Social Icons

domingo, 21 de setembro de 2014

Carro Bomba - Discografia

Em setembro de 2003, os amigos Fabrizio Micheloni (baixo e vocal), Marcello Schevano (guitarra e vocal) e Ricardo Bonx (bateria e vocal) uniram-se para uma despretensiosa 'jam session' numa festa Rock'n'Roll no bairro do Jabaquara, em São Paulo. E o que era pra ser uma brincadeira, acabou se tornando uma coisa séria, pois ficou evidente a química entre os músicos e eles acabaram fundando o Carro Bomba.
O ano de 2004 começou com o trio trabalhando o repertório para o álbum de estréia. Antes disso, já haviam feito várias apresentações tocando covers, sempre recebendo vários elogios do público. Já em julho, foram para o Tonelada Estúdio (SP) para registrar o debut homônimo, gravado em apenas quatro dias.
A estreia do repertório autoral nos palcos ocorreu a 11 de setembro no Blackmore Rock Bar (SP),em uma apresentação ao lado do Baranga. O primeiro álbum foi lançado oficialmente em dezembro, sendo aclamado pelo público e pela mídia. Um dos diferenciais do Carro Bomba era fazer Rock em Português.
Fazendo o bom e velho Rock'n'Roll, com influências dos anos setenta como Cream e The Jimi Hendrix Experience e também do Rock Nacional de nomes como Made In Brazil e Casa das Máquinas, o primeiro álbum tinha faixas marcantes como Rock'n'Roll Machine e a faixa-título, o que serviu para atrair ainda mais atenção do público.
Era evidente que o Power-Trio tinha muito potencial a ser explorado, sendo que já em 2005, surgiram novas composições que viriam a integrar o segundo álbum.
Segundo Atentado, lançado em 2006, trouxe mais peso que o seu antecessor, sendo que, em alguns momentos, aproximava-se do Heavy Metal, com exceção às ótimas Usina de Problemas e Vou Me Esbaldar. O vocalista Rogério Fernandes participa como convidado na faixa A Luz, a Paz e a Bomba. O disco saiu no mês de abril, seguido de uma bateria de shows por todo o Brasil. O grupo encerra o ano tocando no aniversário do Manifesto Bar (SP), ao lado do Golpe de Estado.
Após um show no Centro Cultural (SP) em fevereiro de 2007, Ricardo Bonx deixa a banda e é substituído por Fernando Minchillo. Além da inserção de dois bumbos à sonoridade do grupo, Rogério Fernandes chegou para assumir os vocais, trazendo seu drive potentíssimo e deixando a dupla de cordas Marcello Schevano (guitarra) e Fabrízio Micheloni (baixo) livre para incrementar ainda mais os arranjos.
Agora como um quarteto, o Carro Bomba dava mais um passo importante no desenvolvimento de sua carreira: o lançamento de seu terceiro disco. Nervoso, de 2008, comprovou que as mudanças na formação foram positivas para o conjunto, com um instrumental mais pesado e intrincado com letras inteligentes e repletas de poesia de rua, cantadas com feeling ímpar. Com destaque para as faixas Punhos de Aço, Sangue de Barata, Bomba Blues e O Passageiro da Agonia, Nervoso mostrava que a banda ainda mantinha suas raízes nos anos 70, mas o peso aproximava o som do Thrash Metal oitentista, fazendo uma mistura muito positiva.
O álbum causou um grande alvoroço, sendo que angariou novos fãs, mas também causou a frustração daqueles que gostavam de algo mais clássico. Ainda assim, o álbum foi considerado um dos melhores do ano na música pesada, por diversos órgãos de imprensa.
Antes do show de lançamento do disco, Fernando Minchillo acabou deixando a banda e foi substituído por Heitor Shewchenko, que trouxe ainda mais peso e vigor ao já reverenciado comboio.
Provando que já se encontrava em um patamar elevando dentro do Metal Nacional, o Carro Bomba foi convidado a integrar o cast da gravadora/distribuidora Laser Company, a maior do país no segmento, junto a medalhões como Sepultura, Korzus, Torture Squad, Krisiun, entre outros.
O ano de 2011, começou com uma turnê pelo Chile, em que se apresentaram com as bandas locais Tabernários, Boca Seca e Lethal Fist, deixando ótima impressão entre o público chileno. Logo em seguida, veio o quarto álbum, Carcaça, novamente aclamado por público e mídia.
O disco mostrava grande influência do Black Sabbath, em especial a fase com Dio, vide a ótima Blueshit, além de Combustível e Mondo Plastico. Com Carcaça, o Carro Bomba se consolidou com um dos melhores conjuntos de Metal do Brasil, sendo referência quando o assunto é Metal em português.
Carcaça teve grande divulgação, o que resultou em shows mais concorridos e mais fãs para o conjunto. 
No segundo semestre de 2014 foi lançado o quinto disco, Pragas Urbanas que em breve está disponível aqui.
Resta aguardar, pois com certeza será mais um lançamento marcante de um conjuntos que prova que o Metal Nacional vive uma ótima fase!


 Carro Bomba - 2004

01 - O Dobro Ou Nada
02 - Rock'n'Roll Machine
03 - Carro Bomba
04 - A Hora Agora É De Fazer Valer
05 - Ode A Bohemia
06 - Louco De Dar Nó
07 - Sonhos
08 - Crocodilagem
09 - Raivosas Roedoras
10 - Transgressores


 Segundo Atentado - 2006

01 - Carro Bomba's Rollin'
02 - Ritmo De Fúria
03 - Eu Sei Mas Não Me Lembro
04 - Uma Cerveja E Um Pouco Disso
05 - Overdrive Rock N' Roll
06 - A Luz, A Paz E A Bomba
07 - O Pino Da Granada
08 - O Vazio (Quem Não É Você)
09 - Bala De Prata
10 - Usina De Problemas
11 - Vou Me Esbaldar

Download

 Nervoso - 2008

01 - Punhos De Aço
02 - Sangue De Barata
03 - Bomba Blues
04 - Fui
05 - Válvula
06 - O Passageiro Da Agonia
07 - O Foda-Se
08 - O Foda-Se II
09 - Intravenosa

 Carcaça - 2011

01 - Bala Perdida
02 - Queimando A Largada
03 - Carcaça
04 - Combustível
05 - O Medo Cala a Cidade
06 - Mondo Plástico
07 - Blueshit
08 - Corpo Fechado
09 - O Foda-se III
10 - Tortura (Pau Mandado)

 Pragas Urbanas - 2014

01 - Máquina
02 - Fuga
03 - Pragas Urbanas
04 - Esporro
05 - Arrastando Correntes
06 - Mojo
07 - Let's Blow
08 - Thrash 'n' Roll
09 - Fantasma

Download



Nenhum comentário:

Postar um comentário