Social Icons

quinta-feira, 14 de março de 2013

Septicflesh - Discografia

Tem bandas de determinados países que têm um jeito todo especial e próprio de fazer determinados tipos de Metal. Isso porque se os gêneros forem muito distantes, não há como criar um link entre eles mesmo. Mas dentro de um mesmo estilo, em especial Extremo, ela costumam ter algo em comum em caso de se tratar de uma banda da Grécia.
É um tanto difícil ouvir o Septicflesh e não relacionar ao Rotting Christ, por exemplo, e vice-versa. Ambos possuem uma atmosfera obscura, densa, Doom, e digamos... com um toque grego. Pelo menos é o que vem à minha cabeça, mas não sei dizer se seria na verdade uma relação subconsciente que meu cérebro cria por saber que as bandas são oriundas de lá. Mas a verdade é que quando se trata nesse estilo específico, eles têm um jeito especial de executar. De fato, esses caras são uma das melhores bandas daquele país.
As letras da banda também são bastante interessantes, pois no princípio abordam bastante temas de fantasia e mitologia, em especial sobre os sumérios, o que automaticamente faz com que diversas letras se tornem galáticas. Mais pra frente já abordam temas mais científicos, e por fim, um pouco de ocultismo.
O então chamado Septic Flesh foi fundado em 1990, na cidade de AtenasGrécia, pelo vocalista e baixista Spiros Antoniou e pelos guitarristas Sotiris Vayenas e Christos Antoniou. Com a entrada do baterista Dimitris Valasopoulos, o primeiro trabalho foi lançado logo em 1991, a demo "Forgotten Path", que rapidamente lhes rendeu um contrato com a gravadora Black Power, que engrenou mais um lançamento no segundo semestre daquele ano, o EP "Temple of The Lost Race".
Em 1993, mais uma demo foi lançada de forma independente, intitulada "Morpheus Awakes", até que um contrato com a Holy Records é assinado e possibilita o lançamento do excelente debut "Mystic Places of Dawn" já em 1994. Porém, antes do lançamento, o baterista deixa o grupo, e a banda fica os anos seguintes trabalhando com bateristas de sessão. Além disso, os teclados ficam por conta do guitarrista Sotiris Vayenas. Enfim, logo nesse disco já é bastante evidente o tipo de sonoridade que os caras viriam a fazer: Symphonic Death Metal. Traços de Doom e Gothic Metal também podem ser levemente apreciados, mas tais traços viriam a se tornar mais fortes em trabalhos futuros. O que peca nesse disco é a qualidade da gravação, que não é tão boa. Ainda assim, é possível dar uma boa viajada e sentir bem as "ruínas" do som desse disco (pois me vêm muito à cabeça imagens de ruínas com símbolos antigos iluminados pela luz de uma tocha). Esse tipo de configuração acompanha a banda no trabalho seguinte, "ΕΣΟΠΤΡΟN", lançado em 1995. 
Algo na banda só vai mudar mesmo, tanto sonoramente quanto na qualidade da gravação quando seu terceiro álbum de estúdio é lançado, o ótimo "Ophidian Wheel", de 1997, quando a vocalista mezo-soprano Natalie Rassoulis é adicionada à formação. Esse e os discos de 1998 (o EP "The Eldest Cosmonaut" e o álbum "A Fallen Temple") são um pouco diferentes dos anteriores, pois a entrada da Natalie fez toda a diferença, apimentando o lado Gothic/Doom Metal da banda, criando esses excelentes trabalhos, que talvez lembrem, inclusive, os discos mais antigos do Therion.
Para o quinto álbum de estúdio, finalmente um baterista oficial é anunciado: Akis Kapranos. Com isso, empolgados e rápidos em seu processo de composição do material, logo em 1999 sai o fodástico "Revolution DNA", mas sem Natalie Rassoulis dessa vez. Esse disco já apresenta mais um Melodic Death Metal que sofre bastante influência do estilo próprio da banda, fazendo com que ele nem se demonstre tanto assim.
Na virada do milênio, em 2000, a primeira compilação é lançada: Forgotten Paths (The Early Days), que contém a sua primeira demo, somadas de mais três faixas ao vivo. O último disco da primeira era do conjunto foi o poderoso "Sumerian Daemons", lançado em 2003, agora com George Tamvakologos como tecladista oficial, que viria a sair no mesmo ano e ser substituído por Bob Katsionis. Aqui a banda já é bem mais agressiva. Sua sonoridade é um exímio Death Metal de alta qualidade somada com influências do Symphonic Metal, criando o que viria ser a marca do som atual da banda. O disco é uma verdadeira pedrada no ouvido, muito foda! Pouco depois do lançamento, a banda veio a encerrar suas atividades, e cada membro seguiu adiante em outras bandas ou projetos. Por exemplo, o guitarrista Christos Antoniou passou a se dedicar integralmente ao Chaostar, projeto que havia formado em 1998. O tecladista Bob Katsionis viria a tocar guitarra no Nightfall e teclados no Firewind, e mais tarde, em 2007, o guitarrista Sotiris Vayenas viria a formar o Aenaos.
Todavia, como (quase) toda banda boa, eles acabam realizando uma reunião e acabam voltando à ativa. Isso veio a acontecer em fevereiro de 2007 com o agora Septicflesh (tudo junto, pois fica mais bonito, segundo Christos, e para simbolizar a nova fase da banda, o que faz sentido, pois a banda se juntou novamente, e o nome também) e com Fotis Bernardo na bateria, que anunciou a reunião para o evento grego Metal Healing Festival, ao lado de Orphaned LandRage e Aborted. Tudo acabou se encaminhando bem, um contrato com a Season of Mist foi assinado, e o sensacional "Communion" foi lançado em 2008, cujo maior pecado é ser curto, com apenas 38 minutos de duração. Mais pedrada no ouvido e mais sinfônico que seu antecessor, esse disco é uma obra-prima, que só viria a ser barrado pelo álbum subsequente, na minha opinião. Além de toda a jogada já tradicional de Symphonic Death Metal, com canções contendo riffs mais pesados que nunca e bateria mais raivosa, uma soma importante nisso tudo é aa adição de orquestra na base, deixando o som brutalmente belo.
A tal obra-prima subsequente veio à luz do sol, ou melhor, à "sombra das trevas" em 2011, sob o título "The Great Mass". Sem sombra alguma de dúvida, um álbum fenomenal, potente, exemplar, e ainda mais sinfônico que seu antecessor, com orquestras mais aparentes e a adição de trechos com vocais mezo-sopranos, dando um contraste realmente épico com o som e os fechados e cavernosos guturais de Spiros Antoniou. É o trabalho que mais gosto dos caras, mas claro, sem menosprezar os excelentes discos anteriores, desde os primórdios da banda. Esse também é o que lembra de forma mais forte ao Rotting Christ, e comete o mesmo pecado do "Communion": infelizmente é curto!
Já em 2013, o debut "Mystic Places of Dawn" foi regravado e lançado, apresentando algumas linhas novas, um pouco de melhora na gravação e nova capa ao estilo do "The Great Mass".
O Septicflesh é uma banda que mostra para o mundo a força do underground grego, que não fica pra trás do resto de seus vizinhos europeus. Banda fantástica, de respeito, com pouca probabilidade de desagradar quem gosta do gênero, ou de estilos relacionados!

