Social Icons

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Drygva [ Дрыгва ] - Discografia

Ah, cara, o belo, rústico e underground Pagan Folk Metal! Se você ainda não se aventurou por essa pouco famosa vertente, está perdendo uma variedade de bandas que te transportam para um meio completamente eslavo, pagão. Bandas de países derivados da antiga União Soviética são as mais abundantes nesse meio, sendo os russos do Arkona a expressão atual máxima dessa maravilha. Apesar de outras bandas do gênero não serem tão famosas quanto, muita banda foda pode ser encontrada nas redondezas, e uma celas, certamente, é o Дрыгва, ou, transliterando, Drygva.
O grupo é oriundo de Mogilev, na Bielorrússia, e é um exemplar maravilhoso do que é o Pagan Folk Metal: um Folk Metal com muita flauta, muita influência de Death Metal (principalmente no vocal), e um ar tipicamente eslavo e ancião, distante de nossa realidade e nosso tempo. As bandas soam realmente underground!
A banda, cujo nome significa "pântano", ou "brejo", foi fundada no ano de 2006 pelo vocalista (e baixista até 2010) Vital Berazouski, que traçou claramente a proposta de fazer um som voltado para suas antigas raízes patriotas, tanto sonoramente quanto liricamente. As letras falam sobre paganismo e principalmente a natureza e cultura bielorrussa.
Discos começaram a ser lançados a partir de 2009, quando o conjunto lançou a maravilhosa demo independente "Кола Часу". Não seja tímido, pode baixar e ouvir, mesmo sendo demo. A qualidade é ótima e a musicalidade supimpa. Vemos uma musicalidade muito bem direcionada e desenvolvida, controlada pelos rasgados e graves guturais de Vital Berazouski, que são embasados por uma flauta que toca de forma bonita e chamativa. Ela se faz presente nas partes mais pegadas, mas seu destaque brilha nos trechos mais calmos e ambientados. Teclados também são utilizados aqui e acolá, mas não com tanta frequência. O trabalho rendeu pouco depois um contrato com o selo Grailight Productions.
Com um contrato em mãos, ficou mais fácil fazer um trabalho com a confiança de que ele vai ser distribuído. Assim, já em 2010 o fodaço álbum debut "Сын магутнага Рода" veio à tona, apresentando uma grande similaridade com a demo, o que faz desse trabalho algo ainda muito foda. Contando com Vital Berazouski no vocal (e algumas linhas de baixo) e o multi-instrumentista Alyaxey Stetsyuk em todos os outros instrumentos, a principal diferença entre os dois disco de até então é que aqui, os teclados passam a ser amplamente explorados, propiciando uma atmosfera mais épica e concreta ao som, dando mais poder.
Mais tarde naquele ano, novos integrantes foram adicionados ao line-up, tornando a formação mais concreta. Vital Berazouski passou a se dedicar unicamente aos vocais, Alyaxey Stetssyuk ficou com as funções de guitarrista, flautista e tecladista, e os novos membros Alexandr Tolkachyov e Pavel Emelyanov ocuparam o baixo e bateria, respectivamente.
Após a espinha dorsal ser complementada, nada mais justo do que a expectativa de trabalhos mais maduros, correto? Talvez! Depende de como você encara. O primeiro descendente foi o EP "Ланцугi мiнулых стагоддзяў", lançado em 2012 de forma independente. Ele não se parece tanto com o que foi lançado até então. As guitarras estão mais impositivas com seus riffs mais pesados, e as flautas, violões e teclados têm hora para aparecer, apesar de não sumir. É um disco mais próximo do Death Metal do que os outros, mas ainda com o jeito pagão de ser. Ainda assim, é muito foda e o recomendo àqueles que querem um pontapé inicial para conhecê-los, até porque são apenas duas faixas.
A seguir veio a split "В Пасти Новой Войны/Вольница", trazida via Earth and Sky Productions, em 2013. O trabalho, uma parceria entre o Drygva e o Svarga (Сварга, em russo), apresentando duas faixas: "В Пасти Новой Войны" e "Вольница". Ambas são na verdade faixas lançadas em formato digital avulsamente entre 2010 e 2011. Exatamente por isso, a faixa do Drygva pode ser analisada como uma transição entre o presente Folk dos dois primeiros lançamentos e o peso do EP subsequente.
Se você procura algo do ramo para satisfazer seu instinto pagão, sem dúvidas, o Drygva é uma boa pedida. Todos os CDs são fodaços, o que pode fazê-lo ficar despreocupado na hora de pegar um para ouvir. Algo muito bacana e que eu não poderia deixar de mencionar, é que temos uma banda muito parecida com eles em solo brasileiro. Mais especificamente, em Juiz de ForaMinas Gerais: os manos do Hagbard, banda que recomendo desmedidamente!


 Кола Часу (Demo) (2009)

01 - Старажытная Беларусь
02 - Цяжкiя Крокi
03 - Купальская Ахвяра
04 - Правадыр
05 - Апошни паганец


 Сын магутнага Рода (2010)

01 - Прадказанне
02 - Шлях валхвоў
03 - Мацi Вужоў
04 - Сын магутнага Рода
05 - Заклiк
06 - Пад сцягам Пяруна
07 - Подых вайны
08 - Навальнiца
09 - Калi загiнеш у баi
10 - Свята


 Ланцугi мiнулых стагоддзяў (EP) (2012)

01 - Непахіснасць роднага краю
02 - Вясна


 В Пасти Новой Войны/Вольница (Split) (2013)

01 - Дрыгва: В Пасти Новой Войны
02 - Сварга: Вольница


Um comentário: