Thrash Metal. É pedrada crua com abundância de vocais guturais rasgados, mais abertos. A turnê de divulgação contou com ainda mais shows realizados, alcançando até mesmo além das fronteiras nacionais, até a Bolívia.
Dois anos mais tarde, após a chegada do vocalista Gordo e a substituição de Thomas por Hareton no baixo, chega outra demo para a discografia, intitulada "Disfigured Christ". A excelente repercussão do trampo, aliada aos shows realizados, renderam um novo contrato profissional, agora com a Destroyer Records, sob a qual foi lançado o álbum "Legion of Spirits Infernal", em 2002. Para o novo disco, nova mudança ocorreu na formação com a saída do Gordo e a entrada do guitarrista e vocalista César. Esse trabalho já é mais centralizado dentro do Death Metal e suas variantes, mas ainda mantendo aquela mesma pegada e secura de seu predecessor. Algo notável é que a chegada de César fez diferença, enriquecendo a amplitude dos vocais, uma vez que há fodidas alternâncias entre guturais rasgados e fechados. Os fechados acompanham a cadência instrumental em determinados momentos, reduzindo tudo a um porco Brutal Death Metal.
Em 2004 chega outro registro, mas dessa vez é um EP. A exemplo do primeiro álbum, o disco foi lançado pela Tumba Records por insatisfação com o trabalho da Destroyer. "Necro Satanic Cult" tem uma formação dissolvida novamente em um trio representado por César no vocal e guitarra, Fabiano no baixo e Eduardo Lane na bateria e backing vocal.
Para o próximo trabalho, a banda volta a ter uma formação abundante. Daniel Blasphemoon é agora o vocalista, Vinícius e Wellington a dupla de guitarras, Thiago Anduscias o baixista, e Eduardo Lane segue o único sobrevivente de longa data, na bateria. Mantendo-se no mesmo selo, é a vez do fodaço "Quarrel In Hell" sair em 2006, mas esse é um disco muito plural; ele conta com diversas participações especiais nos vocais de mais da metade das faixas, sendo as mais notáveis a do vocalista Alex Camargo (Krisiun), que canta logo a primeira faixa, "Horde of Demons", Mark "Barney" Greenway (Napalm Death) em "Nailed To The Bed of Worms" e Emperor Magus Caligula (ex-Dark Funeral) na faixa "Televangelism". Tal diferença de vocalistas entre várias faixas leva a um disco diversificado vocalmente, com muitas técnicas diferentes oscilando entre os guturais fechados, rasgados e "meios-termos". Porém, aqui também eles começam a ficar um pouco mais pesados e agressivos, só que sem deixar totalmente aquele feeling Old School. Há certa predominância de gutural fechado, e uma exibição de Brutal Death Metal é um pouco mais latente, fora o trabalho com a bateria que é bem notável. A total competência e poder desse álbum levou a banda a uma turnê realmente internacional, atravessando o Oceano Atlântico até a Europa, tocando em mais de 10 países diferentes. Na volta a solo tupiniquim, os paulistanos ainda têm a honra de dividir palcos com bandas como Carcass, Possessed, Mayhem, entre outras.
Agora com Guiller como novo guitarrista e Felipe Freitas como novo baixista, o disco seguinte é o sensacional "Batallions of Hate", de 2010. É o disco que consolida mais do que nunca o Nervochaos em toda a sua glória, além de ser o ponto onde começam a trilhar um caminho que me agrada mais: o de um Death Metal com produção mais pesada, gravação mais moderna, com musicalidade mais preenchida, maior brutalidade. Simplesmente avassalador. Trabalho potente, com a bateria mais frenética que se pode ver em qualquer dos álbuns da banda. O maior defeito é ter apenas 33 minutos de duração. Em compensação, fecha com chave de ouro, através do cover de "Legiões Satânicas", do Vulcano. A turnê do disco gerou o raro ao vivo "Live Rituals", que saiu em 2011 e trás 10 faixas gravadas durante a turnê.
A Cogumelo Records passa então a ser a nova gravadora do Nervochaos. Através dela vem mais um fodaço álbum em 2012, ele que atende pelo nome de "To The Death". Esse trabalho segue os rastros deixados por seu antecessor, mas não de forma fiel. Embora muito porradeiro, ele também tem uma veia um pouco mais "charmosa". Dota de mais harmonia, cadência, é mais balanceado, explorando mais áreas da criatividade. Mas continua pesado! A formação a essa altura é composta por Guiller no vocal e guitarra, Quinho na outra guitarra, Felipe Freitas no baixo e, claro, Eduardo Lane nas baquetas.
Por fim, com a formação ainda estável, o cadenciado "The Art of Chaos" chega em 2014, unindo doses de Thrash Metal ao violento Death Metal que vinham desenvolvendo. O horripilante gutural de Guiller de complementa incrivelmente o instrumental. Sua técnica é de invejar.
Atualmente os paulistanos seguem novamente como um trio em decorrência da saída da saída do guitarrista Quinho em 2015. Mas a banda segue firme e forte, com a certeza de que nos trará mais furiosos álbuns no futuro. Afinal, Nervochaos é uma banda de respeito, que embora seja grande e conceituada inclusive lá fora, ainda fica aquele sentimento de que deveriam estar em um patamar de reconhecimento muito mais elevado do que o que se encontra. Fazer o quê? Reconhecimento no Brasil é uma coisa difícil. No entanto, para aqueles que pouco ouviram, ou os que sequer abriram os ouvidos à banda e desejam ouvir algo astuto, avassalador... aí está a oportunidade, com a banda certa, e o melhor: nacional!


