Social Icons

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Kernunna - Discografia

Mesmo os que não são tão ligados na trajetória, mas gostam do Tuatha de Danann, sabem que as coisas foram bem turbulentas após o lançamento do terceiro álbum de estúdio "Trova di Danú", em 2004. Problemas internos de relacionamento entre os integrantes (em especial entre o vocalista Bruno Maia e os demais membros) levaram a banda a uma verdadeira montanha-russa cujo cume do loop era o céu e o fundo era o inferno. Frequentemente mudavam de status ativo, inativo ou em hiato. Essa instabilidade e incerteza de futuro levou os membros a trabalharem em projetos paralelos, como o Braia, banda de Folk Rock de caráter solo do Bruno Maia, e o Tray of Gift, formado pelo guitarrista e vocalista gutural Rodrigo Berne, que levou consigo os demais membros (de 2012) do Tuatha, como o baixista Giovani Gomes, o baterista Wilson Melkor e o tecladista Felipe Batiston.
O Tuatha de Danann segue ativo, procurando estabilidade. Enquanto isso... os projetos paralelos rolam soltos, e Bruno Maia não se segurou apenas com o Braia. Afim de formar uma banda que siga linha mais forte, mas ainda assim dentro do gênero que tanto está acostumado a tocar, Bruno formou o Kernunna no ano de 2012 em sua cidade natal, Varginha, em Minas Gerais.
Com a formação e noção de onde quer chegar com a sonoridade, rapidamente recrutou membros, formando um line-up bem completo, digno de um bom Folk. A partir daí foi apenas questão de pôr a mão na massa e trabalharem no debut.
Para o disco de estréia, o líder Bruno (vocal, guitarra, banjo, flauta e mandolim) contou Diniz na guitarra e vocal de apoio, Khadhu no baixo, violão e Zither, Rodrigo Abreu na bateria, Edgard Britto nos teclados, Alex Navar nas flautas "Tin Whistle" e "Uilleann Pipes" e Daiana Mazza no violino. Só pelos instrumentos tocados dá pra ter ideia de uma sonoridade realmente bacana, certo? Certo!
Foi apenas questão de tempo para, logo em 2013, o primeiro álbum "The Sem Anew" ser lançado. A expectativa, inclusive minha, era de algo na linha do Tuatha, pois tinha na cabeça a informação de que o Kernunna era a continuação da ex-banda. Só que na real não é, é diferente. Não te vem à cabeça seres como duendes. A imagem formada na sua cabeça é um pouco mais madura, como celtas, pois é esse o ramo Folk que o grupo segue, tanto em sonoridade quanto em letras. Porém, as letras também se dedicam em algumas faixas, principalmente a "Curupira's Maze" no folclore brasileiro.
A sonoridade está bem pesada, com guitarras sempre bem presentes, pesando integralmente a atmosfera, ao mesmo tempo em que os demais instrumentos estão lindamente diluídos dentro do mesmo contexto. Isso cria uma atmosfera celta, sólida e homogênea, lembrando muito a conjuntos irlandeses ou italianos do gênero. O Folk por si só é feliz, e esse disco não é diferente, apesar da maturidade, demonstrando que Bruno Maia está mais afiado no Metal Folclórico do que nunca! Mas deixo um aviso: o disco está tão homogêneo que gera certa complexidade na musicalidade, tornando um pouco difícil a dissimilação logo na primeira ouvida. Mas depois de umas três ouvidas você passa a curtir pra caralho, principalmente se você gostar da vertente. Esse trabalho está foda!
Por enquanto, esse é apenas o primeiro passo da nova banda de Bruno Maia, e ao meu ver, muito bem dado. Se o Kernunna for mesmo estável, perdurando por longos anos ainda e lançando discos de tempos em tempos, a banda vai se consolidar, sem dúvidas, e pode se tornar mais um orgulhante expoente do Folk Metal brasileiro! Aguardemos o que o futuro reserva ao Kernunna, e ao Bruno!


 The Seim Anew (2013)

01 - Kernunna
02 - Curupira's Maze
03 - The Seim Anew
04 - Snark
05 - Dreamer
06 - Póg Mo Thóin
07 - The Last of The Seven Ears
08 - The Keys To Given!
09 - Ricorso


Nenhum comentário:

Postar um comentário