Social Icons

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Confraria da Costa - Discografia

Os visitantes mais antigos do nosso site certamente já se depararam algumas vezes com bandas e artistas um pouco fora do habitual pintando por aqui. Coisas que normalmente o público de gêneros mais pesados como o Metal geralmente não se interessa muito, seja lá qual for a razão, pessoal ou não. Pois é, cara, essa divertida belezinha aqui também é dessas: bem fora da caixa! 
Deixo claro logo de cara que essa postagem é para um público mais restrito. Tenho certeza que a maioria pode não gostar. Contudo, eu gosto bastante e a sonoridade do Confraria da Costa é enraizada no Blues e Rock Progressivo, apesar de tímidos e disfarçados no meio de uma montanha de diferentes instrumentos folclóricos. O público que muito provavelmente vai gostar (caso já não conheçam) é a galera do Folk, principalmente pirata, como fãs de Alestorm, e também aqueles que gostam de Rock Pirata/Cigano, como, por exemplo, o fantástico (e caótico, diga-se de passagem) Gogol Bordello, claramente a principal influência desses curitibanos. Também acredito que fãs de O Teatro Mágico também simpatizem bem!
Apesar de só ter álbuns lançados a partir de 2010, na verdade o grupo é bem mais antigo que isso. Sua fundação real ocorreu em 1999 na capital paranaense, quando eram apenas uma banda cover de artistas de Blues e Prog. Faziam shows em localidades da cidade, e pareciam não ter muita ambição de crescimento. Porém, esse parâmetro começou a mudar a partir de 2003, quando a banda passou a ser conhecida como Gato Preto, e a sonoridade foi gradualmente se alterando para algo um pouco mais próximo do perfil atual.
Foi em 2007 que a proposta musical do grupo mudou de vez, quando o baterista Abdul Osiecki e o violinista Jan Kossobudzki se juntaram a Ivan Halfon (vocal, violão e flauta), Marcello Stancati (guitarra e bandolim) e Pantaleoni (baixo) e deixaram de fazer cover, passando a se dedicar à produção de material autoral.
Um longo período ainda se passou, até que finalmente em 2010 o nome da banda foi modificado para Confraria dos Irmãos da Costa, ou simplesmente Confraria da Costa, expressão que os piratas do século XVI utilizavam para definir a si mesmos entre amigos. É até por isso que dizem brincando que seu som é calcado no tradicional Rock 'n' Roll do século XVI, passando de navio em navio, geração após geração, desde 1572, o que os torna uma banda setentista. Hahaha... O novo título ajuda de forma significativa a sacar o tipo de temática que seguem, que é, evidentemente, a dos antigos caçadores de tesouros e assaltantes do mar aberto.
A experiência ao ouvir esse conjunto é única. Muita coisa medieval e náutica lhe vem à mente devido à irônica voz rouca e grave de Ivan e à feliz sonoridade Folk à base de diversos instrumentos que não apenas te fazem imaginar piratas, tabernas e 'filosofia de bêbado', mas até mesmo circos. Podemos pegar o debut homônimo, lançado em 2010 mesmo, como bom exemplo, até porque é o disco que mais gosto. Foda do início ao fim, ele apresenta todos os elementos misturados em harmonia com música cigana, cabaré, e mais bem-vindas ainda, danças boêmias como polca e csárdás! Coisa linda de se ouvir!
Dois anos mais tarde, mais uma obra chega a nossos ouvidos. Trata-se do álbum "Canções de Assassinato". É possível notar um leve maior domínio sobre sua própria sonoridade, até por causa de uma viagem no tempo ainda mais efetiva, pois as músicas estão ainda mais piratas e fazem maior (e também melhor) uso de "backing vocals marujos". Apesar do avanço, na minha opinião, o primeiro disco agrada mais, mas nem tanto assim também, pois ambos são bem similares.
Se você não for muito chegado em coisa do tipo mas estiver interessado em conhecer esses caras, aconselho a ter cautela e a ouvir de mente aberta, compreendendo a proposta, o porquê de ser como é e como deve ser interpretado. Ler essa resenha talvez ajude um pouco, mas música é assim mesmo: de repente você não gosta de algo, mas quando lê e compreende o porquê daquilo ser como é, pode passar a gostar. Afinal, música também é entendimento. Confraria da Costa é do caralho! Caso você seja do tipo que simpatiza com o gênero, suba à bordo desse navio, e por favor, traga seu rum!


 Confraria da Costa (2010)

01 - Homo Tudo Sapiens
02 - Coisas Piores Acontecem No Mar
03 - À Deriva
04 - És Cadavérico!
05 - Confidencial
06 - Eu Já Esqueci Mais do Que Você Um Dia Vai Saber
07 - Canto dos Piratas
08 - Embaixo da Mesa
09 - Certamente A Mente Mente
10 - Caravela Estelar
11 - Réquiem
12 - Não Abra Essa Caixa Com Cobras


 Canções de Assassinato (2012)

01 - Preparar... Apontar... Fogo!!
02 - Balada dos Mortos
03 - Rússia Reversa
04 - Meu Pequeno Demônio
05 - Canções de Assassinato
06 - Hungarian Dance nº 05
07 - As Ovelhas São Iguais
08 - Banquete
09 - Oh! Garrafa
10 - Canção Fantasma
11 - Pablo Delapaz
12 - Tão Mal

Download

 Motim (2015)

01 - Cia. de Canalhas
02 - Não Me Faça Acordar Na Prisão
03 - Motim
04 - O Canalha Que Tu És
05 - Lagartos
06 - Calmaria
07 - Corda Bamba
08 - Dificilmente Eu Facilito
09 - The Basso
10 - Ruim Demais Pra Ser Mentira
11 - Terra Firme
12 - O Fim

Download

Um comentário:

  1. Nem acredito que vocês postaram a discografia dessa banda... acabei de conhecer e me apaixonei.......

    ResponderExcluir