Social Icons

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Firehouse - Discografia

Firehouse certamente é conhecido por uma grande gama de pessoas, principalmente as que são ligadas no que fazia sucesso nos anos 80 e 90. Eu mesmo, graças ao bom gosto musical dos meus pais, conheço-os porque alguns de seus hits como "I Live My Life For You" e "When I Look Into Your Eyes" fazem parte da playlist deles. E não é pra menos, uma vez que são verdadeiras pérolas, perfis do que o Firehouse é (no que diz respeito a músicas baladas, pelo menos).
Apesar das baladas terem ido longe e sobreviverem até os dias de hoje, não apenas disso a banda sobreviveu. É bem verdade que são mais uma banda daquelas que chegaram, digamos, "atrasadas" (pelo menos em se tratando de lançamentos. Foi fundada em nos anos 80, mas começou a lançar discos a partir de 1990), fazendo algo que fez sucesso na década anterior (o Hard Rock), mas ainda assim eles tiveram hits fortes como "Don't Treat Me Bad", "All She Wrote", "Reach For The Sky", e mais uma balada como "Love of A Lifetime", fazendo um forte nome para si.
Geralmente, bandas de Hard Rock que chegam nos anos 90 tendem a, se não acabar, mudarem de gênero, principalmente embarcando na onda Grunge da década, o que fatalmente aconteceu com o Warrant, por exemplo. Contudo, o Firehouse não embarcou nessa. Chegaram sim a acrescentar outros elementos na sonoridade, mas não era o Grunge, e sim o Alternative Rock, mas mantendo viva uma base Hard Rock. É bem verdade que, pelo menos ao meu ver, a qualidade musical desceu, mas pelo menos a mudança não foi tão horrenda. O que interessa, de qualquer modo, é que essa é uma excelente banda que costuma ser relacionada nos assuntos sobre Hard Rock antigo de forma merecida.
Na verdade, as raízes do Firehouse infincam fundo no solo da história, remontando ao ano de 1984, época em que a banda do guitarrista Bill Leverty, chamada White Heat, precisava de um baterista. Já haviam feito 20 audições, e nenhum havia correspondido às expectativas, até que se impressionaram com Michael Foster, que chegou a eles após ler o anúncio. Rapidamente o chamaram para integrar a equipe, e os shows começaram por clubes de Rock. Em um desses clubes, uma banda chamada Maxx Warrior contava com um vocalista particularmente interessante aos ouvidos de Leverty e Foster. Ele era Carl J. Snare, com sua voz belamente aguda, com leves e ocasionais rasgados e determinada. Ficaram realmente interessados em contar com aquele vocalista, impressionados com sua técnica. Tão logo o Maxx Warrior acabou, Levery e Foster não perderam tempo e chamaram ele e o baixista Perry Richardson, que também integrava a banda.
No fim da década, o White Heat mudou-se para Charlotte, na Carolina do NorteEstados Unidos, onde começaram a tocar em hotéis, e gravar demos no quarto de Bill Leverty. Pouco depois, o nome da banda ganhou marca registrada (não por eles), levando-os a mudá-lo. Assim nasce, em 1989, oficialmente, o Firehouse. O primeiro contrato profissional foi obtido ainda em dezembro daquele ano, quando Michael Caplan, da Epic Records, saiu de Nova Iorque apenas para ver um dos shows, e prontamente oferecer-lhes o contrato, que foi aceito. Logo, o grupo já estava em estúdio com o produtor David Prater (Dream Theater) gravando material para o debut.
Logo o primeiro disco ganhou largas e positivas repercussões mídia afora. "Firehouse", lançado em 1990, é um excelente disco de estreia, daqueles de Hard que valem a pena serem escutados. Foi tão bem sucedido que foi à platina dupla pela RIAA, além de ter rendido à banda diversos prêmios como o American Music Award para Melhor Banda de Hard Rock/Heavy Metal em 1991; Melhor Nova Banda de 1991 pelas revistas Metal Edge Magazine e Young Guitar Magazine, além do mesmo título pela revista Music Life Magazine em uma enquete em 1992. O maior sucesso individual foi a single "Love of A Lifetime", música balada amplamente tocada pelas estações de rádio, alcançando a posição 3 nas paradas e vendendo 500 mil cópias. No Canadá, Japão e Cingapura, o disco foi à ouro.
O segundo álbum chegou já em 1992, intitulado "Hold Your Fire". Comercialmente falando, não foi tão bem sucedido quanto o debut, apesar de três singles terem feito sucesso e vendido bastante ("Sleeping With You", "Reach For The Sky" e "When I Look Into Your Eyes"). Somente nos EUA, vendeu quase 900 mil cópias, além de ter ido a ouro. Talvez as vendagens foram menores pelo início da queda do Hard e ascensão do Grunge. Todavia, ao meu ver, "Hold Your Fire" é o melhor disco da banda. É mais pesado, mais maduro, mais empolgante e melhor construído e produzido. Isso sem falar nos hits, que são melhores do que os anteriores, além de "When I Look Into Your Eyes" ser minha música preferida deles.
