Social Icons

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Death Angel - Discografia

O povo que nos acompanha há algum tempo, e principalmente os que recebem as atualizações de nossa página no Facebook, sabe bem, devido a algumas declarações minhas, que o Thrash Metal não é o primeiro gênero que me vêm à cabeça após me perguntar "o que ouvir agora?". Claro, isso não quer dizer que eu não aprecie. Quer dizer apenas que eu tenho uma pessoal preferência por outros gêneros, não me impedindo, portanto, de, vez ou outra, curtir a vertente.
O seguinte tipo de declaração não é muito bem acatado pelos thrashers, mas é bem verdade que o estilo é cheio de bandas idênticas umas às outras, mudando apenas o nome. Mesmo entre as que se parecem com várias outras, existem ótimas bandas, sim. Mas se destacar, ousar ser original, fazer diferente e ainda não deixar de ser Thrash Metal é um desafio que poucas bandas aceitam - e mais ainda -, que poucas fazem com louvor... ou pelo menos poucas chegam ao mainstream. Ao pensar em bandas assim, diferenciadas, não-genéricas, fica difícil não vir o nome do Death Angel em mente. Tudo bem, começaram de forma tradicional, mas algo já os dava um ar de identidade desde cedo, até que a partir de "Act III", a sonoridade ganhou nova face, dando uma característica a mais à banda, sem perder sua dignidade.
Estamos falando de uma das bandas mais antigas do tradicional Thrash Metal da Bay Area, que particularmente, é a minha preferência. Formado em 1982 em ConcordSão FranciscoCalifórnia, o grupo nasceu na primavera do estilo naquela região, cedo ao ponto de ainda nem ser perceptível que as bandas daquela área teriam uma característica tão única. No princípio, o conjunto formado pelos jovens primos descendentes de filipinos Dennis Pepa (vocal e baixo), Gus Pepa (guitarra rítmica), Rob Cavestany (guitarra solo) e Andy Galeon (bateria) tinha bastante problemas para decidir o nome da banda, tal como costuma acontecer mesmo... até que Dennis Pepa e Rob Cavestany viram em uma livraria um livro que levava esse nome. A partir daí, passaram a se identificar como Death Angel, e prontamente os trabalhos de composição tiveram início.
O primeiro registro a surgir foi a demo "Heavy Metal Insanity" em 1983, um trabalho mais voltado para um Heavy Metal. Um ano depois, Mark Osegueda sai do status de roadie para o de vocalista da banda. Os caras ganharam alguma visibilidade, faziam constantes shows pela área, chegando a tocar inclusive com o Megadeth em uma das quatro únicas turnês que contaram com Kerry King (Slayer) na guitarra. Nesse meio tempo, compuseram mais algumas músicas e as lançaram em uma segunda demo intitulada "Kill As One", lançada em 1985 e trazendo um salto de sucesso aos caras, uma vez que foi bem distribuída entre os headbangers e os fez serem prestigiados também em Los Angeles e Nova Iorque. Expandindo para outras cidades grandes, foi apenas questão de tempo até que chamassem a atenção de algum selo, ideia que fatalmente ocorreu quando a Enigma Records mostrou-se interessada em inclui-los no seu plantel.
Portanto, antes de qualquer dos membros ter sequer 20 anos de idade, aceitaram o contrato e oficialmente lançaram o fodaço debut "The Ultra-Violence" em 1987, um competente disco com aquele "clima Bay Area" que tanto me atrai, com aquela reverbação característica, certo eco na voz de Mark, que já se mostrava afiado tanto nas passagens mais rasgadas quanto nas mais limpas e agudas. A excelência do disco rendeu uma vendagem de 40 mil cópias em quatro meses.
Rapidamente chega então o "Frolic Through The Park" em 1988, via Restless Records, álbum que aprimora a fórmula do disco anterior, trazendo mais peso e energia, através de músicas mais atraentes e pegadas. O trabalho tem direito até a um cover da faixa "Cold Gin", do Kiss.
Um ano mais tarde, os californianos assinam com outro selo, Geffen Records, responsável pelo lançamento do singular álbum "Act III" em 1990. À primeira ouvida ele me soou um tanto estranho, mas com as repetições foi ficando cada vez melhor, e se tornando mais compreensível o porquê dele ser único. O motivo é simples e ao mesmo tempo autêntico: passaram a executar seu Thrash de uma forma diferente da que normalmente é feita, e competente o suficiente para não perder suas raízes, pois em consonância encontram-se elementos de Funk Rock e Heavy Metal, este último gerando vultos do NWOBHM à mente. A mescla é refletida mais claramente nos solos, que têm aquele swing do Funk. Além disso, o trampo conta também com faixas mais tênues à base de violão, tais como "Veil of Deception" e a famosa "A Room With A View", diversificando, portanto, o compasso desse primoroso disco.
Um fato curioso é que o videoclipe de "A Room With A View" foi lançado sob a sigla "D.A." ao invés do nome completo da banda. Ao ser interrogado por um repórter, o guitarrista Rob Cavestany explicou bem-humoradamente que era uma jogada de marketing, pois o nome "Death Angel" soa restrito e forte, e que se ele próprio recebesse 10 discos que nunca tivesse ouvido falar e um deles fosse de uma banda chamada de tal forma, seria o último a dar atenção.
Ainda em 90, os rapazes foram surpreendidos em Tucson, no Arizona, quando, em uma loja de CDs, depararam-se com um disco deles próprios lançado pela Enigma Records sem o consentimento de nenhum deles. Era o live "Fall From Grace", um bootleg não-oficial gravado no Paradiso, em Amsterdã, Holanda. Não tinha logo na capa, nem créditos, nem nada. O selo Capitol Records também estava obtendo lucro do trampo, provavelmente de forma ilegal.
Na noite seguinte da descoberta do bootleg, uma tragédia assolou a banda na estrada para Las Vegas, para um show, quando o ônibus sofreu um acidente e o baterista Andy Galeon foi gravemente ferido. Sua recuperação levou mais de um ano, e o grupo queria contar com ele ainda, por isso tentaram esperá-lo. Todavia, com a Geffen Records pressionando para que contratassem outro baterista para prosseguir com a turnê (e com os lucros), foram forçados a voltar à estrada e até fizeram alguns concertos no Japão, mas quando não aceitaram contratar um substituto fixo, a gravadora rescindiu o contrato.
