Social Icons

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Tierramystica - Discografia

Podem existir centenas, milhares de vertentes e sub-vertentes musicais de todas as categorias no mundo, mas, certamente, nenhuma promove um resgate cultural tão intenso quanto o Metal. É sempre super agradável ver que nosso estilo musical favorito, que geralmente é visto como marginalizado, pobre e agressivo, dar um belo soco na cara das opiniões ignorantes, resumindo as vertentes mais violentas a outras vertentes (a uma parte de um todo variado) que também têm algo interessante a expressar, mesmo que não agrade ao "público aberto".
Por outro lado, temos bandas de diferentes localidades do planeta resgatando culturas de todas as regiões e espaços temporais da História, e isso não necessariamente implica na obrigatoriedade do grupo ser oriundo daquela região ou cultura específica, mesmo que seja o que muitas vezes acontece. Basta ter interesse, estudo, e competência. Mais bonito ainda é ver brasileiros tomando essa iniciativa, em especial girando os holofotes pra uma civilização tão mítica, tão bela, e ao mesmo tempo, tão injustiçadamente esquecida, mesmo que estejam tão próximos de nós: os incas,  ou os povos andinos em geral. Não apenas eles, mas tudo que gira em torno dos povos pré-colombianos, temas espirituais e toda a questão dos conflitos da dominação espanhola também é retratada em forma de letra e música pela banda.
Não houve lenga-lenga; a banda surgiu em janeiro de 2008, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, já com essa proposta fixa na cabeça dos guitarristas e fundadores Fabiano Müller e Alexandre Tellini. O nome escolhido foi o bonito Tierramystica, por motivos óbvios, mas ainda assim me desagrada um pouco, pois é situado na língua espanhola. Admiro e dou atenção a textos e documentários sobre os povos andinos, e sempre me entristeceu que tamanha riqueza cultural e estilo de vida diferenciado tenham sido destruídos por uma cruel dominação espanhola, seja diretamente (pela força), ou indiretamente (através das doenças que trouxeram consigo). Ter o nome (bem como algumas letras) em espanhol, na minha mente, simboliza veneração aos "vencedores", a história sendo contada por eles, e não por quem sofreu. Quando se inverte a primeira pessoa, o ponto de vista, algo realmente interessante pode aflorar. Entretanto, isso não chega a ser um grande problema. É apenas um detalhe. Acredito que seria mais interessante ter passagens e nome na antiga língua desse povo.
De fato, não é um grande problema, pois a musicalidade desses caras é uma coisa que dificilmente se ouve por aí: tudo é calcado no Power Metal, mas belamente complementado por um Folk que se manifesta através de diversos instrumentos, principalmente tradicionais dos povos da Cordilheira. Os incas tinham uma profunda ligação espiritual com a natureza à sua volta, seja ela a fauna ou a flora.  Isso os levava a venerá-la através dos instrumentos musicais, que emitiam seus sons por meio do sopro ou da água. Esses sons imitavam com bastante fidelidade os sons da natureza, principalmente os cantos das aves. A sonoridade do Tierramystica é muito assim; extremamente levado à base de ocarinas, quenas, algumas vezes a zampgona, e muito violão, craviola e charango, sem esquecer dos violinos (menos presentes, mas ainda assim, aparecem). A fusão dos elementos cria uma sonoridade que têm ápices mais fortes, solos velozes ao mesmo tempo em que o faz se sentir na natureza inca, algo feliz, pacífico. O lado Folk faz o "canto dos passarinhos dos instrumentos" ser um acompanhante integral da audição.
Não foi difícil, por sinal, montar a primeira formação do grupo. Contando com André Nascimento no vocal, Ricardo Chileno no backing vocal, violão, ocarina, charango, craviola e bombo legüero, Rafael Martinelli no baixo, Duca Gomes nas baquetas, Luciano Thumé nos teclados e Jesus Hernandes nas quenas, zampognas, ocarinas e charangos, além dos dois fundadores, a banda lançou ainda no ano de estreia o EP "New Eldorado", que contém duas faixas: "New Eldorado" e "Spiritual Song". Ambas viriam a compôr o álbum de estreia no futuro.
