Social Icons

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Magni Animi Viri - Discografia

Tem quem não pare pra pensar e curta o Symphonic Metal que vier, mas há quem sinta falta de algo um pouco mais, digamos, masculino. Vemos uma cena sinfônico-metálica dominada por intérpretes femininos, que se apresentam através de bandas que, apesar de espetaculares, têm parentescos muito próximos, fazendo com que suas sonoridades sejam bem parecidas e, em vista da grande quantidade de bandas no ramo, o gênero se torne saturado. Isso ocorre não apenas com o Symphonic Metal, mas também com o Power Metal e o Thrash Metal, o que limita a criatividade das bandas.
Enquanto conversava com um amigo sobre essa saturação, e claro, sobre o domínio feminino do gênero, "descobrimos" nossa necessidade de buscar uma banda que fizesse algo do tipo, mas utilizasse, ao invés de sopranos, os tenores. Uma das poucas bandas que conhecíamos até então que utilizava um pouquinho disso era o magnífico Haggard, mas precisávamos de mais. No meio dessa garimpagem internet adentro, dentre algumas bandas nada a ver que descobrimos e passamos a curtir, encontramos uma que satisfazia mais ou menos os pré-requisitos que procurávamos, e ela é exatamente o tema desse post: o erudito e respeitoso projeto italiano Magni Animi Viri e seu único álbum "Heroes Temporis", lançado em 2006.
Isso aqui é bastante desconhecido, apesar de belíssimo, por isso sequer informações sobre o ano de fundação estão disponíveis. Contudo, sabe-se que surgiu em Salerno, na Itália, por iniciativa dos pianistas Giancarlo Trotta e Luca Contegiacomo, que buscavam produzir um trabalho que mesclasse ópera com algo de Metal. Para tal, contaram com uma orquestra completa, a Orquestra Sinfônica Búlgara, comandada pelo Maestro Giacomo Simonelli, que também toma as rédeas na condução do coral. Dentre os oito músicos convidados nos diversos instrumentos musicais, destacam-se alguns mais relevantes como o guitarrista Marco Sfogli (James LaBrieCreation's End), o baixista Randy Coven, que já fez parte de bandas como Ark e Yngwie Malmsteen, e o baterista John Macaluso, que já tocou na carreira solo do James LaBrie (na época Mullmuzzler), com Yngwie Malmsteen, Ark, Riot, ao vivo pelo Symphony X, entre outras.
O resultado foi o único e independente álbum intitulado "Heroes Temporis", que chegou às vitrines em 2006, e que digo que preenche mais ou menos os requisitos que desejávamos porque ele não é exatamente aquilo que tínhamos em mente, algo como um Epica ou Nightwish com vocal tenor, apesar de ser lindo. Trata-se de um trabalho que retrata uma predominante musicalidade operística, onde fortes e maravilhosos vocais tenores cantando em latim e italiano, que por vezes alternam com um vocal feminino, enfeitam uma atmosfera de filme épico que trás junto de sua correnteza corais que lembram muito aos de bandas como Rhapsody of Fire, fazendo desse disco algo realmente poderoso e magnífico. O lado Symphonic Metal na verdade se resume à base, que conta com um participativo contrabaixo, guitarras base que raramente solam, e bateria que faz apenas o dever de casa. O resto, o lado erudito, é fenomenal! Sonoridade gostosa, cheia de classe, e dependendo da faixa, relaxante ou empolgante!
Se você procura algo nesse calibre, gosta de Música Clássica ou tem curiosidade no ramo, saiba que isso aqui é algo mágico, e vale a atenção, principalmente se procura vocais tenores. Se gostar de Therion, é mais um ponto positivo rumo ao deliciamento dessa obra!


 Heroes Temporis (2006)

01 - Colonna Sonora
02 - Heroes...
03 - ...Temporis
04 - Intus
05 - Finché
06 - Pensieri
07 - Tertia Viqilia
08 - Mai Più
09 - Desertanima
10 - Vorrei
11 - Come Un Falco
12 - Uritur
13 - Sai Cos'è?
14 - Immenso
15 - Fortis
16 - Senza Respiro
17 - Outro
18 - CS Instrumental


Nenhum comentário:

Postar um comentário