Social Icons

terça-feira, 6 de maio de 2014

Thomas Zwijsen - Discografia

Trabalhos instrumentais são geralmente deixados de lado pela maioria dos ouvintes de música. É até compreensível, pois já fui injusto com trabalhos e canções desse cunho. Meio que vozes encorpam mais as músicas e criam uma relação de identificação com o ouvinte, por ser algo natural e genuinamente humano - afinal, todos nós falamos, exceto algumas exceções. Já álbuns totalmente instrumentais parecem mais distantes de nós, a não ser, talvez, se você for músico.
Provavelmente - mantendo ampla perspectiva -, menos injustiçados que projetos instrumentais plugados, são os acústicos. Digo, é muito comum a grande maioria de nós curtir a beleza do som que as cordas de um violão geram, nylon ou aço. Isso acaba gerando uma maior proximidade que pode tornar a pessoa mais propensa a pegar pra ouvir um disco instrumental acústico do que um plugado.
Enfim, humanidades à parte, tempos vêm e vão, músicos surgem e se aposentam, mas sempre algum trabalho acústico é lançado, ou então um projeto totalmente voltado ao ramo. Então aqui vai algo assim, algo que tenho certeza que todo mundo vai apreciar, principalmente fãs absolutos do Iron Maiden, como eu: o simpático guitarrista belga Thomas Zwijsen.
Nascido em 25 de abril de 1988 em Antwerpen, o contato de Thomas com as cordas começou desde bem cedo, aos nove anos, e se estendeu ao longo de sua infância através dos estudos de violão clássico em diversos conservatórios da Bélgica e da Holanda. Mais tarde, viria a fazer parte do Sarcadia, uma banda também belga que fazia Heavy Metal. Mas não foi o fato dele tocar em uma banda que colocou seu nome na boca de headbangers do mundo inteiro, principalmente os Maiden-maníacos; foi o brilho próprio da exibição de sua habilidade com os violões no Youtube ao transportar ao mundo das cordas de nylon faixas de bandas como Dream TheaterDeep PurpleAlice Cooper, entre outros - sobretudo, claro, o Iron Maiden, banda pela qual conserva grande admiração.
Seus vídeos tiveram tanta repercussão que chamaram a atenção de Blaze Bayley, ex-vocalista do Iron Maiden. A boa relação tecida entre ambos levou à inclusão de Thomas na banda solo do vocalista, participando da composição e assumindo as guitarras no álbum "The King of Metal", de 2012, e nas turnês que se seguiram até 2014.
Hoje Thomas Zwijsen ficou bem conhecido exatamente pelas extensivas turnês com Blaze, onde ainda tinha espaço para mostrar os covers que era capaz de fazer com os violões no início dos shows, mesmo nas turnês plugadas (pois Blaze também realizou uma turnê acústica entre 2011 e 2014). Inclusive, tive, em janeiro de 2014, a oportunidade de comparecer a um show do Blaze Bayley (já na turnê plugada) em Nova Friburgo, região serrana do Rio de Janeiro, pertinho aqui da minha cidade. Normalmente me interesso pelas bandas de abertura de alguma banda maior, ou, esporadicamente, por alguns músicos em particular. Talvez se eu não tivesse conversado tanto com Thomas, eu não teria adicionado ele no Facebook e descoberto que ele tem discos solo.
São exatamente esses trabalhos acústicos que trago com essa postagem. A aclamação tanto em seus vídeos quanto do público que berrava as músicas que tocava durante os shows o levou a lançar, em 2013, "Nylon Maiden", seu primeiro disco solo. É composto por 11 faixas do Iron Maiden, completamente acústicas. Uma coisa linda que só! O belga conta aqui com as participações adicionais de Tony Newton (Voodoo Six) no baixo, Nathanael Taekema na bateria e Anne Bakker no violino quando especialmente necessários em alguns momentos e canções, além de Blaze Bayley em "The Clansman".
Um segundo disco ainda foi lançado em 2014, complementando a discografia, intitulado "Nylonized". Só que, dessa vez, não são apenas músicas do Iron Maiden. São nove covers e três autorais. Os covers passam por Iron Maiden, The WhoRainbow, Dream Theater, indo até mesmo a terras mais distantes como Adele e Agustín Barrios Mangoré. Novamente, um disco muito lindo e sentimental, porém, "faixas de exceção ao direcionamento" também marcam presença, como a faixa-título, canção autoral que abre o disco. Ela tem distorções e solos de guitarra e teclados executados por Kee Marcello (Europe) e Derek Sherinian (Planet X, ex-Dream Theater), respectivamente.
Doze músicos participam do disco, mas entre os mais notáveis encontram-se, além dos dois instrumentistas já mencionados, os vocalistas Blaze Bayley (novamente, pra não perder o costume), David Readman (Pink Cream 69) e Damian Wilson (Threshold), que aparecem em "Perfect Storm", mais uma autoral.
Recomendo demais a quem aprecia trabalhos acústicos e/ou está procurando por algo que una violões e familiaridade! Como um cara que tem o Iron Maiden como banda preferida, tudo o que Thomas Zwijsen faz tem um gosto ainda mais especial, por isso recomendo ainda mais a quem partilha do mesmo amor fervoroso que eu.


 Nylon Maiden (2013)

01 - Aces High
02 - Rainmaker
03 - The Trooper
04 - Dance of Death
05 - Can I Play With Madness?
06 - Blood Brothers
07 - The Clairvoyant
08 - Wasting Love
09 - Wasted Years
10 - The Clansman
11 - The Talisman


 Nylonized (2014)

01 - Nylonized
02 - Black Masquerade (Rainbow)
03 - Panic Attack (Dream Theater)
04 - Behind Blue Eyes (The Who)
05 - Flash of The Blade (Iron Maiden)
06 - Poison (Alice Cooper)
07 - Twilight Zone (Golden Earring)
08 - Highway Star (Deep Purple)
09 - Journey To The South
10 - Skyfall (Adele)
11 - Perfect Storm
12 - La Última Canción (Agustin Barrios Mangore)
13 - The Prisoner (Iron Maiden)


Nenhum comentário:

Postar um comentário