 Pay Back Time (1998)

01 - Just The Truth
02 - I Hate Your God
03 - Revolt
04 - No Self Respect
05 - Mighty Justice
06 - Pain Haze
07 - Bastard Pig
08 - Traitor
09 - Rotten Flesh
10 - Hate Face
11 - Liar, Loser
12 - The Way To Pay
13 - Nervochaos


 Legion of Spirits Infernal (2002)

01 - Cold Feelings
02 - Envy
03 - Conventional Lives
04 - Our Fury
05 - Speechless
06 - Repulsive World
07 - Satanic Domain
08 - Let The Bible Burn
09 - Upside Down Crosses
10 - Mortal Decay
11 - When The Mask Falls Down
12 - Those Behind The Light
13 - Legion of Spirits Infernal
14 - Pure Hemp


 Quarrel In Hell (2006)

01 - Horde of Demons
02 - Cursed Soul
03 - Televangelism
04 - Evocations
05 - Scavengers of The Underworld
06 - The Ancielt Aeon
07 - Putrid Pleasures
08 - Nailed To The Bed of Worms
09 - Everlasting Death
10 - The Urge To Feel Pain


 Battalions of Hate (2010)

01 - Pazuzu Is Here
02 - Total Satan
03 - Dark Side
04 - Infernal Words
05 - All-Out War
06 - Dark Chaotic Destruction
07 - One From None
08 - I Fucking Hate You
09 - Perish Slowly
10 - The Dead Shall Rise From A River of Blood
11 - Legiões Satânicas (Vulcano Cover)


 To The Death (2012)

01 - Mark of The Beast
02 -  Sheep Amongst Wolves
03 -  Your World's Trend
04 - Gospel of Judas
05 - The Exile
06 - To The Death
07 - Hate
08 - Smoking Mortal Remains
09 - Mind Under Siege
10 - Delusions and Lies
11 - Destroyer of Worlds
12 - Warlords Unbound
13 - Wolves Curse

Download

 Panzer Fest (Compilation) (2013)

01 - Command6: Crush The World
02 - Command6: Dawn of A Man
03 - Forka: Black Ocean
04 - Forka: Empire Surrender
05 - Nervochaos: To The Death
06 - Nervochaos: Pazuzu Is Here
07 - Panzer: Rising
08 - Panzer: Burden of Proof
09 - Woslom: Evolustruction
10 - Woslom: Time To Rise


 The Art of Vengeance (2014)

01 - The Harvest
02 - For Passion Not Fashion
03 - The Devil's Work
04 - Betrayed
05 - From Below and Not Above
06 - Blood Ritual
07 - Rotten Moralism
08 - Shadows of Destruction
09 - Ghosts of Past
10 - What Is Dead May Never Die
11 - The Legacy Is Pain
12 - Lightless


2 comentários:

  1. Valeu Walker, faz tempo que espero por esse post,Excelente!Obrigado!

    ResponderExcluir