Social Icons

domingo, 24 de agosto de 2014

1349 - Discografia Comentada

Interessante mesmo é quando uma banda tem um nome que dê para traçar uma linha de ligação com a sonoridade. Nada de forma explícita. Apenas de forma sutil, que exija algum conhecimento específico. Tanto no âmbito da sonoridade quanto no âmbito do nome, o 1349 está de parabéns.
O nome da banda faz alusão ao ano de 1349, o ano do início da queda da Noruega contra um inimigo mortal e silencioso: a peste negra. Esse foi o ano que a doença chegou ao país e, ao longo das décadas seguintes, assolaria 2/3 da população e poria fim a uma era de grande crescimento econômico e paz chamada de Era Dourada da Noruega.
A peste era negra... então nada mais justo do que o som da banda também o ser. Black. Black Metal. Com a proposta de executar um som violento e sufocante, compôr letras anti-religiosas, negras e apocalípticas, e circundados por uma forte influência do Celtic Frost, surge em Oslo, na Noruega, das ruínas da banda Alvheim, o 1349, fundado no ano de 1997.
Inicialmente, o grupo era um quarteto composto por Ravn no vocal e bateria, Tjalve e Balfori nas guitarras, e Seidemann no contrabaixo. Rapidamente nos dois anos seguintes, uma dupla de demos foi lançada: "Demo 1998" no ano referido pelo título, e "Chaos Preferred", essa como um power trio, sem o guitarrista Balfori. Após a chegada do baterista Frost (também baterista do Satyricon) em 2000, o 1349 lançou o primeiro registro sob as asas de uma gravadora: o EP demo "1349", via Holycaust Records. O disco contém até mesmo um cover ao vivo da faixa "The Usurper", do Celtic Frost.
Dois anos mais tarde, o debut "Liberation" é lançado via Candlelight Records com a banda em forma de quinteto devido ao ingresso do segundo guitarrista Archaon. Musicalmente falando, esse trabalho é tudo o que sacaneiam em relação ao Black Metal: produção de qualidade ruim, som abafado, guitarras parecendo abelhas em uma colmeia e bateria que está mais para batucaiada em lata. Mas é disso que os fãs mais tradicionais do gênero gostam, pois dessa forma o som é sujo. O som é bem direto e linear, com porradaria do início ao fim. Muita violência no som e raiva no gutural rasgado de Ravn.
Não tardou em logo em 2004 o segundo álbum de estúdio, intitulado "Beyond The Apocalypse", saiu das trevas para apreciação. Novamente é um trabalho tão sujo quanto o antecessor, mas ainda mais acelerado e brutal, com um trabalho ainda mais vibrante na bateria e melhora na gravação da mesma.
A sequência da agressividade e sujeira de qualidade abafada de gravação se sucedeu em 2005 com o lançamento do porradeiro "Hellfire". Nesse terceiro álbum, os noruegueses acrescentam um componente adicional em alguns trechos para que uma atmosfera mais densa paire no ar: teclados. Mas não são teclados primordiais às composições musicais como no Symphonic Black Metal. É apenas uma pitada atmosférica. A forma como as canções são cantadas também sofre mudanças, pois não apenas o gutural rasgado é explorado, mas também uma postura mais teatral que transmite sofrimento e dor.
Após três lançamentos relâmpago, a popularidade do 1349 subiu, e com as excelentes apresentações ao vivo com direito até a sopro de fogo, só veio a ganhar mais fãs aprovando-os. Isso os levou inclusive a realizarem uma turnê pelos Estados Unidos ao lado de sua maior influência, o Celtic Frost, e até mesmo o vocalista Ravn teve participação especial na faixa bônus "Temple of Depression", presente no álbum de 2006 dos suíços, intitulado "Monotheist".
Os anos seguintes se resumiram a shows e mais shows em diversos festivais pela Europa, dividindo palco com outras bandas de peso. Em 2008, por exemplo, fizeram tour ao lado de Carcass, Suffocation, Aborted e Rotten Sound.
O álbum seguinte se chama "Revelations of The Black Flame" e foi lançado em 2009, sendo o último disco sob tutela da Candlelight Records, e o primeiro sem o guitarrista Tjalve. Dessa vez a postura é outra; não abandonam o Black Metal, mas exploram novas formas de tocá-lo. Por sinal, gostaram das inclusões de teclados do disco anterior e decidiram levar isso mais além. Esse é um álbum que contém músicas tocadas de forma lenta, com riffs que se arrastam e se complementam apenas após alguns segundos. O slow motion de riffs é incentivado pela veia atmosférica e belamente interpretado por uma abordagem vocal que alterna entre o gutural um pouco mais fechado e algo mais narrado situado entre o grave e o gutural. Ambos igualmente lentos e arrastados, como se uma história fosse contada de forma macabra e aterrorizante. Claramente, a intenção aqui é de dar impacto, de criar sentimentos, de transmitir terror, como em um filme. Alcançaram isso com sucesso!
No início de 2010, a banda assinou com a Indie Recordings para o lançamento do próximo álbum na Europa, e com a Prosthetic Records para ser distribuído na América do Norte. Alguns meses mais tarde, em abril, mais especificamente, o quinto álbum de estúdio emergiu, sob o título "Demonoir". Esse excelente trabalho buscou unir a secura e violência dos três primeiros discos com a misteriosa e medonha atmosfera do quarto. O resultado foi um álbum com faixas agressivas intercaladas entre si por interlúdios instrumentais e ambientais, sendo que mais variedade de efeitos de teclado são exploradas.
No mesmo mês, saíram em turnê com o Cannibal Corpse, Skeletonwitch e Lecherous Nocturne e até se apresentaram no Summer Breeze Open Air e no Wacken Open Air em agosto, além de, mais pra frente, terem excursionado os Estados Unidos e Canadá ao lado do Tryptikon, banda de Tom Gabriel Fischer formada após o fim do Celtic Frost.
Atualmente há expectativa acerca do lançamento do sexto álbum de estúdio do 1349, que se chamará "Massive Cauldron of Chaos" e tem data de lançamento marcada para o dia 29 de setembro de 2014.
Eis então uma banda tão violenta quanto a peste que se assolou pela Europa na Idade Média, com um som mórbido como somente a qualidade norueguesa do gênero é capaz de oferecer.

|    Official Website    |    Facebook Page    |    Twitter    |
|    YouTube Channel    |    Bandcamp    |    Instagram    |


 Chaos Preferred (Demo) (1999)

04 - F.T.W.

 1349 (EP) (2001)

01 - End of All
02 - Antichrist Warzone
03 - Chaos Within
04 - The Usurper (Live) (Celtic Frost Cover)

 Liberation (2003)

01 - Manifest
02 - I Breathe Spears
03 - Riders of The Apocalypse
04 - Deathmarch
05 - Pitch Black
06 - Satanic Propaganda
07 - Legion
08 - Evil Oath
09 - Liberation
10 - Buried By Time and Dust (Mayhem Cover)

Ouvir (YouTube)
Ouvir (Spotify)

 Beyond The Apocalypse (2004)

01 - Chasing Dragons
02 - Beyond The Apocalypse
03 - Alwass Aeon
04 - Necronatalenheten
05 - Perished In Pain
06 - Singer of Strange Songs
07 - Blood Is The Mortar
08 - Internal Winter
09 - The Blade

Ouvir (YouTube)
Ouvir (Spotify)

 Hellfire (2005)

01 - I Am Abomination
02 - Nathicana
03 - Sculptor of Flesh
04 - Celestial Deconstruction
05 - To Rottendom
06 - From The Deeps
07 - Slaves To Slaughter
08 - Hellfire

Ouvir (YouTube)
Ouvir (Spotify)

 Revelations of The Black Flame (2009)

01 - Invocation
02 - Serpentine Sibilance
03 - Horns
04 - Maggot Fetus... Teeth Like Thorns
05 - Misanthropy
06 - Uncreation
07 - Set The Controls For The Heart of The Sun (Pink Floyd Cover)
08 - Solitude
09 - At The Gate...

Works of Fire, Forces of Hell: Live Stockholm 2005 (Live) (Bonus CD):
01 - Hellfire
02 - Chasing Dragons
03 - Satanic Propaganda
04 - I Am Abomination
05 - Manifest

Ouvir (YouTube)
Ouvir (Spotity)

 Demonoir (2010)

01 - Tunnel of Set: I
02 - Atomic Chapel
03 - Tunnel II
04 - When I Was Flesh
05 - Tunnel III
07 - Tunnel IV
08 - Pandemonium War Bells
09 - Tunnel V
10 - The Devil of The Deserts
11 - Tunnel VI
12 - Demonoir
13 - Tunnel VII

Ouvir (YouTube)
Ouvir (Spotify)

 Massive Cauldron of Chaos (2014)

01 - Cauldron
02 - Slaves
03 - Exorcism
04 - Postmortem
05 - Mengele's
06 - Golem
07 - Chained
08 - Untitled
09 - Godslayer (Bonus Track)
10 - Tornado (Voivod Cover) (Bonus Track)
11 - The Heretic (Possessed Cover) (Bonus Track)

Ouvir (YouTube)
Ouvir (Spotify)

Nenhum comentário:

Postar um comentário