Em 1995 chegou mais um fodaço e bem sucedido álbum. "3", produzido por Ron Nevison (Ozzy OsbourneHeartLed ZeppelinEurope, etc.), reconquistou o clamor da mídia e fez sucesso pra cacete não apenas nos Estados Unidos, mas no mundo afora, principalmente Ásia (continente onde o disco foi a ouro em diversos países). A primeira e linda single balada "I Live My Life For You" chegou ao top 20 nos Estados Unidos, levando o vocalista Snare a orgulhosamente dizer que foram a única banda do gênero a alcançar o top 20 sem ter que fazer drásticas mudanças por causa da mudança na indústria musical. É verdadeira a ideia de que o Firehouse não deixou de fazer Hard Rock em "3", mas houve mudanças. A sonoridade ficou mais limpa e ganhou um clima mais alternativo, acessível e comercial. Mas isso, felizmente, não retira a qualidade desse excelente disco.
A seguir, já em 1996, chegou "Good Acoustics". Produzido pelo próprio guitarrista Bill Leverty e indo a ouro em seis países, trata-se de um lindo álbum que revisa seus maiores sucessos em arranjos completamente acústicos, e também conta com quatro novas músicas.
Foi então que a gravadora passou a divulgá-los muito pouco nos Estados Unidos devido à queda do Hard Rock e estilos que repercutiram bem nos anos 80. Isso provocou insatisfação no Firehouse, levando-os a romper o contrato e assinar com o selo japonês Pony Canyon. Essa foi uma cartada oportunista por parte do conjunto, já que a banda mantinha grande fama e prestígio pela Ásia. Por meio do novo selo, lançaram o fraco álbum "Category 5", um título até irônico. Não é de todo ruim, mas é bem abaixo do que os caras haviam lançado até então. É bem calmo, comportado, cheio de baladas, bastante alternativo, e não chega a encher tanto os olhos. Curiosamente, fez sucesso pra cacete na Ásia, rendendo uma extensiva turnê que perdurou ao longo de 1998 e 1999. A turnê também teve uma extensiva perna nos Estados Unidos em 1998. Um dos shows asiáticos, realizado no dia 22 de abril de 1999 em Osaka, no Japão, foi gravado e lançado mais tarde naquele ano sob o título "Bring 'Em Out Live". Registro bom demais, mostrando para aqueles que ainda não os havia ouvido ao vivo que a banda tem competência e muita fidelidade ao próprio som em palco!
Entrando nos anos 2000, o conjunto sofreu sua primeira baixa. O baixista e fundador Perry Richardson saiu por conflitos pessoais. Sua vaga foi ocupada por Bruce Waibel (ex-The Gregg Allman Band). Com ele, lançaram o álbum "O2" mais tarde naquele ano. Novamente, um bom álbum, o trabalho mantém a veia alternativa. O lado bom é que revela de forma mais convincente o Hard Rock, porém, de uma forma mais modernizada. Como o novo baixista Bruce Waibel havia tocado por 10 longos anos com o The Gregg Allman Band, ele acabou não se adaptando novamente a turnês e ficou cansado. Logo, saiu da banda para passar mais tempo com a família, e infelizmente veio a falecer aos 45 anos em 2003.
O próximo baixista foi o brasileiro Dário Seixas, que participou da composição e gravação do álbum "Prime Time", lançado em 2003. Ao meu ver, é melhor que o anterior, o que justifica as positivas críticas em relação a ele. É mais pesado, mais Hard Rock do que Alternativo, e dota de excelentes faixas. Apesar de não ser o álbum preferido de qualquer fã, é um cuja audição não é um desperdício de tempo, pois é muito bom. Dário também permaneceu por pouco tempo. Seu substituto veio a ser então Allen McKenzie.
Apesar do relativo sucesso de "Prime Time", era notável que o Firehouse estava caminhando a passos cada vez mais lentos. Até por isso não chega a ser uma novidade que os anos que sucederam ao disco tenham transcorrido silenciosamente, comercialmente falando. A banda só fez shows (principalmente na Ásia, como de costume) e deu algumas entrevistas. Chegaram a anunciar um novo álbum em 2007, mas anos se passaram e a promessa não se concretizou imediatamente. Foi somente em 2011 que isso foi ocorrer, e não exatamente da forma que se esperava. "Full Circle", o nono álbum de estúdio dos caras, saiu recheado de críticas negativas vindas tanto da mídia quanto dos fãs. Muitas das faixas que o compõem são antigos hits sob uma nova roupagem, complementados por algumas ocasionais faixas novas. Notas baixas, muita reclamação e gritos de que a banda estava encerrando a carreira modelaram o cenário.
Desde então, nada de fato relevante aconteceu na carreira do Firehouse. É uma pena que tenham lançado álbuns tão fodas no início da carreira, e mesmo que não tenham sido tão absurdos na mudança de sonoridade (até porque se apoiavam bastante no fato de que os asiáticos os amam e gostam do que fazem com seu Hard), é mais uma banda a não manter vivo o mesmo clamor e sucesso comercial e público do início da carreira. É mais uma banda que, infelizmente, apenas sobrevive hoje. Circulam rumores de que a banda está para acabar, mas nada realmente concreto vem à tona. Mas o que importa de verdade é que, apesar dos apesares, estamos falando de uma excelente banda que nos presenteou com álbuns que valem a pena demais serem ouvidos, e que com certeza os fãs de Hard e vertentes similares os prestigiam. Caso você tenha se esquecido da existência desses caras, aqui está uma bela oportunidade de sentir nostalgia e viver um fodástico flashback!


