Social Icons

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Amaseffer - Discografia Comentada

Se tem algo que me encanta na música, é quando uma sonoridade recebe uma pesada e grata influência da cultura local, ou quando um certo tema é proposto e conseguem fazer com que cada detalhe sonoro gire em torno do clima atmosférico exigido por ele. Isso eu considero música de alto nível, e com certeza, o Amaseffer faz parte do meu rol de bandas encantadoras do gênero.
Trata-se de uma banda de Progressive Metal com elementos Folk e sinfônicos formada em 2004, oriunda de Tel Aviv, em Israel. A ideia de transformar inspirações sagradas judaicas em vibrações musicais provém da mente de dois homens: o guitarrista Yuval Kramer e o baterista Erez Yohanan. O intuito era criar uma trilogia histórica a fim de contar (talvez nem eles tivessem ideia de que seria de modo tão espetacular) a história do Êxodo, segundo livro do Antigo Testamento tanto na Bíblia quanto no Torá, compreendendo desde o período de escravidão dos hebreus no antigo Egito, passando através do deserto, até a entrada das doze tribos de Israel na terra prometida de Canaã, que mais tarde viria a se tornar o Estado de Israel.
Após a entrada do guitarrista Hanan Avramovich em 2005, fechando o line-up oficial, o título escolhido pelo trio foi "Amaseffer", vindo do hebreu "עם הספר", ou, transliterando, "Am Ha'Sefer", que significa "Povo do Livro Sagrado", nome vindo do Antigo Testamento que se refere aos israelitas ou ao povo judeu, como estamos acostumados a ouvir por aí eles se achando "o povo escolhido".
Em 2006, durante o processo de composição do primeiro disco, a caça por um vocalista entrou em atividade. Em agosto, Andy Kuntz, do Vanden Plas, excelente banda alemã de Progressive Metal, foi recrutado para o som da luz. Por meio dele, o conjunto conseguiu acesso ao Bazement Studio, na Alemanha, para a gravação do álbum. Contudo, a estada de Andy foi curta, pois logo em 2007 ele se desligou do Amaseffer. Pouco tempo depois conseguiram um novo vocalista, e esse viria a permanecer com  e gravar o debut, mesmo que não como membro oficial: Mats Levén, do Krux, ex-TherionAt Vance e Yngwie Malmsteen.
Em novembro de 2007 o disco estava finalizado. Em abril de 2008, um contrato com a InsideOut Music foi assinado, possibilitando uma escala global de lançamento para o seu debut em junho, que recebeu o nome "Exodus: Slaves For Life".
O que esse disco tem de foda pra caralho não é brincadeira, rapaz. A intro "Sorrow" já demonstra com perfeição o nível de produção ao longo do trabalho: largo uso de instrumentos musicais dos mais variados, inclusive os que dão pitadas Folk como flautas, cenário interpretado por sons ambientais, como passos e sons de cavalos, bem como é possível perceber também de cara o seu direcionamento lírico: o Êxodo. A única frase dessa introdução ("Veeleh shemot bene Yisrael ha'baim Mitsramah") é narrada pelo baterista, baixista e fundador Erez Yohanan, que também toma conta desse trampo vocal. A passagem é a introdução do livro: capítulo 1, versículo 1, que significa "Estes, pois, são os nomes dos filhos de Israel, que entraram no Egito com Jacó;".
Ao longo de toda a extensão do decorrer do álbum você é arrepiado por uma sonoridade de produção bombástica, incrivelmente cinematográfica, maravilhosamente progressiva e cativante! O vocal meio, digamos, "nasal" do Mats Levén casou de forma perfeita e natural com a sonoridade desértica e orquestral. Os laços do casório ficam com nós ainda mais firmes quando as participações especiais entram em cena; afinal, não é apenas a produção sonora do disco que é de alto nível, mas os convidados também são interessantes e de respeito. A voz de Levén é contrastada por Kobi Fahri (Orphaned Land), cuja voz tem participação em partes mais orientais e egípcias onde há extensão de vocais cantadas e nos coros; por Angela Gossow (ex-Arch Enemy) e Yotam Avni (Prey For Nothing), que, lado a lado, somam seus guturais na impactante "Midian", de 10 minutos de duração; bem como por Maya Avraham na faixa "Zipporah", que tem uma voz muito parecida com a da Schlomit Levi, ex-Orphaned Land. Cada detalhe é bem observado. Os corais (que contam com cinco membros fixos além das participações especiais), as tablas, flautas, etc., cada detalhe a cargo de um músico diferente. O álbum, cuja história tem início com a escravidão dos hebreus, passa pelo nascimento de Moisés e termina com as dez pragas do Egito, é sensacional e vale muito a pena dar atenção!
Em junho de 2009, a banda decidiu quebrar seu contrato de três álbuns com a InsideOut Music, porém os motivos não foram divulgados. Janeiro de 2010 já foi marcado pela entrada da banda em estúdio para a gravação do segundo álbum, dessa vez no Amaseffer Studio, em Jerusalém. Em abril, o título foi revelado como sendo "When The Lions Leave Their Den", junto com a informação de que todas as letras foram escritas por Yotam Avni, do Prey For Nothing, e que Mats Levén continuaria sendo o vocalista. As gravações se encerraram em julho daquele ano, e sua mixação e masterização foram feitas na Alemanha. A procura por uma gravadora a fim de que o disco fosse lançado se iniciou desde então, e a banda teve esperanças de que isso ocorresse no início de 2011, o que não aconteceu, por isso seguem à procura, sem uma data concreta para o lançamento. Uma pena! A julgar pelo primeiro disco, e pelo completo otimismo dos membros, mais um trampo impecável está a caminho!
Ao ver uma banda desse tipo, com certeza é difícil não relacioná-los ao Orphaned Land ou ao Myrath, e é exatamente por aí mesmo. Se você curte um som nesse calibre e procura mais bandas do gênero, o Amaseffer é uma pedida fora de série, brilhante. Ao meu ver, um trabalho não para agradar fãs de Progressive Metal, ou de Folk Metal, ou Ambiental... mas pra agradar a quem gosta de MÚSICA, tanto a judeus quanto a palestinos... bem, vamos melhorar isso aí: para agradar a gregos e troianos.

|    Facebook Page    |


 Exodus: Slaves For Life (2008)

01 - Sorrow
02 - Slaves For Life
03 - Birth of Deliverance
04 - Midian
05 - Zipporah
06 - Burning Bush
07 - The Wooden Staff
08 - Return To Egypt
09 - Ten Plagues
10 - Land of The Dead

Ouvir (Spotify)

Nenhum comentário:

Postar um comentário