OBS: Os primeiros discos da banda foram totalmente remasterizados e relançados junto com novas capas. Os discos "Mystic Places of Dawn" (1994), "ΕΣΟΠΤΡΟN" (1995) e "Ophidian Wheel" (1997) foram relançados em 2013, e "A Fallen Temple" (1998) foi relançado em 2014, todos pela Season of Mist.
Nessa postagem, eu não alterei a data original de lançamento, o que é natural. Mantive todos os discos em sua ordem cronológica original de lançamento, mudando apenas as capas, e claro, adicionando os conteúdos extras que cada nova versão trás.


 Forgotten Path (Demo) (1991)

01 - Intro
02 - Power of The Dark
03 - Melting Brains
04 - Unholy Ritual
05 - Curse of Death
06 - Forgotten Path
07 - Outro


 Temple of The Lost Race (EP) (1991)

01 - Erebus
02 - Another Reality
03 - Temple of The Lost Race
04 - Setting of The Two Suns


 Mystic Places of Dawn (1994)

01 - Mystic Places of Dawn
02 - Pale Beauty of The Past
03 - Return To Carthage
04 - Crescent Moon
05 - Chasing The Chimera
06 - The Underwater Garden
07 - Behind The Iron Mask
08 - (Morpheus) The Dreamlord
09 - Mythos
10 - Erebus (Bonus Track)
11 - Another Reality (Bonus Track)
12 - Temple of The Lost Race (Bonus Track)
13 - Setting of The Two Suns (Bonus Track)

Download

 ΕΣΟΠΤΡΟN (1995)

01 - Breaking The Inner Seal
02 - Esoptron
03 - Burning Phoenix
04 - Astral Sea
05 - Rain
06 - Ice Castle
07 - Celebration
08 - Succubus Priestess
09 - So Clean So Empty
10 - The Eyes of Set
11 - Narcissism
12 - Woman of The Rings (Remastered) (Bonus Track)
13 - Crescent Moon (Live In Lille 1999) (Bonus Track)
14 - Brotherhood of The Fallen Knights (Live In Lille 1999) (Bonus Track)

