Social Icons

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Windir - Discografia

Essa é uma daquelas bandas bem "estranhas", bem underground, de público bem restrito, geralmente. O pessoal que curte algo Extremo e pagão com certeza, no mínimo, já ouviu falar no Windir, que é excelente na mistura que faz, ou melhor, fazia. A princípio, não há nada de incomum no Black, Folk e Viking Metal, pois são estilos muito bem conhecidos pelo público headbanger. Mas a união desses três elementos, acrescida de uma veia atmosférica, - aí sim - é algo diferente, gerando um resultado "esquisito", porém positivamente viajante!
A banda é norueguesa, fundada em Sogndal. E tal como praticamente toda banda daquelas gélidas terras, os caras mandam especialmente bem no Black Metal, estilo no qual calcam primariamente seu som, ao bom e tradicional estilo norueguês. Portanto, para quem não conhece o conjunto, já é de se esperar uma sonoridade intensa, agressiva e seca, sobreposta por vocais guturais bastante rasgados que se aproximam mais de urros do que de palavras, muito embora os caras compusessem a maioria das letras - que abordam temas mitológicos e históricos nórdicos - em um dialeto ancião de língua materna chamado "Sognamål", dificultando a assimilação de qualquer palavra. Esse dialeto é ainda falado na área de Sogn.
Após o Black Metal, vem os elementos extras: o lado Viking Metal, aparente cá e lá em ritmo e principalmente em coro de backing vocal, executados de forma lenta em vocais limpos e heroicos, e o lado Folk Metal, mais limitado, é verdade, revelado apenas pelos acordeões de Terje "Valfar" Bakken, multi-instrumentista e líder do grupo. E então vem o diferencial dos teclados, que contribuem com profundeza e climatização, definindo o estilo pagão e underground da banda.
Tudo começou em 1994, quando Valfar fundou o Windir, nome também proveniente do dialeto norueguês Sognamål, significando "Guerreiro Primitivo". Seus primeiros companheiros de banda foram o guitarrista Sorg e o baterista Steingrim, ambos membros de sessão, enquanto Valfar, multi-instrumentista, ocupava-se com vocais, guitarra, baixo e teclados. O primeiro trabalho saiu ainda no ano de estreia, a demo independente "Sogneriket", subsequenciada por uma segunda demo vinda no ano seguinte, intitulada "Det Gamle Riket", que, diferente do primeiro trabalho, foi distribuída por um selo (Aurvang) e começou a contar com coros feitos por Sorg.
Ainda com Steingrim como baterista de sessão, e contando também com os vocais limpos de Steinarson, chegou, via Head Not Found, em 1997, o debut "Sóknardalr", disco que lotou Valfar com todos os instrumentos, fora as baquetas. Esse primeiro disco já saiu ótimo, mesmo que ainda se mostre rústico tanto em criatividade quanto em qualidade de gravação. Porém, demonstra com exatidão o que viria a ser a sonoridade do Windir, e em que direção ela seria aprimorada.
Recolhendo mais alguns membros de sessão enquanto continua dividindo sua atenção em todos os instrumentos, Valfar trouxe em outubro de 1999 o segundo e superior álbum "Arntor", que expõe avanços na agressividade do Black Metal, na atmosfera e exploração dos teclados e Folk, além de apresentar uma veia mais melódica e ter a face viking mais aparente. O trabalho também está mais versátil, com variações na composição, com mais partes ambientais mais calmas, levadas nos teclados e violões.
Para o próximo álbum, vários músicos de sessão foram efetivados em suas funções. Valfar passou a se dedicar apenas aos vocais, guitarras adicionais, acordeão e teclados, enquanto Strom e Sture Dingsøyr formaram dupla de guitarras, Hváil ficou no baixo, Steingrim se firmou na bateria e Righ era mais um tecladista. Essa foi a formação que lançou, em 2001, o excelente "1184", disco com uma aura ainda mais intensa e sonoridade mais envolvente e madura. O Black e o Viking Metal são executados mais concisamente, brindando alternadamente entre si com velocidade e cadenciamento. A competência torna o trabalho uma escolha apropriada para quem deseja conhecer a banda.
O quarto, melhor, e último disco da carreira do Windir foi o "Likferd", lançado em 2003, que leva como capa o quadro "Likferd At Sognefjorden", do artista Adolph Tidemand, pintado em 1853. A banda foi obrigada a parar por aqui devido à tragédia da morte de Valfar, que foi encontrado morto por hipotermia no dia 17 de janeiro de 2004 em Reppastølen. O vocalista havia saído no dia 14, a pé, para a cabana da família em Fagereggi, e por sinal, enfrentou nevascas e consequentemente baixas temperaturas, não conseguindo resistir. Em março de 2004, o Windir oficialmente encerrou suas atividades.
No dia 3 de setembro, dia que o vocalista completaria 26 anos de idade, os membros remanescentes realizaram um último show no auditório Rockfeller, em Oslo, a fim de homenagear Valfar e o que foi o Windir. Todos os ingressos foram vendidos. O vocalista Cosmocrator (Mindgrinder) e Vegard, irmão de Valfar, cantaram algumas canções, mas a maior parte delas ficou a cargo do guitarrista Sture. O evento contou com a participação das bandas convidadas FinntrollMindgrinderEnslavedNotodden All StarsWeh e E-Head. Além disso, esta "cerimônia" também marcou o lançamento do disco que fecha a discografia do conjunto: a compilação "Valfar, Ein Windir", composta por dois discos. O CD 1 trás novas canções, restos de materiais não lançados, tributos feitos por outras bandas e gravações ao vivo, enquanto o CD 2 é uma compilação de faixas que compõem os quatro álbuns da banda. Toda a receita de vendas desse registro vai direto para a família de Valfar.
O show foi filmado e lançado em DVD no dia 20 de junho de 2005 através da Tabu Recordings. O registro recebeu o título "SognaMetal".
O Windir teve pouco tempo de estrada: apenas 10 anos de existência. Ainda assim, fez bom proveito desse tempo, lançando quatro excelentes álbuns com uma sonoridade ímpar e única, pois não é qualquer banda que consegue juntar todos esses elementos com qualidade. Claro que os membros remanescentes poderiam ter continuado, mas Valfar era o cabeça da banda, e continuar sem ele seria um tanto vazio. Por isso, a banda foi enterrada juntamente com ele. Alguns membros seguiram em outros projetos, tais como Mistur, Vreid e Cor Scorpii, mas o Windir permanecerá como está. Àqueles que desejam conhecer esse singelo projeto, particularmente, aconselho os dois últimos álbuns, "1184" e "Likferd".


