Social Icons

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Blink-182 - Discografia Comentada

Essa é mais uma daquelas postagens que eu sei que pode causar alguma polêmica, então adianto de antemão, tanto sobre ela própria, quanto a qualquer coisa que eu disser no texto: se não gosta, só acionar a barra de rolagem e procurar por algo que o agrade. Não precisa fazer nada além disso. É mais saudável, até pra nós colaboradores, deixar os possíveis comentários pra quem curte a banda ou o nosso trabalho camarada.
Pois é. Blink-182. Mais uma postagem daquelas que sei que muitos nunca pensaram que um dia aparecesse aqui. "Ah, banda emo!", "ah, a banda não é Punk!", "ah, troço escroto!". Hahaha... Sei que é bem assim porque eu fui um desses. Claro, na idade da negação: quando era adolescente.
O lado positivo de você ter alguém na família com um gosto diferente do seu, que ouve bandas diferentes, é que se você for cabeça aberta, com o tempo, nota os pontos positivos das coisas. Eu odiava! Falava muita merda mesmo, odiava meu irmão ouvindo isso. Mas acabou que eu cresci, e percebi que a banda é boa pra caralho, assim como diversas outras que ele ouve (e diversas outras eu permaneço odiando também). Passei da fase de classificar isso ou aquilo como audível ou não, eliminei os estereótipos e passei a apreciar o que realmente importa em qualquer banda, ou qualquer trabalho musical: a sonoridade, que bem trabalhado ou não, com inspirações bonitas ou não, tem que passar pelo meu primeiro critério, que é o meu gosto. Se eu gostar, beleza, não importa o gênero musical, literalmente. É o caso do Blink-182, mas que, querendo ou não, ou o povo visitante gostando ou não, faz Rock, por isso está aqui.
A banda foi fundada em 1992 em San Diego, na Califórnia, sob o nome "Blink", mas que foi modificado para Blink-182 após o lançamento do primeiro disco, por terem recebido a informação de que existe uma banda de mesmo nome na Irlanda. Há ainda um mistério que envolve os números. A banda afirma que são aleatórios, mas há quem diga que veio do filme "Scarface", onde Al Pacino fala "fuck" 182 vezes. Besteiras à parte, sua proposta musical era fazer Punk Rock, coisa que chegam a fazer de modo mais cru em seu primeiro disco, mas que depois passa a ficar Pop. Exatamente por isso a sonoridade Punk deles é bem diferente. Sim, Punk. Já vi muita aversão sobre o termo referente a eles, mas... querendo ou não, é o rótulo pro estilo das músicas, falando de anarquia ou não, ou do ideal que for. É mais ou menos o mesmo que falar que Black Metal não é Black Metal se não falar de satanismo ou mitologia nórdica, mesmo que faça exatamente a mesma sonoridade típica do Black Metal, mas falando sobre vacas pastando.
O Blink-182 é uma banda formada pra zoar, tanto que até nos DVDs dá pra notar comportamentos bastante infantis dos integrantes. Mas algumas músicas têm letras interessantes, com ideais até "humanitários", bem altruístas, como "Stay Together For The Kids", pondo-se no lugar de uma criança que vê seus pais brigando. Mas as demais zoações não atrapalham na sonoridade foda desses caras.
No princípio, a formação contava com o vocalista e guitarrista Tom DeLonge, o baixista e também vocalista Mark Hoppus e o baterista Scott Raynor. Seu diferencial inicial foi de cara a já mencionada zoação, o humor, algo que não é almejado pelas bandas Punk. Mas com o impulso desse diferencial e a aceitação local, em 1993 saiu a demo "Flyswatter", gravada independentemente, com equipamentos rústicos, assim como a "Demo #2", lançada um pouco depois. Entretanto, elas rendem um contrato com a Filter Records, possibilitando uma gravação de melhor qualidade na sua próxima demo, intitulada "Buddha" e lançada no fim daquele ano.
O debut do trio, "Cheshire Cat", foi lançado no ano seguinte via Grilled Cheese Records, composto basicamente de regravações de músicas já contidas nas demos. Mas, claro, um ótimo álbum, mas que vejo mais com uma sonoridade mais crua, mais fiel ao Punk, longe dos holofotes do Pop. O início de fato do abraço no Pop eu vejo a partir do lançamento de "Dude Ranch", em 1997, mais um disco bom demais, que tem como destaques as próprias singles que engrenaram a banda, "Josie" e "Dammit". Aqui, o estilo próprio do Blink começou a ser moldado de verdade. Como seu jeito de fazer música deu a eles identidade. Mas há de se admitir que eles pegaram carona no fato de que o Punk estava dando uma estourada nos anos 90 com bandas como Green Day e The Offspring. Mas isso não é algo ruim!
O ano de 1998 marca a única alteração no line-up do trio até hoje, com a troca de bateristas. Scott consumia álcool exageradamente, além de ter atitudes estranhas às vezes, atrapalhando os planos da banda. Uma dessas atitudes estranhas foi ele ter simplesmente desaparecido antes de um show. O Blink precisou de um novo baterista pra tocar pelo menos um show com eles. Em 30 minutos, Travis Barker, que tocava na banda The Aquabats, banda na qual estava em turnê ao lado deles, aprendeu a tocar todo o repertório, demonstrando habilidade e facilidade. Não demorou pra perceberem que ele era perfeito pro posto. Foi aí que o Blink o oficializou como novo baterista, chutando Scott pra fora.
Com Travis firme e forte com os caras, o trio lança em 1999 o fodástico "Enema of The State", álbum que decolou a banda de vez no cenário internacional graças a hits como "What's My Age Again?", "All The Small Things" e "Adam's Song", fora outras grandes músicas que são menos famosas, como "Dumpweed", "The Party Song" e "Anthem". Esse álbum também marca o início do estereótipo com seu estilo, pois com as aparições na MTV e o fato de relacionarem sua sonoridade à boybands de Rock, principalmente por causa das letras, os demais bangers começaram a fazer sua credibilidade cair. Infelizmente, um desvio de rota causado pela mídia, mas que ao meu ver, não altera em nada a qualidade dos caras.