O acidente e a rescisão do contrato resfriaram tanto os ânimos da banda ao ponto do vocalista Mark Osegueda desistir da vida musical, sair da banda, e morar em Nova Iorque, fazendo qualquer coisa, menos música. Os membros restantes, embora ainda realizando alguns shows acústicos na área da baía, interpretaram todos os acontecimentos recentes como um indicativo de que a banda não deveria prosseguir, e com isso, encerraram suas atividades.
Ainda interessados em fazer música, mas deixando o Death Angel descansar em paz, os membros restantes iniciaram o projeto The Organization (com Rob Cavestany como front-man, ao mesmo tempo que é guitarrista), nome dado em homenagem à quarta faixa do álbum "Act III". A pegada pouco lembra à do Death Angel, pois executavam um tipo de híbrido entre Heavy MetalHard/Alternative Rock e algumas canções aludem até mesmo ao Grunge. Lançaram dois discos ("The Organization" em 1993, e "Savor The Flavor" em 1995), fizeram shows nos EUA e Europa, mas não engrenaram, culminando o fim do projeto.
Oito anos foi o tempo que se passou sem que Mark Osegueda e Rob Cavestany fizessem um som juntos. Em 1998, finalmente, voltaram a unir forças e começaram o projeto Swarm, que lançou dois EPs ("Swarm" em 1999 e "Devour" em 2000) e uma compilação ("Beyond The End", 2000) e reaproximou bastante os músicos, fazendo voltar a arder aquela antiga chama do Death Angel.
Previsivelmente, o Death Angel foi oficialmente reativado em agosto de 2001 para participar do evento beneficente Thrash of The Titans, em prol do vocalista Chuck Billy, do Testament, que sofria de tipo de câncer provocado por um germe seminoma. Ele sobreviveu, e segue até hoje firme e forte na banda, também oriunda da Bay Area. Gus Pepa não pôde participar do show, que era pra contar com a formação original, por isso, o amigo de longa data e fã Ted Aguilar ocupou seu posto. A ideia era ser um show-exceção-à-regra, mas o público foi tão acalorado que acabaram fazendo mais shows por São Francisco e na Europa, até que não pararam mais.
Quebrando um silêncio de 14 anos sem lançarem novo material, finalmente, em 2004, o álbum "The Art of Dying" veio à luz através da Nuclear Blast, revelando um Death Angel ainda firme e não-genérico, só que um pouco mais thrasher do que em "Act III". Inclusive, Mark demonstra um vocal mais agressivo e rasgado nas passagens mais exigentes, algo que ele viria a aprimorar com mais vigor nos lançamentos seguintes. Um ótimo disco, mas ainda morno.
Em 2005 foi lançada o box-set "Archives & Artifacts", trazendo três discos, sendo que os dois primeiros são os dois primeiros álbuns da banda com faixas bônus, e o terceiro contém raridades. Originalmente, ainda vem um DVD junto, mas como não postamos conteúdo videográfico, estou disponibilizando apenas os três registros fonográficos. Geralmente eu coloco tudo no mesmo link, não importa quantos CDs a compilação tenha, mas nesse caso eu fui compreensivo, pois já que os dois primeiros são álbuns anteriormente lançados, não faria sentido vocês terem que baixar tudo novamente para obter o CD 3. Por isso coloquei duas opções: a de baixar apenas o disco 3, ou tudo junto.
Assim como um belo pontapé escancara uma porta com violência, energético mesmo veio o maravilhoso "Killing Season", em 2008. Aqui os thrashers encontraram puras inspirações em seu próprio gênero, trazendo um disco diferente de qualquer outro lançado anteriormente. É mais pesado, mais veloz, mais voltado para o próprio Thrash Metal. O ritmo acelerado das músicas trazem uma sensação de correria, muito bem transmitida pela beleza e destreza dos riffs das guitarras, pela pegada das baquetas e pelo voraz vocal de Mark, que aprimorou seus drives e demonstra muita vivacidade.
Mais tarde naquele ano, o baixista e membro desde os primórdios da banda Dennis Pepa anunciou seu desligamento. Sua posição foi preenchida em janeiro de 2009 por Sammy Diosdado (All Time Highs, ex-The Sick). Dois mil e nove também foi o lançamento do CD/DVD ao vivo "Sonic German Beatdown: Live In Germany".
Sammy só ficou durante o ano de 2009, saindo rapidamente. Foi então que Damien Sisson chegou à banda. Na mesma época, mais uma baixa significativa ocorreu com a saída do baterista Andy Galeon, substituído por Will Carroll (ex-ScarecrowOld Grandad e Vicious Rumors). Independente das reformulações no line-up, a banda seguiu a todo vapor, e com esse novo sangue lançou o matador álbum "Relentless Retribution" em 2010, um dos álbuns mais pegados do conjunto. Ainda mais agressivo que o anterior, os novos membros demonstraram ter se adaptado bem ao estilo da banda e contribuíram muito bem. Os riffs esbanjam criatividade, o vocal, ainda mais frenético e raivoso, e a velocidade dos arranjos e dos solos, ainda mais acelerada. Um exímio e tempestivo trabalho de Speed Thrash Metal com capacidade para tirar o fôlego, fodaço do início ao fim, sem exageros.
De forma semelhante e tão magnífica quanto (se não mais) soa o álbum mais recente, chamado "The Dream Calls For Blood", lançado em 2013, um dos discos que mais aconselho para quem quer conhecer a esses caras. É matador, avassalador como o Thrash Metal moderno anda sendo. Inclusive, esse trampo chega a me lembrar bastante outro lançado no mesmo ano, o foderoso "Epitome of Torture", do Sodom.
O Death Angel é, ao meu ver, uma das bandas com mais personalidade na vertente. Seus discos podem até mesmo ser compreendidos por "eras", todos de alta qualidade, mesmo que soem ligeiramente diferentes entre si, sem perder a essência. Quem busca algo tradicional da Bay Area, pode iniciar por quaisquer um dos dois primeiros discos. Quem deseja algo mais abrangente, diferenciado e arriscado, "Act III" se faz uma bela pedida. Já aqueles que buscam porrada com característica Speed, "Relentless Retribution" e "The Dream Calls For Blood" são obrigatórios. Sem sombras de dúvidas, esta é uma das melhores bandas que o Thrash Metal tem a oferecer.


