Social Icons

terça-feira, 14 de maio de 2013

Vulcano - Discografia Comentada

Essa é uma banda cheia de glória, cheia de história, e cheia de orgulho. Uma banda vinda dos primórdios do Metal no Brasil, desde antes mesmo de ser possível imaginar que era possível tocar música de tal forma: extrema, violenta, seca, raivosa. Eram tempos difíceis na história brasileira, já que a Ditadura Militar se traduzia em um comando estatal autoritário, assumindo o controle de muita coisa, especialmente a mídia. Enquanto o Heavy Metal explodia no resto do mundo, principalmente na Europa e Estados Unidos, no Brasil a carroça ia de ré, dificultando o conhecimento e propagação de bandas como AC/DCIron MaidenJudas Priest, e afins. Mas sempre existiram aqueles que acabam por conhecer algo mais, digamos, "raro", se inspiram, e desejam fazer igual. É aí que os amigos Zhema RoderoPaulo Magrão e Carli Cooper decidiram criar uma banda que seguisse essa linha ainda durante o período da ditadura, em 1981, quando a Nova Onda do Heavy Metal Britânico estava em ascensão, e a música tocada de forma extrema estava começando a dar seus primeiros passos, com bandas como Venom, por exemplo, dando origem ao Death Metal e Black Metal. Foi assim que o Vulcano surgiu em SantosSão Paulo. Orgulhosamente considerada a primeira banda de Metal Extremo do Brasil, e possivelmente a primeira da América Latina.
Fechando a formação com Genne no vocal, Paulo Magrão e Marcelo nas guitarras, Zhema Rodero no baixo e José Piloni nas baquetas, o primeiro trabalho lançado pelos caras, com todas as dificuldades do mundo, foi o EP "Om Pushne Namah", de 1983. O compacto contém quatro faixas cantadas em português mesmo, onde é apresentado um Heavy Metal arcaico e sem firulas, com ótimos solos. De algum modo, chegam até a lembrar o Barão VermelhoUltraje A Rigor, ou talvez o Salário Mínimo, ou bandas nacionais da linha.
A dificuldade não se encontra apenas em meios de gravar seu material, mas também em questão de estabilidade do line-up. Em 1984, metade da formação já havia se modificado, com os dois guitarristas saindo e entrando apenas X-Remainder, e o vocal também mudando, sendo agora o Angel, portador de uma voz mais agressiva, reflexo da futura proposta sonora da banda. Com isso, sai naquele ano a demo "Devil On My Roof", com uma inovação logo de cara: agora as letras são em inglês. O resto é perceptível ao ouvir: houve a mudança de sonoridade para um Heavy Metal mais pesado, beirando o Thrash Metal e o Death Metal, principalmente em função do vocal do Angel que é violento, furioso.
De modo progressivo, o Vulcano foi ganhando repercussão, mas de modo humilde. Shows começaram a ser feitos, mas muito pelo interior de São Paulo, dificilmente adentrando a capital. Mas com a boa recepção do público pelos locais onde passavam, acabaram por, mesmo sem um álbum gravado, lançar um disco ao vivo em 1985 intitulado "Live!", gravado na cidade de Americana. Aqui a formação havia se alterado novamente, pois X-Remainder deixou seu cargo de guitarrista, cedendo para Zé Flávio e Soto Jr., além das baquetas terem ficado agora por conta de Laudir Piloni. Mas esse não é apenas mais um disco ao vivo dentre muitos no mundo. Esse tem marco histórico: foi o primeiro trabalho de Metal ao vivo lançado no Brasil. Ele não recebeu qualquer tipo de mixagem, e a performance dos músicos é ótima.
Mesmo durante o período negro da Ditadura Militar, a banda conseguiu dar seu jeito de sobreviver e conseguir alguma repercussão. Mas agora a coisa já estava mais livre: a democracia abraçou a nação, o Rock In Rio surgiu, e o Rock e o Metal começaram a bombardear com mais intensidade os ouvidos dos brasileiros. A coisa ficou mais acolhedora. Os rapazes acabaram por assinar com a Rock Brigade Records, desembocando no lançamento de seu primeiro debut em 1986, intitulado "Bloody Vengeance". O disco é uma verdadeira amostra do que o Vulcano viria a fazer em basicamente todos os seus álbuns posteriores: uma sonoridade obscura, porradeira, e podre, no sentido positivo da palavra. Esse tipo de sonoridade underground e fechada é aparentemente um grande orgulho da banda, o que os faz preservar esse lado mesmo nos lançamentos recentes, propiciando prazer aos ouvidos dos ouvintes mais conservadores.