 Firehouse (1990)

01 - Rock On The Radio
02 - All She Wrote
03 - Shake and Tumble
04 - Don't Treat Me Bad
05 - Oughta Be A Law
06 - Lover's Lane
07 - Home Is Where The Heart Is
08 - Don't Walk Away
09 - Seasons of Change
10 - Overnight Sensation
11 - Love of A Lifetime
12 - Helpless


 Hold Your Fire (1992)

01 - Reach For The Sky
02 - Rock You Tonight
03 - Sleeping With You
04 - You're Too Bad
05 - When I Look Into Your Eyes
06 - Get In Touch
07 - Hold Your Fire
08 - The Meaning of Love
09 - Talk of The Town
10 - Life In The Real World
11 - Mama Didn't Raise No Fool
12 - Hold The Dream


 3 (1995)

01 - Love Is A Dangerous Thing
02 - What's Wrong?
03 - Somethin' 'Bout Your Body
04 - Trying To Make A Living
05 - Here For You
06 - Get A Life
07 - Two Sides
08 - No One At All
09 - Temptation
10 - I Live My Life For You


 Good Acoustics (1996)

01 - You Are My Religion
02 - Love Don't Care
03 - In Your Perfect World
04 - No One At All
05 - Love of A Lifetime
06 - All She Wrote
07 - When I Look Into Your Eyes
08 - Don't Treat Me Bad
09 - Here For You
10 - I Live My Life For You
11 - Seven Bridges Road


 Category 5 (1998)

01 - Can't Stop The Pain
02 - Acid Rain
03 - Bringing Me Down
04 - Dream
05 - Get Ready
06 - If It Changes
07 - The Day, The Week, and The Weather
08 - The Nights Were Young
09 - Have Mercy
10 - I'd Do Anything
11 - Arrow Through My Heart
12 - Life Goes On


 Bring 'Em Out Live (Live) (1999)

01 - Intro
02 - Overnight Sensation
03 - All She Wrote
04 - Lover's Lane
05 - Hold Your Fire
06 - Dream
07 - When I Look Into Your Eyes
08 - Acid Rain
09 - Bringing Me Down
10 - Don't Walk Away
11 - Love of A Lifetime
12 - Reach For The Sky
13 - I Live My Life For You
14 - Here For You
15 - Don't Treat Me Bad


 Super Hits (Compilation) (2000)

01 - Love of A Lifetime
02 - Don't Treat Me Bad
03 - Reach For The Sky
04 - Love Is A Dangerous Thing
05 - When I Look Into Your Eyes
06 - Rock On The Radio
07 - All She Wrote
08 - Somethin' 'Bout Your Body
09 - Trying To Make A Living
10 - In Your Perfect World


 O2 (2000)

01 - Jumpin'
02 - Take It Off
03 - The Dark
04 - Don't Fade On Me
05 - I'd Rather Be Making Love
06 - What You Can Do
07 - I'm In Love This Time
08 - Unbelievable
09 - Loving You Is Paradise
10 - Call of The Night


 Prime Time (2003)

01 - Prime Time
02 - Crash
03 - Door To Door
04 - Perfect Lie
05 - Holding On
06 - Body Language
07 - I'm The One
08 - Take Me Away
09 - Home Tonight
10 - Let Go


 Full Circle (2011)

01 - Overnight Sensation
02 - Shake and Tumble
03 - Hold The Dream
04 - All She Wrote
05 - Love of A Lifetime
06 - Don't Treat Me Bad
07 - Reach For The Sky
08 - When I Look Into Your Eyes
09 - You Are My Religion
10 - I Live My Life For You
11 - Christmas With You


Nenhum comentário:

Postar um comentário