Social Icons

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Skiltron - Discografia

É bem natural que, quando o tema seja bandas sul-americanas, as brasileiras recebam bastante destaque. Todos sabemos que temos grandes bandas aqui, e isso algumas vezes nos faz esquecermos de nossos vizinhos. Nas terras à esquerda do nosso imenso país existem excelentes bandas, e uma delas é o Skiltron.
É engraçado como o tempo passa... Eu conheci e ouvi um bocado esses caras há muitos anos, quando eles tinham apenas o primeiro álbum, "The Clans Have United", de 2006. Como na época tinha outros vícios, acabei deixando de lado, principalmente porque meu PC passou por uma formatação que me fez perder muitas bandas que só fui redescobrir anos mais tarde. Quando "desenterrei" esses argentinos, eles já tinham lançado o "The Highland Way", de 2010. Resolvi sacar o som, e vi como os caras tinham amadurecido!
Pois é, a banda é oriunda de Buenos Aires, capital da Argentina, e é um ótimo exemplar de que os hermanos também manjam do Metal Celta. Os caras fazem um excelente Folk Metal mesclado com Power/Heavy Metal, responsáveis principalmente por rápidos e técnicos solos que alternam entre as flautas e intensas gaitas de foles. Quem gosta do gênero e procura algo executado de forma um pocuo mais forte, aí vai uma boa pedida!
Apesar das informações oficiais mostrarem que o Skiltron foi fundado em 2004, as raízes na verdade afincam mais profundamente o solo até o ano de 1997, quando Emilio Souto (guitarra, mandolim, bouzouki, harpa, etc.) e Matias Pena (bateria) formaram a banda Century ao lado de outros dois amigos. Contudo, o projeto foi posto à parte quando ingressaram na banda Feanor, e entrou num hiato definitivo em 2001 quando seus dois amigos deixaram saíram. O projeto só retomou as atividades em 2004, quando mudaram o nome para Skiltron (derivado do termo "schiltron", que se refere à formação de soldados lanceiros que ficam na linha de frente nas batalhas com suas lanças e barreiras a fim de conter a cavalaria inimiga).
Apesar dos dois serem os únicos membros oficiais até então, chicotearam o burro e o projeto andou, tanto que ainda em 2004 lançaram a demo "Gathering The Clans", que conta com o vocalista Javier YuchechenFreddy MacKinlay nas gaitas e Gustavo Fluentes nas flautas, auxiliando a dupla. Emilio cuidou também das linhas de baixo.
Um contrato com a Underground Symphony foi obtido, e então o debut "The Clans Have United" emergiu, agora contando com o baixista Fernando Marty, fazendo da dupla um trio oficial. Vários músicos deram uma mãozinha a fim de alcançar a atmosfera Folk que desejavam, e um deles foi o vocalista Javier Yuchechen, que seguiu como membro não-oficial e gravou os vocais. Sua voz é muito boa, mas não daquele tipo que você respeita e sente sua presença. Meio que apenas faz seu dever de casa. Ainda assim, o disco é muito bom, Folk pra cacete! Mas isso viria a melhorar bem...
Em 2007, mais uma demo foi lançada, a exemplo da primeira, de forma independente: "The Blind Harry Demo". Aqui os caras mostram estão mais completos e maduros, a começar pelo line-up, que agora é mais extenso: Diego Valdez no vocal (esse faz diferença!), Emilio Souto na guitarra e mandolim, Juan José Fornés na segunda guitarra, Fernando Marty no baixo, Matias Pena na bateria, Esteban D'Antona na viola, Diego Spinelli nos diferentes tipos de flautas e Pablo Allen na gaita de foles escocesa. Com uma formação tão completa, já era de se esperar um próximo álbum bem completo, e de fato, foi o que ocorreu!
"Beheading The Liars" chegou de forma empolgante no ano de 2008, percebendo-se logo de cara que a clima medieval está ainda mais bem preenchido, coeso e criativo em razão dos diversos instrumentos folclóricos, mesmo que a gaita de foles se mostre predominante. Outro detalhe é o vocal de Diego Valdez, que caiu muito bem na sonoridade um pouco mais pesada, e que lembra bastante o vocal de Ronnie James Dio, e as guitarras se mostram ainda mais aparentes tanto em peso da distorção quanto em velocidade e virtuosidade dos solos. Para mim, o melhor álbum dos argentinos, com alta qualidade tanto musical quanto de gravação, mesmo se tratando de um trabalho independente!
No meio tempo até 2010, o flautista Diego Spinelli deixou o grupo, fazendo com que Pablo Allen se encarregasse de suas flautas, além da gaita de foles. Com isso, o trabalho de composição prosseguiu, e novamente de forma independente, chegou o terceiro e excelente álbum de estúdio, "The Highland Way". Apesar de continuar sendo o Skiltron desenvolvido e amadurecido do último lançamento, ao contrário dos demais, esse trabalho tem partes em que nenhum instrumento Folk toca. Mesmo breves, a lacuna é incômoda, ao menos a mim. Fora que a sonoridade está mais pesada e seca, fazendo com que em diversos momentos dentro de uma mesma música você se sinta dentro do clima medieval, e de repente isso seja tirado de você, em seguida, posto de volta. É estranho, ainda assim, um álbum de qualidade e que vale a pena ser ouvido!
Por razões não reveladas, todos os membros, exceto Emilio e Matias, que sempre foram os originais, deixaram o conjunto em 2011. Quatro, mais precisamente, incluindo o vocalista Diego Valdez, o que mais sinto falta nesse exílio em massa. O que fizeram, talvez por problemas de relacionamento com Emilio e Matias, foi fundar uma outra banda exatamente do mesmo cunho chamada Triddana, o que indica que o motivo da saída não foi por divergências musicais. Na tentativa de recompletar a formação, apenas o baixista Ignacio Lopez ingressou, e novamente, o Skiltron seguiu como trio voltando a contar com membros não-oficiais para composição e gravação de um próximo disco.
Há males que talvez venham para o bem, ou pelo meio-bem. "Into The Battleground" foi lançado em 2013 se mostrando uma fusão entre o antigo e o novo Skiltron: pega os fortes e empolgantes elementos Folk de "Beheading The Liars" e a forte pegada de "The Highland Way", criando um álbum excelente, apesar de se assemelhar mais com esse último! O vocalista principal é Tony Thurlow, mas há outras participações especiais de peso aqui também, como por exemplo a de Jonne Järvelä (Korpiklaani), cantando "The Rabbit Who Wanted To Be A Wolf", além do antigo vocalista Javier Yuchechen voltando a mostrar as caras na faixa "Loyal We Will Stand". O mais legal é que nesse álbum, a sonoridade tem momentos de beleza, não se resumindo apenas à fortes riffs e instrumentos Folk. Há cadenciadas de viola, partes mais tranquilas, algo que realmente aprecio. Bom demais! Para mim, o segundo melhor dos caras!
O Skiltron pode não ser a melhor banda Folk de todos os tempos, mas os caras fazem um trabalho competente, agradando principalmente àqueles que procuram um Folk com uma pegada mais pesada, que mas não chegue a ser um Death Metal como no caso do Eluveitie, e que também não seja tão leve e puxada para o Melódico como o Elvenking.