Para os próximos trabalhos, mais mudanças na formação: os guitarristas Zé Flávio e Soto Jr. saíram, mas foi o baixista Fernando Levine que entrou, fazendo com que Zhema Rodero se movesse para a guitarra. As mudanças se estenderam até as baquetas, com a saída de Laudir Piloni para a chegada de Arthur Von Barbarian. Com a nova configuração, numa paulada só, com a mesma sonoridade e as mesmas letras sobre ocultismo, vieram em sequência os álbuns "Anthropology" em 1987 e "Who Are The True?" em 1988, sequência tal que ia completamente contra a maré da mídia, que apresentava músicas mais "light", o que pode ter feito o conjunto desanimar, por terem esperança de ganhar maior repercussão.
No ano seguinte, o guitarrista Soto Jr. retorna ao Vulcano, tornando-o um quinteto novamente, e lançam o último álbum antes de um longo hiato: "Ratrace", em 1990. Durante o resto da década de 90, as atividades da banda foram praticamente nulas, se reduzindo a shows aqui ou ali. O que houve mesmo de relevante foi o fato da clássica Cogumelo Records ter relançado os discos nesse meio tempo, além do fato de terem feito parte de uma coletânea da gravadora lançada em 2000, onde a música "Bloody Vengeance" fora incluída.
No novo milênio, o grupo dá sinais de volta à ativa, mas acabam por sofrerem um terrível baque com a morte do guitarrista Soto Jr., devido a pressão alta. Isso pode ter atrasado os passos da banda, mas não os fez desistir de trilhar a estrada.
A volta por cima veio em 2004, quando lançaram o brutal álbum "Tales From The Black Book", dessa vez com Zhema Rodero de volta à posição de baixista e os novos membros Andre Martins e Cláudio Passamani nas guitarras. Aqui se segue aquilo que falei: a essência underground continua viva na banda, com um belo som sujo que vai contra a "limpeza" das bandas que invadiam a cena desde os anos 90.
Em 2006, o split "Thunder Metal" foi lançado ao lado do Nifelheim, banda de Black/Thrash Metal da Suécia. Eu acho muito interessante essa parceria que atravessa o Oceano Atlântico. Mas nesse ano, novamente ocorre instabilidade no line-up: o baixista Zhema Rodero volta à guitarra, ao lado de Fernando Nonath, novo guitarrista; Carlos Diaz ocupa o contrabaixo e VX é o novo baterista.
O sexto e excelente álbum de estúdio do Vulcano só veio a ser lançado em 2009, recebendo o título "Five Skulls and Once Chalice", milagrosamente sob a mesma formação. Mas claro, nem tudo seria mil maravilhas, pois já no ano seguinte, o símbolo e membro de longa data da banda deixa seu posto. Infelizmente, estamos falando do vocalista Angel. Junto com ele vai meia-formação, só restando.
Contudo, desistir não é uma opção. Zhema Rodero levou a banda ao lado do baterista Arthur Von Barbarian que já acompanha a banda há anos, e seguiram em frente, chamando apenas Luiz Carlos Louzada para sentar no trono deixado vazio por Angel. Cuidando do baixo e da guitarra, em 2011 o ótimo álbum "Drowning In Blood" é lançado.
Com menos membros na banda, e esses mais dedicados, ficou mais tranquilo manter a formação estável, alcançado até os dias de hoje. O disco mais recente nas prateleiras é o fodástico "The Man The Key The Beast", de abril de 2013.
Então cá está a discografia de uma banda que é um verdadeiro marco na história da Música Extrema brasileira. Uma banda que ousou fazer diferente quando todos seguiam linha oposta, e lutou pra que tudo desse certo, resultando em vários discos lançados, retratando, principalmente, seu orgulho e devoção pela atmosfera mais antiga, mais conservadora. Tudo bem que o Sepultura foi formado em 1984, portanto, durante os tempos difíceis da ditadura e também foram contra a maré, protagonizando importantemente o teatro do Metal no Brasil, mas o Vulcano veio ainda antes, e injustamente, teve menos repercussão, mas maior apegação às suas origens.