 Heavy Metal Insanity (Demo) (1983)

01 - No Time For Love
02 - The Hunted
03 - Intruder
04 - Barren Lands


 Kill As One (Demo) (1984)

01 - Thrashers
02 - Kill As One
03 - The Ultra Violence
04 - Mistress of Pain


 The Ultra Violence (1987)

01 - Thrashers
02 - Evil Priest
03 - Voracious Souls
04 - Kill As One
05 - The Ultra-Violence
06 - Mistress of Pain
07 - Final Death
08 - I.P.F.S.
09 - Thrashers (Demo Version) (Bonus Track)
10 - Kill As One (Demo Version) (Bonus Track)
11 - The Ultra-Violence (Demo Version) (Bonus Track)


 Frolic Through The Park (1988)

01 - 3rd Floor
02 - Road Mutants
03 - Why You Do This
04 - Bored
05 - Devil's Metal
06 - Confused
07 - Guilty of Innocence
08 - Open Up
09 - Shores of Sin
10 - Cold Gin (Kiss Cover)
11 - Mind Rape
12 - Dehumanization (Bonus Track)
13 - Silent Killer (Bonus Track)
14 - Witches of Knave (Bonus Track)


 Fall From Grace (Live) (1990)

01 - Evil Priest
02 - Why You Do This
03 - Mistress of Pain
04 - Road Mutants
05 - Voracious Souls
06 - Confused
07 - Bored
08 - Kill As One
09 - Guilty of Innocence
10 - Shores of Sin
11 - Final Death