O único disco ao vivo do Blink foi lançado em 2000 sob o nome "The Mark, Tom and Travis Show (The Enema Strikes Back!)", apresentando um repertório basicamente de canções de seu último álbum lançado até então. Performance muito boa, álbum bem legal de se ouvir.
O meu disco preferido deles vem logo no ano seguinte, intitulado "Take Off Your Pants and Jacket". Aqui, a sonoridade que segue bem de perto seu antecessor é ainda mais desenvolvida, o que pode ser encarado como amadurecimento. Canções como "Anthem Part Two", "First Date", "Story of A Lonely Guy", "Stay Together For The Kids", e "Roller Coaster" são belos exemplos de um grande álbum. Mas claro que pra comunidade roqueira em geral, não foi, e ele causou um declínio ainda maior em sua popularidade entre esse povo. Mas pro povo mundial em geral, os caras continuaram em alta. Bons motivos para seu declínio no underground foram seus prêmios conquistados, como a capa da revista CosmoGirl e o troféu Nickeloadeon's Kids Choice Award. Nessa época, talvez pela atmosfera pesada que envolvia a reputação da banda, o baterista Travis Barker iniciou alguns projetos paralelos, como o projeto Rap chamado Transplants, e o vocalista e guitarrista Tom DeLonge chamou o baterista para começar o Box Car Racer, que é excelente, mas que é dito que se trata apenas de uma banda de testes.
Contudo, o Blink-182 continuava rodando. Em 2003 saiu o badalado autointitulado, contendo pérolas como "Down", "Always", "Feeling This" e principalmente "I Miss You", cujo videoclipe estourou na época que conheci a banda, principalmente por causa da MTV. "I Miss You" é uma música comercial de um álbum que tem naturalmente uma cadenciada para o romântico, mas que considero um tanto superestimada. Ela é foda, mas dezenas de outras músicas dos caras são melhores que essa, e tem gente que se diz fã só por conhecê-la, ou os que não gostam, julgam a banda só com base nela. Um excelente álbum, marcado pela seriedade em sua sonoridade e em suas letras, coisa que não se vê nos trabalhos anteriores, e também pelo fato de ser o último antes do encerramento de suas atividades.
Pois é, um extenso hiato se iniciou no início de 2005, pois a banda tinha acabado devido às constantes brigas entre Tom DeLonge e Mark Hoppus. Durante esse tempo, muita acusação rolou em ambos os lados pelas entrevistas, principalmente por conta de Mark, que sempre explicava que o Tom não falava mais com eles, só por meio de empresários, ou quando se encontrava com eles nos ensaios, fazia seu trabalho e ficava de cabeça baixa em um canto. Isso e uma série de outras coisas levaram a banda ao fim. Apenas uma compilação foi lançada após o fim da banda nessa época.
Com o fim do Blink-182, os integrantes seguiram investindo em outros projetos. Mark Hoppus e Travis Barker formaram o fodástico +44, que teve seu álbum lançado em 2006, intitulado "When Your Heart Stops Beating", cuja faixa-título é um grande destaque. Por outro lado, Tom DeLonge formou o maravilhoso Angels & Airwaves, que segue vivo até hoje e que eu gosto demais! Quem o conhece no Blink até estranha sua musicalidade e comportamento vocal no AVA (como o Angels & Airwaves também é conhecido), pois ao contrário do Blink, é uma banda com letras sérias e galáticas, com músicas mais longas e sonoridade viajante, daquelas que você deita e relaxa com a canção que transpira uma atmosfera estelar! O álbum que mais gosto, que é justamente o primeiro, também foi lançado em 2006, nomeado "We Don't Need To Whisper".
Somente no início de 2009 é que durante uma cerimônia do Grammy Awards, Tom DeLonge, Mark Hoppus e Travis Barker apareceram juntos e anunciaram o retorno das atividades do Blink-182. O resultado do retorno foi o ótimo álbum "Neighborhoods", lançado em 2011. Ele é bastante peculiar, diferente de tudo que a banda já fez, e atinge com precisão seu objetivo: misturar tudo o que já foi feito pelos integrantes tanto no Blink quanto em seus projetos paralelos. É um álbum sério e com uma atmosfera mais fechada. Hora é uma pegada mais AVA, outra hora é uma pegada Punk típica do Blink, mas com mais firmeza e seriedade, hora algum traço Pop... mas uma mistura feita com seriedade, e sem dúvidas, um álbum para espantar qualquer estereótipo.
O trabalho mais recente é o EP "Dogs Eat Dogs", que segue o mesmo compasso de seu antecessor.
Então aí está uma banda que, para mim, é boa demais! Acho que nem tenho muito o que falar em defesa dos caras, pois falo bastante no princípio da postagem. Só acho necessário frisar mesmo que se você é um dos que não gostou da postagem, basta ignorar e procurar baixar algo que goste mesmo. Não é a primeira postagem "polêmica" minha, e dificilmente vai ser a última, e todas as "polêmicas" anteriores tiveram uma repercussão interessante, o que mostra que temos bastante visitantes interessados e com gosto aberto, livre de estereótipos, pelo menos um pouco. Claro que isso não quer dizer que uma pessoa não pode não gostar de uma banda. Claro que pode! Mas as opiniões negativas têm que vir depois de uma ouvida legal. Mas tenho certeza que você que não gosta de Blink curtiria pelo menos o Angels & Airwaves, pois é bem diferente do Blink, e a proposta inicial da banda era elevar-se ao status do U2. Ambicioso, não? Mas é uma banda muito foda, vale a tentativa. Quanto ao próprio Blink, quem gosta... tá aí!