 Gathering The Clans (Demo) (2004)

01 - Gathering The Clans
02 - By Sword and Shield
03 - Sixteen Years After


 The Clans Have United (2006)

01 - Tartan's March
02 - By Sword and Shield
03 - Sixteen Years After
04 - This Crusade
05 - Rising Soul
06 - Pagan Pride
07 - Stirling Bridge
08 - Gathering The Clans
09 - Coming From The West
10 - Across The Centuries
11 - Spinning Jenny (Bonus Track)


 The Blind Harry (Demo) (2007)

01 - The Vision of Blind Harry
02 - Praying Is Nothing


 Beheading The Liars (2008)

01 - Skiltron
02 - The Beheading
03 - I'm What You've Done
04 - Praying Is Nothing
05 - Calling Out
06 - The Vision of The Blind Harry
07 - Hate Dance
08 - Sings Symbols and The Marks of Man
09 - Tiet The Spirit Be
10 - Fast and Wild
11 - CridesCrides (Calling Out) (Occttan Version)


 The Highland Way (2010)

01 - Bagpipes of War
02 - Between My Grave and Yours
03 - One Way Journey
04 - Awaiting Your Confession
05 - A Last Regret
06 - The Bonfire Alliance
07 - Storm In Largs
08 - St. Patrick's Death
09 - Through The Longest Way
10 - Join The Clan
11 - For Those Who Have Fallen In Battle


 Into The Battleground (2013)

01 - Brosnachadh
02 - Lion Rampant
03 - The Swordmaker
04 - On The Trail of David Ross
05 - Besieged By Fire
06 - The Brave's Revenge
07 - Merrsadh Air
08 - The Rabbit Who Wanted To Be A Wolf
09 - Loyal We Will Stand
10 - Prestonpans 1745
11 - Esbat


Nenhum comentário:

Postar um comentário