Social Icons

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Ian Gillan Band - Discografia

No fim de 1973, Ian Gillan e Roger Glover deixaram o Deep Purple, conjunto que ajudaram a colocar no topo e que deixou clássicos eternos em álbuns como In Rock (1970) e Machine Head (1972). Se o conjunto seguiu em frente, recrutando David Coverdale para os vocais, com o apoio de Glenn Hughes, Ian Gillan deixou a música e passou a fazer vários investimentos, os quais, em sua maioria deram errado e trouxeram prejuízo para o vocalista.
Enquanto isso, Roger Glover, que também foi companheiro de Gillan no Episode Six, deu sequência em sua carreira musical, atuando especialmente como produtor. Seu primeiro desafio e que acabaria se tornando seu primeiro álbum solo, foi o The Butterfly Ball And The Grasshopper's Feast, uma Ópera-Rock, que contou com nomes de peso, como Ronnie James Dio. Após o lançamento do disco, que se deu em 1974, planejou-se uma grande apresentação ao vivo, marcada para o dia 16 de outubro daquele ano. Ocorre que, em cima da hora, a participação de Dio no evento foi vetada por Ritchie Blackmore e a solução encontrada foi trazer Ian Gillan como substituto. E, como talento nunca foi problema, o vocalista se deu muito bem e a recepção que teve da platéia fez com o Gillan retomasse sua carreira artística.
Assim, em 1975, o vocalista formou a Ian Gillan Band, com o guitarrista Ray Fenwick, o tecladista Mike Moran, rapidamente substituído por Mickey Lee Soule e, depois por Colin Towns, Mark Nauseef na bateria e John Gustafson no baixo. 
O primeiro álbum seria lançado em 1976 e levou o nome de Child In Time, uma das faixas mais marcantes de Gillan durante o tempo no Deep Purple e que ganhou uma versão mais suave no disco. Grande parte do material foi composto por volta de 1972 e o restante durante o período de inatividade do músico.
Apesar de ser um trabalho solo, em que Gillan afirmou que iria fazer um som diferente, é possível notar muitas influências do Purple, com aquela pegada do Jazz-Fusion aliada ao Rock Setentista. A diferença aqui são os elementos do Rhythm And Blues, que estão bem mais presentes. Foram lançados dois singles para as faixas You Make Me Feel So Good e Shame, as quais tiveram uma melhor aceitação do público. O disco teve boas vendas do Reino Unido e surpreendentemente na Suécia.
Clear Air Turbulence, segundo disco do conjunto, saiu em 1977, e não teve o mesmo êxito comercial de seu antecessor. No álbum é possível ver o Jazz-Fusion ainda mais presente, num trabalho que foge bastante do Rock clássico, pois dá muito mais ênfase na parte instrumental e no virtuosismo dos músicos do que nas melodias.
Após iniciar a turnê, várias datas foram canceladas para que o conjunto pudesse retornar ao estúdio e gravar um novo disco.
Ainda em 1977, vem o álbum Scarabus, que embora tivesse algumas faixas com um pouco de agressividade, como a faixa-título, manteve a mesma linha de seu antecessor.
Naquele mesmo ano, a Ian Gillan Band faria uma grande apresentação no Japão (amparada em clássicos do Deep Purple) e que seria lançado como o Live At The Bodukan.
Em 1978, o conjunto chegou ao fim, com Ian Gillan criando uma nova banda, que levava apenas o seu sobrenome e que lançaria seis discos.


 Child In Time - 1976

01 - Lay Me Down
02 - You Make Me Feel So Good
03 - Shame
04 - My Baby Loves Me
05 - Down The Road
06 - Child In Time
07 - Let It Slide


 Clear Air Turbulence - 1977

01 - Clear Air Turbulance
02 - Five Moons
03 - Money Lender
04 - Over The Hill
05 - Goodhand Liza
06 - Angel Manchenio


 Scarabus - 1977

01 - Scarabus
02 - Twin Exhausted
03 - Poor Boy Hero
04 - Mercury High
05 - Pre Release
06 - Slags To Bitches
07 - Apathy
08 - Mad Elaine
09 - Country Lights
10 - Fools Mate
11 - My Baby Loves Me (Bonus Track)

Download

 Live At Budokan 1977 - 1978

01 - Clear Air Turbulence
02 - My Baby Loves Me
03 - Scarabus
04 - Money Lander
05 - Twin Exhausted
06 - Over The Hill
07 - Mencury High
08 - Child In Time
09 - Smoke On The Water
10 - Woman From Tokyo




Nenhum comentário:

Postar um comentário