Social Icons

domingo, 14 de abril de 2013

Star One - Discografia

Star One é mais um fodástico projeto do mestre multi-instrumentista e compositor holandês Arjen Anthony Lucassen, cujo nome é frequentemente relacionado ao maior e mais bem sucedido de seus projetos, o fantástico Ayreon, o que considero o melhor Metal Opera existente! Sou fã demais dele, e o Star One é um de seus projetos que eu mais gosto! Entre outros belos trabalhos do músico estão nomes como Stream of PassionGuilt Machine e Ambeon, todos maravilhosos!
Já o Star One, cujo nome provém do nome do último episódio da segunda temporada série Blake's 7, teve seu início no ano de 2002, já após grande consagramento com o Ayreon. Por ter tido bastante contato com Bruce Dickinson (Iron Maiden), inclusive recrutando-o para gravar a música "Into The Black Hole" do álbum "Universal Migrator Pt. II: Flight of The Migrator", de 2000, do Ayreon, a ideia de formar um projeto juntos logo surgiu por parte do Bruce, que almejava mesclar sua voz com a magnífica sonoridade que o Arjen é capaz de criar. Os dois trocaram ideias e começaram a pôr a mão na massa: o Arjen compondo o instrumental e Bruce compondo as letras, chegando a criar quatro faixas. Infelizmente, o projeto foi abandonado pelo empresário do Bruce Dickinson após o Arjen ter mencionado o futuro trabalho na internet. Contudo, ele estava animado e não desistiu... Seguiu em frente com o projeto: mudou as letras, colocando as suas próprias, e assim surgiu o Star One, também conhecido com "Arjen Anthony Lucassen's Star One".
O projeto, que inicialmente era para ter apenas Bruce Dickinson como vocalista, acabou por se tornar um supergrupo de Progressive Rock/Metal, contando quase que em sua totalidade com vocalistas que já haviam participado do Ayreon. Consistindo em Russell Allen (Symphony XAdrenaline Mob), Damian Wilson (Threshold), Dan Swanö (Nightingale, ex-Edge of Sanity) e Floor Jansen (ReVamp, ex-After Forever) nos vocais, o próprio Arjen na guitarra base, diversos tipos de teclados e alguns backing vocals, Gary Wehrkamp (Shadow Gallery) na guitarra solo, Peter Vink (HDK) no baixo, Ed Warby (Gorefest) na bateria e Joost van der Broek (ReVamp, ex-After Forever) nos teclados solo, surge no ano de 2002 o debut "Space Metal".
Apesar de várias semelhanças com o Ayreon na sonoridade, "Space Metal" apresenta uma proposta mais linear. As músicas seguem um ritmo mais unificado, são parecidas umas com as outras, mais pesadas e pegadas, com participação quase frequente dos vocais, quase o tempo todo, que sofrem bastante alternação entre si, além de também serem usados em camada dupla. Um dos pontos que lembram muito o Ayreon são os teclados Hammond, que têm participação fundamental na sonoridade de ambos os projetos, além de um jeito todo Arjen de fazer música, marca forte de sua musicalidade e identidade. Entretanto, a composição vocal é diferente do apresentado em seu maior Metal Opera (composição parecida só viria a ser utilizada de fato a partir do "The Human Equation", de 2004), assim como as letras, que apesar de também falarem sobre ficção científica, não são uma história ou conceito contínuo. O que ocorre é apenas uma inspiração do Arjen em séries e filmes do gênero espacial. Por exemplo, a fodástica "High Moon" é inspirada no filme "Outland", que se passa numa colônia de mineração na terceira lua de Júpiter onde estranhos eventos estão ocorrendo com os mineradores sofrendo alucinações e se matando, eventos esses relacionados a uma droga que eles estavam tomando para ajudá-los a suportar viver naquela lua, e a também fantástica "Songs of The Ocean", inspirada no filme "Star Trek: IV", que conta a história de um dispositivo desconhecido viajando pelo espaço enviando estranhos sinais para a Terra, parecendo estar tentando fazer um tipo de comunicação, mas não com humanos, e sim com uma extinta espécie de baleias, obrigando a tripulação do Star Trek a voltar no tempo para encontrá-las e trazê-las de volta para o futuro para estabelecer uma comunicação entre elas e os sinais do dispositivo, a fim de desvendar suas destrutivas mensagens sobre o fim da Terra. Outros destaques desse fodástico álbum são "Set Your Controls", "The Eye of Ra", "Starchild", entre outros.
Virando a página para o ano seguinte, 2003, mais um lançamento complementou a discografia do projeto, dessa vez ao vivo; o primeiro da carreira do Arjen: "Live On Earth", que saiu inclusive em DVD, um excelente show, com os músicos usando roupas futuristas à moda de seriados antigos (coisa que o Arjen adora), com uma bela performance e um set-list de primeira! Incluindo canções tanto do próprio Star One quanto do Ayreon no repertório, o Arjen levou a palco quase todos os músicos: Russell Allen, Damian Wilson (muito estranho vê-lo de cabelo curto) e Floor Jansen nos vocais. Os músicos instrumentais permaneceram os mesmos. O resto do plantel foi complementado com Robert Soeterboek (ex-Erik Norlander), que havia feito participação especial no debut, no lugar de Dan Swanö, Irene Jansen (como vocal de apoio da irmã Floor Jansen) e Ewa Smarzyńska na flauta. Um DVD muito interessante de se ver, e um disco muito interessante de se ouvir!
A partir de então, o projeto ficou por longos anos em standby, pois o Arjen estava focado no Ayreon, que acabou entrando em hiato após o lançamento do álbum "01011001" em 2008 para que o holandês pudesse buscar novas ideias e inspirações antes de retomar os trabalhos por lá, e posteriormente no Guilt Machine, fodástico projeto de Progressive Metal.
Somente em 2010 é que o Star One foi ser reativado, com o lançamento do "Victims of The Modern Age", um puta álbum foda pra caralho. Contando com todo o line-up do primeiro disco, adicionados pelas participações especiais dos vocalistas Michael Andersson (Cloudscape), Rodney Blaze (Xenobia) e Tony Martin, além do guitarrista Gary Wehrkamp novamente (no primeiro disco ele havia sido membro integral), o trabalho é um pouco mais amplo e mais sonoramente aberto que o seu antecessor. Os vocais em linhas duplas são utilizados de forma mais sutil, e as canções estão com refrões ainda mais melosos, daqueles que grudam de verdade na cabeça, principalmente os cantados por Russell Allen, e quem acompanha o cara e conhece sua voz, sabe do que tô falando. A pegada da bateria e das guitarras estão mais cadenciados para o melódico do que o que foi apresentado em "Space Metal", menos densa e mais preocupada com a beleza. Os teclados Hammond continuam fiéis como base, mas os sintetizadores é que roubam a cena nesse disco, que conta com frequentes solos e passagens do instrumento, apesar de também existirem rápidos e técnicos solos de guitarra. Um disco realmente muito foda, e também linear, com canções seguindo sempre a mesma atmosfera. Faixas como "Digital Rain", "Earth That Was", "Victims of The Modern Age" e "Cassandra Complex" são somente alguns exemplos de um álbum realmente magnífico!
Então aí está o Star One, que atualmente se encontra em hiato, com futuro incerto, mas havendo a vontade de lançar mais álbuns. Mais um projeto forte e agradável do grande Arjen Anthony Lucassen, que não faz coisa ruim, um verdadeiro mestre! Um músico de verdade, de fato!


 Space Metal (2002)

01 - Lift-Off
02 - Set Your Controls
03 - High Moon
04 - Songs of The Ocean
05 - Master of Darkness
06 - The Eye of Ra
07 - Sandrider
08 - Perfect Survivor
09 - Intergalactic Space Crusaders
10 - Starchild

Download

Bonus CD:
01 - Hawkwind Medley
02 - Spaced Out
03 - Inseparable Enemies
04 - Space Oddity (David Bowie Cover)
05 - Starchild (Dolby Pro-Logic)
06 - Spaced Out (Alternative Version)
07 - Shitting In Space

Download

 Live On Earth (Live) (2003)

CD 1:
01 - Lift-Off
02 - Set Your Controls
03 - High Moon
04 - Ayreon: Dreamtime
05 - Ayreon: Eyes of Time
06 - Songs of The Ocean
07 - Ayreon: Dawn of A Million Souls
08 - Ayreon: The Dream Sequencer
09 - Ayreon: Into The Black Hole
10 - Ayreon: Actual Fantasy
11 - Ayreon: Valley of The Queens

CD 2:
01 - Ayreon: Isis and Osiris
02 - Amazing Flight In Space
03 - Intergalactic Space Crusaders
04 - Ayreon: The Castle Hall
05 - The Eye of Ra
06 - Starchild
07 - The Two Gates

Download

 Victims of The Modern Age (2010)

01 - Down The Rabbit Hole
02 - Digital Rain
03 - Earth That Was
04 - Victim of The Modern Age
05 - Human See, Human Do
06 - 24 Hours
07 - Cassandra Complex
08 - It's Alive, She's Alive, We're Alive
09 - It All Ends Here
10 - As The Crow Dies (Limited Edition Bonus Track)
11 - Two Plus Two Equals Five (Limited Edition Bonus Track)
12 - Lastday (Limited Edition Bonus Track)
13 - Closer To The Stars (Limited Edition Bonus Track)
14 - Knife Edge (Limited Edition Bonus Track)


Nenhum comentário:

Postar um comentário