Social Icons

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Strange Hobby - Discografia

Quando o assunto é mistério, dificilmente encontra-se alguém como Arjen Anthony Lucassen, o gênio por trás da obra-prima Ayreon, que considero o melhor Rock/Metal Opera que já existiu. Em se tratando de trabalhos paralelos... também. O mestre holandês já trabalhou em alguns tantos projetos - inclusive notórios, com grande repercussão, não se limitando apenas ao Ayreon, sua obra máxima - como Star OneGuilt MachineAmbeon, entre outros. E claro, instintivamente deduz-se que se essa publicação é sobre ele, é porque se trata de mais um trabalho paralelo.
Quem ver essa postagem deve logo pensar "caraca, mais um??", ainda mais sabendo que sou fã de carteirinha! Pago pau pro Arjen incansavelmente pois nada é capaz de medir o tamanho da genialidade e profissionalismo desse cara, e acima de tudo, o tamanho de sua humildade! É um cara que sou fã tanto como profissional quanto como pessoa, o que faz com que seja natural que eu fale bem dele. Portanto, aguentem! Hahaha...
Enfim, falando do que interessa, isso aqui não é exatamente um projeto paralelo, mas um álbum paralelo, apenas. Não é nem projeto, nem banda. O intuito aqui foi fazer brincadeirinha mesmo. Strange Hobby faz jus ao nome, pois não passa de um hobby estranho e misterioso.
O disco foi lançado no ano de 1996. A essa altura, Arjen estava começando a caminhar mais a sério na estrada da carreira musical, já tendo lançado o primeiro álbum solo "Pools of Sorrow, Waves of Joy" em 1994 e o primeiro do Ayreon, "The Final Experiment", em 1995, quando reviveu a configuração Rock Opera das cinzas. Portanto, não é um disco altamente produzido, cheio dos efeitos sintetizados como os que são introduzidos nos releases mais recentes. Mas é muito, muito bom, se assemelhando de forma íntima ao seu primeiro álbum solo, exceto pelo fato de que o trabalho é completamente composto por covers. São Dezoito faixas regravadas de artistas que o influenciaram em seu desenvolvimento musical. A maioria é dos anos 60, mas há também artistas setentistas e oitentistas, oscilando entre o Psicodélico e o Rock Progressivo por meio de conjuntos como The BeatlesStatus QuoPink FloydBob DylanThe WhoThe Beach BoysKaleidoscope, entre outros. Todas as canções foram rearranjadas pelo próprio Arjen, que também gravou todos os vocais e instrumentos, exceto bateria e sintetizadores.
Mas qual o mistério desse disco, afinal? Bem, a bagaça é que o álbum é "não-creditado", ou seja, não há informação alguma sobre os envolvidos na produção ou em qualquer setor. O encarte não contém nenhuma informação nem sobre ele próprio. Na verdade, eu considero apenas um álbum paralelo, mas se é um projeto, uma banda, ou qualquer coisa do gênero, é uma incógnita. Exatamente por isso existe um ponto de interrogação no centro da arte da capa. É o nome do álbum? Nome da banda? Ambos? Vai saber... Claro que as vendas foram um fracasso, até porque o holandês ainda era bem desconhecido. Anos mais tarde, afirmaria: "pode não ter sido inteligente de um ponto de vista comercial, mas foi divertido." Arjen e suas brincadeirinhas...


 Strange Hobby (1996)

01 - Arnold Layne (Pink Floyd Cover)
02 - Norwegian Wood (The Beatles Cover)
03 - Pictures of Matchstick Men (Status Quo Cover)
04 - I Am A Rock (Simon & Garfunkel Cover)
05 - Boris The Spider (The Who Cover)
06 - In The Room of Percussion (Kaleidoscope Cover)
07 - Sunny Afternoon (The Kinks Cover)
08 - See Emily Play (Pink Floyd Cover)
09 - For No One (The Beatles Cover)
10 - I Want You (Bob Dylan Cover)
11 - Bus Stop (The Hollies Cover)
12 - Flowers In The Rain (The Move Cover)
13 - The Letter (The Box Tops Cover)
14 - Ride A White Swan (T. Rex Cover)
15 - Sloop John B. (The Beach Boys Cover)
16 - Daydream Believer (The Monkees Cover)
17 - Catch The Wind (Donovan Cover)
18 - Ice In The Sun (Status Quo Cover)


Nenhum comentário:

Postar um comentário