 Flyswatter (Demo) (1993)

01 - Reebok Commercial
02 - Time
03 - Red Skies
04 - Alone
05 - Point of View
06 - Marlboro Man
07 - The Longest Line
08 - Freak Scene

 Demo #2 (Demo) (1993)

01 - Malboro Man
02 - Time
03 - T.V.
04 - Degenerate
05 - Untitled #1
06 - Better Days
07 - Sometimes
08 - Point of View
09 - Romeo and Rabecca
10 - My Pet Sally
11 - Reebok Commerial
12 - Untitled #2

 Buddha (Demo) (1993)

01 - Carousel
02 - T.V.
03 - Strings
04 - Fentoozler
05 - Time
06 - Romeo and Rebecca
07 - 21 Days
08 - Sometimes
09 - Point of View
10 - My Pet Sally
11 - Reebok Commercial
12 - Toasts and Bananas
13 -  The Girl Next Door
14 - Don't

Ouvir (Spotify)

 Short Bus (7 Inch) (Split) (1994)

01 - Blink-182: Does My Breath Smell
02 - Blink-182: Wasting Time
03 - Iconoclasts: My Nature
04 - Iconoclasts: Dysphoria
05 - Iconoclasts: For Good Measure

 Cheshire Cat (1994)

01 - Carousel
02 - M +M's
03 - Fentoozler
04 - Touchdown Boy
05 - Strings
06 - Peggy Sue
07 - Sometimes
08 - Does My Breath Smell?
09 - Cacophony
10 - TV
11 - Toast and Bananas
12 - Wasting Time
13 - Romeo and Rebecca
14 - Ben Wah Balls
15 - Just About Done
16 - Depends

Ouvir (Spotify)

 They Came To Conquer... Uranus (EP) (1995)

01 - Wrecked Him
02 - Waggy
03 - Zulu

 Lemmings/Going Nowhere (Split) (1996)

01 - Blink-182: Lemmings
02 - Swindle: Going Nowhere
03 - Swindle: One Track

 Dude Ranch (1997)

01 - Pathetic
02 - Voyeur
03 - Dammit
04 - Boring
05 - Dick Lips
06 - Waggy
07 - Enthused
08 - Untitled
09 - Apple Shampoo
10 - Emo
11 - Josie
12 - A New Hope
13 - Degenerate
14 - Lemmings
15 - I'm Sorry

Ouvir (Spotify)

 Enema of The State (1999)

01 - Dumpweed
02 - Don't Leave Me
03 - Aliens Exist
04 - Going Away To College
05 - What's My Age Again?
06 - Dysentery Gary
07 - Adam's Song
08 - All The Small Things
09 - The Party Song
10 - Mutt
11 - Wendy Clear
12 - Anthem

Ouvir (Spotify)

 The Mark, Tom and Travis Show (The Enema Strikes Back!) (Live) (2000)

01 - Dumpweed
02 - Don't Leave Me
03 - Aliens Exist
04 - Family Reunion
05 - Going Away To College
06 - What's My Age Again?
07 - Rich Lips
08 - Blew Job
09 - Untitled
10 - Voyeur
11 - Pathetic
12 - Adam's Song
13 - Peggy Sue
14 - Wendy Clear
15 - Carousel
16 - All The Small Things
17 - Mutt
18 - The Country Song
19 - Dammit
20 - Man Overboard (Album Version)

 Take Off Your Pants and Jacket (2001)

01 - Anthem Part Two
02 - Online Songs
03 - First Date
04 - Happy Holidays, You Bastard
05 - Story of A Lonely Guy
06 - The Rock Show
07 - Stay Together For The Kids
08 - Roller Coaster
09 - Reckless Abandon
10 - Everytime I Look For You
11 - Give Me One Good Reason
12 - Shut Up
13 - Please Take Me Home
14 - Time To Break Up (Bonus Track)
15 - Mother's Day (Bonus Track)

Ouvir (Spotify)

 Blink-182 (2003)

01 - Feeling This
02 - Obvious
03 - I Miss You
04 - Violence
05 - Stockholm Syndrome
06 - Down
07 - The Fallen Interlude
08 - Go
09 - Asthenia
10 - Always
11 - Easy Target
12 - All of This
13 - Here's Your Letter
14 - I'm Lost Without You

Ouvir (Spotify)

 Greatest Hits (Compilation) (2005)

01 - Carousel
02 - Mandms
03 - Dammit
04 - Josie
05 - What's My Age Again?
06 - All The Small Things
07 - Adam's Song
08 - Man Overboard (Live)
09 - Rock Show
10 - First Date
11 - Stay Together For The Kids
12 - Feelin' This
13 - I Miss You
14 - Down
15 - Always
16 - Not Now
17 - Another Girl, Another Planet

Ouvir (Spotify)

 Neighborhoods (2011)

01 - Ghost On The Dance Floor
02 - Natives
03 - Up All Night
04 - After Midnight
05 - Snake Charmer
06 - Heart's All Gone Interlude
07 - Heart's All Gone
08 - Wishing Well
09 - Kaleidoscope
10 - This Is Home
11 - MH 4.18.2011
12 - Love Is Dangerous
13 - Fighting The Gravity
14 - Even If She Falls

Ouvir (Spotify)

 Dogs Eating Dogs (EP) (2012)

01 - When I Was Young
02 - Dogs Eating Dogs
03 - Disaster
04 - Boxing Day
05 - Pretty Little Girl (feat. Yelawolf)

Ouvir (Spotify)

 Icon (Compilation) (2013)

01 - All The Small Things
02 - Josie
03 - Feeling This
04 - Adam's Song
05 - Dammit
06 - What's My Age Again?
07 - Rock Show
08 - Down
09 - First Date
10 - Stay Together For The Kids
11 - I Miss You

 California (2016)

01 - Cynical
02 - Bored To Death
03 - She's Out of Her Mind
04 - Los Angeles
05 - Sober
06 - Built This Pool
07 - No Future
08 - Home Is Such A Lonely Place
09 - Kings of The Weekend
10 - Teenage Satellites
11 - Left Alone
12 - Rabbit Hole
13 - San Diego
14 - The Only Thing That Matters
15 - California
16 - Bohemian Rhapsody

Ouvir (Spotify)

Nenhum comentário:

Postar um comentário