Download

 Ophidian Wheel (1997)


01 - The Future Belongs To The Brave
02 - The Ophidian Wheel
03 - Phallic Litanies
04 - Razor Blades of Guilt
05 - Tartarus
06 - On The Topmost Step of The Earth
07 - Microcosmos
08 - Geometry In Static
09 - Shamanic Rite
10 - Heaven Below
11 - Enchantment
12 - The Ophidian Wheel (Unreleased Mix) (Bonus Track)
13 - Phallic Litanies (Unreleased Mix) (Bonus Track)
14 - On The Topmost Step of The Earth (Unreleased Mix) (Bonus Track)


 The Eldest Cosmonaut (EP) (1998)

01 - The Eldest Cosmonaut (Video Remix)
02 - Underworld (Act III)
03 - Finale
04 - Woman of The Rings
05 - The Last Time


 A Fallen Temple (1998)

01 - Brotherhood of The Fallen Knights
02 - The Eldest Cosmonaut
03 - Marble Smiling Face
04 - Underworld (Act I)
05 - Temple of The Lost Race
06 - The Crypt
07 - Setting of The Two Suns
08 - Erebus
09 - Underworld (Act II)
10 - The Eldest Cosmonaut (Dark Version)
11 - The Last Time (Paradise Lost Cover) (Bonus Track)
12 - Underworld (Act III) (Bonus Track)
13 - Finale (Bonus Track)
14 - The Eldest Cosmonaut (Video Remix) (Bonus Track)


 Revolution DNA (1999)

01 - Science
02 - Chaostar
03 - Radioactive
04 - Little Music Box
05 - Revolution
06 - Nephilim Sons
07 - DNA
08 - Telescope
09 - Last Stop To Nowhere
10 - Dictatorship of The Mediocre
11 - Android
12 - Arctic Circle
13 - Age of A New Messiahs


 Forgotten Paths (The Early Days) (Compilation) (2000)

01 - Intro
02 - Power of The Dark
03 - Melting Brains
04 - Unholy Ritual
05 - Curse of Death
06 - Forgotten Path
07 - Outro
08 - Power of The Dark (Live)
09 - Forgotten Path (Live)
10 - Melting Brains (Live)


 Sumerian Daemons (2003)

01 - Behold... The Land of Promise
02 - Unbeliever
03 - Virtues of The Beast
04 - Faust
05 - When All Is None
06 - Red Code Cult
07 - Dark River
08 - Magic Love's Infinity
09 - Sumerian Daemon
10 - Mechanical Babylon
11 - Infernal Sun
12 - The Watchers
13 - Shapeshifter


 Communion (2008)

01 - Lovecraft's Death
02 - Annubis
03 - Communion
04 - Babel's Gate
05 - We The Gods
06 - Sunlight/Moonlight
07 - Persepolis
08 - Sangreal
09 - Narcissus


 The Great Mass (2011)

01 - The Vampire From Nazareth
02 - A Great Mass of Death
03 - Pyramid God
04 - Five-Pointed Star
05 - Oceans of Grey
06 - The Undead Keep Dreaming
07 - Rising
08 - Apocalypse
09 - Mad Architect
10 - Therianthropy

Download

 The Great Symphonic Mass (2011)

01 - The Vampire From Nazareth
02 - A Great Mass of Death
03 - Mad Architect
04 - Pyramid God
05 - Oceans of Grey
06 - The Undead Keep Dreaming
07 - Apocalypse
08 - Five-Pointed Star
09 - Persepolis

Download

 Titan (2014)

CD 1 (Limited Edition):
01 - War In Heaven
02 - Burn
03 - Order of Dracul
04 - Prototype
05 - Dogma
06 - Prometheus
07 - Titan
08 - Confessions of A Serial Killer
09 - Ground Zero
10 - The First Immortal
11 - Dogma of Prometheus (Orchestral) (Bonus Track)
12 - A Prototype In Heaven (Orchestral) (Bonus Track)
13 - The First Immortal (Orchestral) (Bonus Track)
14 - Order of A Serial Killer (Orchestral) (Bonus Track)
15 - The Burning (Orchestral) (Bonus Track)

Download

CD 2: Live In Toulouse:
01 - The Vampire From Nazareth
02 - We, The Gods
03 - Pyramid God
04 - A Great Mass of Death
05 - Anubis
06 - Persepolis
07 - Five-Pointed Star

Download

Um comentário: