Social Icons

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Killed The Fixtion - Discografia

Vivemos uma era onde o mundo está absolutamente globalizado, principalmente devido à internet, que deu esse sentimento a cada cidadão comum; o sentimento de que as coisas estão acontecendo rápido, o sentimento que coisas acontecem o tempo todo. A carga de informações que absorvemos só de estarmos sentados em frente ao computador ou conectados a dispositivos móveis é imensa. Por isso, trazendo para o âmbito de vida do headbanger, conhecemos novas bandas o tempo todo. Basta querer.
Claro, as bandas são compostas por seres humanos que sofrem os mesmos efeitos da globalização que nós, meros apreciadores de música. Isso facilita a influenciação dos músicos como artistas, desembocando na atual era musical, que é um tanto diferente de outrora. Antes, o comum era que uma banda seguisse uma vertente de Metal ou Rock e se mantivesse, meio que só sabendo tocar ela. As bandas que ousavam mudar o direcionamento acabavam falhando, criando trabalhos não muito satisfatórios e forçados.
No entanto, atualmente a parada acontece diferente. Vivemos uma era onde os músicos conseguem tocar mais de um gênero, além de serem capazes de alicerçá-los em uma única musicalidade. Vivemos a era da mistura, a era da diversificação, e, claro, a era dos elementos externos acoplados à música pesada, sejam eles folclóricos ou de estilos musicais distantes.
Digo tudo isso sobre misturas e capacidades de tocar diferentes rótulos porque mais uma excelente banda que se mostra apta a tal é o Killed The Fixtion, formado em 2009 em Hillside e Newark, em Nova JerseyEstados Unidos. A cada lançamento (mesmo que tenham apenas singles por enquanto) trazem algo novo, tornando-os imprevisíveis.
A iniciativa dos amigos Nelson Ceron (vocal), Kevin Izquierdo (guitarra), Roberto Asencio (baixo) e Abbad Ibn Townsend (bateria) de fundar o conjunto significou uma mudança de vida para todos, uma vez que eram acostumados a andar com gangues e causar problemas pelas ruas de Newark, Nova Jersey. Mesmo em um ambiente que comumente não leva ao Heavy Metal, cultivavam entre si um gosto pelo estilo, até que a banda se concretizou.
Após tanto testemunharem incidentes ruins e serem considerados causa perdida, através da música decidiram passar mensagens de positividade, embora de forma agressiva, algumas vezes. Por isso começaram a trabalhar em músicas autorais.
Primeiro lançaram a excelente demo autointitulada, de três músicas. É o único trabalho com mais de uma música até hoje. Essa demonstração saiu em 2010 com uma postura impositiva. A unificação de Heavy Metal tradicional e Punk Rock ficou pesada e energética, com frenéticos solos apimentando a experiência.
O ano consecutivo trouxe apenas uma single, "Pulse". Apenas uma música, porém, de respeito, e de postura bem diferente da demo. Esse é o primeiro indício de versatilidade em todos os sentidos, até mesmo vocal. Os riffs de guitarra são pesados, o baixo é poderoso, o vocal, uma oscilação entre gutural rasgado e forte drive, que aparecem em meio a vocais limpos. É uma sonoridade que une Heavy e Death Metal interpretada a vocais limpos. Foda demais!
Para 2012, novamente, apenas mais uma single, e novamente foda e versátil! "Moonlite Blue" mantém a pesada pegada de "Pulse", mas trás um imprevisível elemento adicional: Blues/Psychedelic Rock. Pois é, cara, imagina uma veia a destruição Heavy/Death Metal com guturais e limpos, caindo do nada em um brisante psicodélico na veia de Janis Joplin?
Em 2013, três novas singles foram lançadas. "Roots of The Mountain" lidera a fileira. Novamente, é diferente. Inspirados nas selvas brasileiras, hibridam elementos tribais ao costumeiro Metal, com triângulos, chocalhos, percussão e voz em harmonia indígena.
Na sequência vem o lindíssimo "Ardour.Awe.Devoir", que já adota uma abordagem Progressiva e Alternativa. Música repleta de feeling, tranquila. Você se sente plainando nas alturas... lembra bastante ao U2 nos anos 80.
Fechando o ano, a single "Sunilda" foi lançada. Esta belezinha novamente mistura Blues, Rock Psicodélico e Rock Progressivo, fazendo uma verdadeira releitura da música sessentista/setentista.
Fechando a discografia, o conjunto trás mais duas singles em 2014. A primeira delas é a "Dead Man March", cuja marca é volta das raízes tribais, uma pesada e arrastada espécie de Groove, bem como agressivos vocais limpos carregados de drive, enquanto a segunda, "Our Mother", é tranquila, à base de violão (embora as guitarras distorcidas participem bastante) e batidas de palmas.
É muito clara a perícia que esses jovens estadunidenses têm para fazer música, muito bem munidos de criatividade e versatilidade, algo altamente recomendado e exigido nos dias de hoje, principalmente por já existir muito "mais do mesmo". Por enquanto, os caras não têm previsão de lançamento para um álbum completo de estreia, mas as várias singles demonstram bastante a identidade própria deles, mesmo que explorem diversas áreas do Rock, Metal e música étnica.
O lado negativo é que ao mesmo tempo em que explorar uma coisa diferente a cada single demonstra abrangência e mente aberta, a falta de um full-lenght dá a impressão de que os caras ainda não encontraram seu norte e não sabem exatamente o que fazer, que ramo seguir. No entanto, ouvir o Killed The Fixtion é uma experiência diferente. Certamente, é unica. E é preciso ouvir de coração aberto. Eles descrevem a si mesmos "como se Ravi ShankarPantera e Gojira se transformassem em Hardcore em uma montanha-russa nas florestas brasileiras".
Como a discografia é curta e leve ainda por enquanto, e baixar single por single significa baixar música por música, algo que considero chato, pus duas opções de download. Uma delas é baixar cada registro separadamente, como é comum aqui no Warriors Of The Metal. Outra é baixar todos de uma vezada só em um único link de download, disponível ao fim da postagem, antes da foto de rodapé.
Explorem o som dos caras, que é fodaço, e, claro, curtam a página no Facebook e sigam-os no Twitter, que é bastante ativo!

|    Official Website    |    Facebook Page    |    Twitter    |
|    Soundcloud    |    MySpace    |    YouTube Channel    |


SHOW & IMPRENSA:
E-mail: killedthefixtion@gmail.com


 Killed The Fixtion (Demo) (2010)

01 - Crank
02 - Shades of Limit
03 - Stronger Than The Fist


 Pulse (Single) (2011)

01 - Pulse


 Moonlite Blue (Single) (2012)

01 - Moonlite Blue


 Roots of The Mountain (Single) (2013)

01 - Roots of The Mountain


 Ardour.Awe.Devoir (Single) (2013)

01 - Ardour.Awe.Devoir


 Sunilda (Single) (2013)

01 - Sunilda


 Dead Man March (Single) (2014)

01 - Dead Man March


 Our Mother (Single) (2014)

01 - Our Mother

Download

Download (todos os discos juntos/all discs at once)

Nenhum comentário:

Postar um comentário