No ano de 2009, a banda sofreu baixa com a saída de Jesus Hernandes e do vocalista André Nascimento. Mas foi aí que Gui Antonioli, atual vocalista, ingressou. O posto de Jesus não foi reocupado; suas ocupações se subdividiram entre os demais membros. Dessa forma, o Tierramystica foi incluído na coletânea francesa "Another Story From Heaven 2009", lançou mais um EP (autointitulado) e recebeu o prêmio de "Banda Revelação 2009".
Já o ano de 2010 viu o lançamento do já aguardado debut "A New Horizon" em setembro, que tem uma bela capa como cartão de visitas e teve sua primeira tiragem se esgotando já em dezembro. Mais um membro faz parte do trabalho, o flautista Ademar Farinha, mas como membro não-oficial (ele também viria a participar nas apresentações ao vivo subsequentes, sempre tocando os instrumentos folclóricos). Os trabalhos anteriores e esse ótimo disco (com todo seu instrumental diferenciado interpretado pela voz de um vocalista de voz limpa que eleva o tom com facilidade e domínio e tem suave transição para tons mais graves) somados renderam aos gaúchos inesperadas e fantásticas surpresas. Por exemplo, os caras abriram todos os shows do Epica no Brasil, os três últimos do Scorpions, bem como alguns outros de Symphony XAngraPaul Di'AnnoSepultura, entre outros. Outros "achievements" foram positivos feedbacks da mídia crítica, como na Whiplash e Roadie Crew.
Dois mil e onze não teve novidades em lançamentos. Porém, o conjunto demonstrou sua ascensão ao excursionar pelo país ao lado de mais artistas relevantes como Andre MatosTarja Turunen, o extinto Symfonia, além de tocar em diversos festivais, entre eles o varginhense Roça N' Roll.
No ano seguinte, um DVD ao vivo gravado no Bar Opinião, em Porto Alegre, saiu. "A New Legend, A New Journey" é sinônimo de confiança no trabalho que está sendo feito, afinal, poucas bandas ousam lançar algo do tipo tão cedo!
Por fim, chega em 2013 mais um excelente álbum, o segundo da carreira dos caras: "Heirs of The Sun". Novamente, todos os elementos encontrados no debut se fazem presentes em sua bela sonoridade, fazendo desse disco uma extensão do anterior. Ele serviu muito como promoção da banda, pois muitos do que hoje os conhecem, foi devido a esse disco. 
Que o Tierramystica é uma ótima banda, disso não temos dúvidas. Todavia, confesso que os ouvi sob uma expectativa maior (apesar de não ser forte), e ela não foi correspondida da maneira como eu esperava. Confesso, também, que muitas vezes ouvi mais tentando gostar mais, pois a temática e os elementos são fodas teoricamente, mas a cozinha ainda não funcionou de modo magistral, mesmo que funcionem de forma excelente. Vejo muitos elogios, alguns até mais alongados, sobre a banda, mas não consegui ter essa mesma percepção que essas pessoas. Friso de uma vez que não estou falando que são ruins. O texto acima diz por si só. Mas tenho a sensação de que poderiam ser ainda mais que isso. Acho que ainda falta "aquele" álbum. Ainda falta "aquela" música, sabe?, algo realmente bombástico e que realmente seja um convite irrecusável. Isso, ao meu ver, eles ainda não têm. Quem sabe nos próximos álbuns? Talento e lucidez do que estão fazendo os gaúchos têm, e certamente, se o hepteto se mantiver junto por mais anos a fio, discos ainda mais fodas podem ser produzidos. Mesmo com essa minha percepção, dou como certo que muitos de vocês, caso não conheçam, vão se cativar. Não é pra menos que a banda vem fazendo sucesso ascendente, e muita gente gosta pra caralho. Vale mesmo a pena dar uma conferida! Os caras são excelentes!


 New Eldorado (EP) (2008)

01 - New Eldorado
02 - Spiritual Song


 Tierramystica (Promo) (EP) (2009)

01 - Nueva Castilla
02 - Golden Courtyard (Qorikancha)
03 - New Eldorado (Qapaq Ñan)
04 - Celebration To The Sun (Inti Raymi)
05 - Spiritual Song
06 - Winds of Hope (Suyanawayra)
07 - New Eldorado


 A New Horizon (2010)

01 - Nueva Castilla
02 - Golden Courtyard (Qorikancha)
03 - Celebration To The Sun (Inti Raymi)
04 - New Eldorado (Qapaq Ñan)
05 - Spiritual Song
06 - Winds of Hope (Suyanawayra)
07 - Wide Open Wings
08 - Away From The Dream
09 - The Final Rest


 Heirs of The Sun (2013)

01 - When A New Down Arrives
02 - Vision of The Condor
03 - Essence of Pride
04 - Myths of Creation
05 - Shine, Once Again
06 - Men of Earth
07 - Gate of Gods
08 - Rise of The Feathered Serpent
09 - Llanto de Mi Tierra
10 - Inti Sunset


Nenhum comentário:

Postar um comentário