 Om Pushne Namah (EP) (1983)

01 - Cidade dos Porcos
02 - Besta Cibernética
03 - Santos City
04 - Perdido, Achado e Regenerado

Ouvir (Bandcamp)

 Devil On My Roof (Demo) (1984)

01 - Witches' Sabbath
02 - Devil On My Roof
03 - The Signals
04 - Fallen Angel
05 - Prisoner From Beyond
06 - Ready To Explode

 Live! (Live) (1985)

01 - Witches' Sabbath
02 - Prisoners From Beyond
03 - Fallen Angel
04 - Riding In Hell
05 - The Signals
06 - Guerreiros de Satã
07 - Devil On My Roof
08 - Total Destruição
09 - Legiões Satânicas
10 - Land of Misery
11 - Tears of Truth
12 - Shadow In The Mirror

Ouvir (Bandcamp)

 Bloody Vengeance (1986)

01 - Dominios of Death
02 - Spirits of Evil
03 - Ready To Explode
04 - Holocaust
05 - Incubus
06 - Death Metal
07 - Voices From Hell
08 - Bloody Vengeance

Ouvir (Bandcamp)

 Anthropophagy (1987)

01 - Red Death
02 - Death Angel's Armies
03 - Brainwash
04 - F.T.W. (Fuck The War)
05 - Fallen Angel
06 - Anthropophagy
07 - Anyone Can Kill
08 - Stirring
09 - (Am I Crazy?)
10 - Megathrash
11 - Upright

Ouvir (Bandcamp)

 Who Are The True? (1988)

01 - The Next
02 - Who Are The True?
03 - Different Lands
04 - Fuck Them
05 - Witches' Sabbath (1985 Version)
06 - Never More
07 - Flies Around The Shit
08 - Do You Remember?
09 - Hercobulus

Ouvir (Bandcamp)

 Ratrace (1990)

01 - White Violence
02 - Last Day
03 - Blind Scince
04 - Welcome To The Army
05 - Time To Change
06 - Ratrace
07 - The Lungs of The Earth
08 - Just A Matter of Time
09 - In The Mirror

Ouvir (Bandcamp)

 Tales From The Black Book (2004)

01 - Gates of Iron
02 - The Bells of Death
03 - Priestes of Bacchus
04 - From The Black Metal Book
05 - Devote To The Devil
06 - Fall of The Corpse
07 - Face of The Terror
08 - Guerreiros de Satã
09 - Troubled Mind
10 - The Sign Carved On The Door
11 - Obscure Soldiers
12 - Total Destruição
13 - Bestial Insane

Ouvir (Bandcamp)

 Thunder Metal (Split) (2006)

01 - Nifelheim: Sepulchral Fornication
02 - Nifelheim: Raging Flames
03 - Vulcano: The Evil Always Return
04 - Vulcano: Suffered Souls
05 - Nifelheim: Insulter of Jesus Christ (Damnation Cover)

Ouvir (Bandcamp)

 Five Skulls and One Chalice (2009)

01 - Messenger From Hell
02 - Hide Your Hate
03 - The Harvest
04 - Holocaust (The Second Assault)
05 - Five Skulls and One Chalice
06 - Witchcraft Act
07 - The Seventh Seal
08 - Minister
09 - Steed of Steel
10 - Riding In Hell
11 - Legiões Satânicas

Ouvir (Bandcamp)

 Drowning In Blood (2011)

01 - Awash In Blood
02 - Devil's Forces
03 - Total Desolation
04 - Prison In The Hexagon
05 - 100 & 50
06 - Zodiac Attack
07 - They Sold Their Souls
08 - Chapel On Fire
09 - Come To The Carnage
10 - Infamous Poet
11 - The Evil Always Returns

Ouvir (Bandcamp)

 The Man The Key The Beast (2013)

01 - Aninhilate All of Them
02 - No Mercy For Fucking Traitors
03 - Church At A Crossroad
04 - You Have Been Warned
05 - Blood and Champagne
06 - The Man The Key The Beast
07 - Dead Water
08 - The Wizard
09 - The Devil Escaped From The Earth
10 - Compulsive Gambler
11 - In The Silence of The Grave

Ouvir (Bandcamp)

 Panzer Fest 2 (Compilation) (2013)

01 - Panzer: Heretic
02 - Vulcano: Church At A Crossroad
03 - Executer: Inspiration For Crime
04 - Kamboja: Se Deus Pudesse Me Ouvir
05 - Fire Strike: Streets of Fire

 Wholly Wicked (2014)

01 - The Tenth Writing
02 - Pentagram
03 - Daughters of Pagan Rituals
04 - Infusion of Hatred
05 - The Return of A Long Night
06 - Thirst For Vengeance
07 - Wholly Wicked
08 - Tormented
09 - Malevolent Mind
10 - Blowing Death

Ouvir (Spotify)
Ouvir (Bandcamp)

Nenhum comentário:

Postar um comentário