 Sogneriket (Demo) (1994)

01 - Krigaren Si Gravferd
02 - Immortality
03 - Sogneriket
04 - Norrøn Seier
05 - Dans På Stemmehaugen
06 - Fjell Og Dalar
07 - Soge I: Reisen
08 - Soge II: Framkomsten


 Det Gamle Riket (Demo) (1995)

01 - Mørkets Fyrste
02 - Sognarikets Herskarinne
03 - Røvhaugane
04 - Krigaren Si Gravferd
05 - Krystallnatt


 Sóknardalr (1997)

01 - Sognariket Sine Krigarar
02 - Det Som Var Haukareid
03 - Mørket Sin Fyrste
04 - Sognariket Si Herskarinne
05 - I Ei Krystallnatt
06 - Røvhaugane
07 - Likbør
08 - Sóknardalr


 Arntor (1999)

01 - Byrjing
02 - Arntor, Ein Windir
03 - Kong Hydnes Haug
04 - Svartesmeden Og Lundamyrstrollet
05 - Kampen
06 - Saknet
07 - Ending


 1184 (2001)

01 - Todeswalzer
02 - 1184
03 - Dance of Mortal Lust
04 - The Spiritlord
05 - Heidra
06 - Destroy
07 - Black New Age
08 - Journey To The End


 Likferd (2003)

01 - Resurrection of The Wild
02 - Martyrium
03 - Despot
04 - Blodssvik
05 - Fagning
06 - On The Mountain of Goats
07 - Dauden
08 - Ætti Mørkna


 Valfar, Ein Windir (Compilation) (2004)

CD 1:
01 - Stri
02 - Stridsmann
03 - Dans På Stemmehaugen (Re-recorded)
04 - The Profound Power (Re-recorded)
05 - Dauden (Performed By Enslaved)
06 - Ending (Performed By Finntroll)
07 - Mørkets Fyrste (Performed By E-Head)
08 - Destroy (Performed By Notodden All Star)
09 - Likbør (Performed By Weh)
10 - Svartasmeden Og Lunnamyrstrollet (Live From Rosendal Scene, Trondheim)
11 - Blodssvik (Live From Rosendal Scene, Trondheim)

CD 2:
01 - Soge II: Framkomsten
02 - Krigaren Si Gravferd
03 - Sognariket Sine Krigarar
04 - Byrjing
05 - Arntor, Ein Windir
06 - Saknet
07 - 1184
08 - Journey To The End
09 - Martyrium
10 - Fagning
11 - On The Mountain of Goats
12 - Sóknardalr


Nenhum comentário:

Postar um comentário