 Act III (1990)

01 - Seemingly Endless Time
02 - Stop
03 - Veil of Deception
04 - The Organization
05 - Discontinued
06 - A Room With A View
07 - Stagnant
08 - EX-TC
09 - Disturbing The Peace
10 - Falling Asleep


 The Art of Dying (2004)

01 - Intro
02 - Thrown To The Wolves
03 - 5 Steps of Freedom
04 - Thicker Than Blood
05 - The Evil Incarnate
06 - Famine
07 - Prophecy
08 - No
09 - Spirit
10 - Land of Blood
11 - Never Me
12 - Word To The Wise


 Archives & Artifacts (Compilation) (2005)

CD 1 - The Ultra-Violence:
01 - Thrashers
02 - Evil Priest
03 - Voracious Souls
04 - Kill As One
05 - The Ultra-Violence
06 - Mistress of Pain
07 - Final Death
08 - L.P.F.S.
09 - Thrashers (Demo Version) (Bonus Track)
10 - Kill As One (Demo Version) (Bonus Track)
11 - The Ultra-Violence (Demo Version) (Bonus Track)

Download

CD 2 - Frolic Through The Park:
01 - 3rd Floor
02 - Road Mutants
03 - Why You Do This
04 - Bored
05 - Devil's Metal
06 - Confused
07 - Guilty of Innocence
08 - Open Up
09 - Shores of Sin
10 - Cold Gin (Kiss Cover)
11 - Mind Rape
12 - Dehumanization (Bonus Track)
13 - Silent Killer (Bonus Track)
14 - Witches of Knave (Bonus Track)

Download

CD 3 - Rarities:
01 - Vulture's Nest (Demo)
02 - The Hurt (Unreleased Song)
03 - Conflict of Interest (Demo)
04 - A Passing Thought (Demo)
05 - Elegy (Demo)
06 - Aspirations (Demo)
07 - Dismal (Demo)
08 - The Morrows Memoirs (Demo)
09 - Samson (Demo)
10 - Frolic Through The Park (Garage Recording)
11 - Betrayed (Studio Outtake)

 The Long Road Home (Compilation) (2007)

01 - A Room With A View
02 - Veil of Deception
03 - Seemingly Endless Time
04 - EX-TC
05 - Stop
06 - Thrown To The Wolves
07 - Spirit
08 - Evil Priest
09 - Voracious Souls
10 - The Ultra-Violence
11 - 3rd Floor
12 - Mistress of Pain


 Killing Season (2008)

01 - Lord of Hate
02 - Sonic Beatdown
03 - Dethroned
04 - Carnival Justice
05 - Buried Alive
06 - Soulless
07 - The Noose
08 - When Worlds Collide
09 - God vs. God
10 - Steal The Crown
11 - Resurrection Machine


 Sonic German Beatdown: Live In Germany (Live) (2009)

01 - Intro
02 - Seemingly Endless Time
03 - Voracious Souls
04 - Mistress of Pain
05 - EX-TC
06 - 3rd Floor
07 - Thrown To The Wolves
08 - 5 Steps of Freedom
09 - Thicker Than Blood
10 - The Devil Incarnate
11 - Disturbing The Peace
12 - Stagnant
13 - The Ultra-Violence
14 - Bored
15 - Kill As One


 Relentless Retribution (2010)

01 - Relentless Revolution
02 - Claws In So Deep
03 - Truce
04 - Into The Arms of Righteous Anger
05 - River of Rapture
06 - Absence of Light
07 - This Hate
08 - Death of The Meek
09 - Opponents At Sides
10 - I Chose The Sky
11 - Volcanic
12 - Where They Lay


 The Dream Calls For Blood (2013)

01 - Left For Dead
02 - Son of The Morning
03 - Fallen
04 - The Dream Calls For Blood
05 - Succubus
06 - Execution; Don't Save Me
07 - Caster of Shame
08 - Detonate
09 - Empty
10 - Territorial Instinct; Bloodlust
11 - Heaven and Hell (Black Sabbath Cover)

Download (4shared)
Download (Ulozto)

 The Bay Calls For Blood: Live In San Francisco (Live) (2015)

01 - Left For Dead
02 - Fallen
03 - Buried Alive
04 - The Dream Calls For Blood
05 - Execution/Don't Save Me
06 - Truce
07 - Detonate
08 - Bored
09 - Caster of Shame
10 - Territorial Instinct/Bloodlust

Download (Ulozto)
Download (Zippyshare)

3 comentários:

  1. Obrigado cara... valeu msm. Vcs são os melhores..

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelos ups aí, tava procurando esses albuns fazia tempo, ótimo trabalho.

    ResponderExcluir