Social Icons

sábado, 23 de junho de 2012

Luca Turilli's Rhapsody - Discografia Comentada

"Nascido para soar cinemático": essa frase traduz com precisão a proposta do guitarrista e compositor Luca Turilli ao criar a atmosfera e a temática do debut do novo Rhapsody.
Extremamente conhecido no cenário do Metal por ter sido o cabeça do bem sucedido Rhapsody of Fire, Luca Turilli nos trás mais um magnífico álbum a partir de sua mais nova banda, que também leva o nome de Rhapsody. Se um Rhapsody já era bom, dois Rhapsody's é melhor ainda, não é verdade?
Muito sucesso, o rei do estilo, composições magníficas tanto líricas quanto musicais, solos rápidos, letras fantasiosas, orquestras, duas sagas concluídas, 10 álbuns lançados: Essas são apenas algumas palavras que definem o Luca Turilli no Rhapsody of Fire. Seu legado teve fim quando, pouco após o lançamento de "From Chaos To Eternity", em 2011, o guitarrista decide deixar a banda. Não foi uma decisão de cinco minutos, não foi loucura, nem nada disso. É muito difícil ver uma banda com formação tão fixa, e mais difícil ainda conseguir alcançar o status e lançar a quantidade de trabalhos que lançaram sem mudanças nos principais pilares do line-up, que são justamente ele, o tecladista Alex Staropoli e o vocalista Fabio Lione. A conclusão da última saga trouxe alívio ao Turilli, e a sensação de dever cumprido.
Sua vontade de fazer algo diferente já era retratada em dois projetos solo paralelos: Luca Turilli e Luca Turilli's Dreamquest. Pegando influências do que faz no Rhapsody, Turilli seguiu compondo fantasia de modo livre em seus projetos. Agora ele quis mais. Não quis usar o nome da carreira solo. Ele quis criar uma nova banda, limpa, sem histórico, e fazer um trabalho totalmente livre e idealizado em suas próprias inspirações e influências.
Sua saída do Rhapsody of Fire foi pacífica. Luca Turilli e Alex Staropoli são amigos desde a adolescência, sempre estiveram juntos, e são os fundadores da banda. Portanto, ambos têm direito do nome. Com a saída pacífica, tudo ficou muito mais fácil. Não foi arrogância do Turilli pegar o nome da banda e pôr o seu nome antes, mas foi uma estratégia própria de amor a ele. Por ter direitos, utilizou-o para criar uma síntese íntima entre as duas bandas, e pôs o seu nome antes apenas para mostrar que ele fez parte daquele grande trabalho, de modo bastante humilde, sem prepotências como "eu que fiz a bagaça".
O ano de 2011, portanto, é o ano de criação do novo e poderoso Rhapsody! Sim, o nome da banda é apenas Rhapsody, pois o prefixo não é levado em consideração, assim como Avantasia não é "Tobias Sammet's Avantasia", ou Soulspell não é "Heleno's Vale Soulspell", e assim por diante. Porém, acostumou-se a se referir à banda como "Luca Turilli's Rhapsody", para ficar mais fácil a assimilação entre os dois Rhapsodys. Se falar apenas "Rhapsody", tem que ficar justificando qual.
Luca Turilli é um grande fã do cinema, e essa foi sua inspiração. Sua intenção foi fazer um álbum que soasse cinemático, que fosse escolhido como o trailer de um filme, e, liricamente, quis distância de temas fantasiosos, optando, dessa vez, pela ficção científica, misturada com concepções pessoais e mensagens subliminares, mensagens espirituais. Sua total liberdade de composição o fez colocar todos os elementos que o agradam, principalmente, orquestra.
O line-up é composto por Alessandro Conti no vocal, Luca Turilli na guitarra solo e teclados, Dominique Leurquin na guitarra rítmica, Patrice Guers no baixo e Alex Ladenburg nas baquetas. Não tinha formação melhor para compor o elenco, com destaque para o vocalista.
Toda essa mistura de elementos e excelentes músicos resultou no lançamento do álbum "Ascending To Infinity", lançado em junho de 2012. O nome, por si só, já tem uma mensagem espiritual, com a ascensão do espírito ao divino. Suas propostas e inspirações foram perfeitamente retratadas nesse grande álbum, que é bombástico! Sua intro, "Quantum X", já demonstra bem isso, perfeita para um trailer, com sons cinematográficos, narrativa, explosivo! Ao longo do álbum, diferentes atmosferas, composições, ritmos e tons são notados, sendo inevitável perceber o quão foda o vocalista Alessandro Conti é. É versátil, tem vocal lírico, até se assemelha mais ou menos com o Fabio Lione, e, principalmente, tem tom alto e agudo quando exigido. A faixa "Excalibur" é perfeita para demonstrar seu domínio vocal, elevando de modo manso e suave sua voz do tom normal a um agudo suave, assim como "Luna" demonstra seu "vocal-ópera", em uma música sensacional e belíssima. Coisa que não poderia ficar de fora, é o contexto "Rhapsodyano" de suas músicas, o que engloba, principalmente, o uso de coros, que caíram de modo perfeito com o vocal de Alessandro, que se destaca em seu meio com notas realmente agudas. Todos conhecemos "Dark Fate of Atlantis", que mostra bem isso. "Clash of The Titans" segue linha parecida, mas também mais próxima dos filmes, com sirenes de polícia em sua entrada. Aqui ele também demonstra capacidade vocal agressiva, mais para o fim da canção. Mas é claro que Turilli não se esqueceu que o encerramento de qualquer álbum de sua autoria exige uma faixa longa e sensacional. Isso acontece também neste álbum, com a poderosa "Of Michael The Archangel and Lucifer's Fall", de 16 empolgantes minutos de duração.
A edição limitada do álbum nos trás "March of Time", cover do Helloween. Novamente, Luca Turilli nos apresenta uma versão muito foda de alguma música deles. Digo isso porque no EP "Demonheart", de 2002, de sua carreira solo, tem a versão cover de "I'm Alive", que ficou realmente sinistra. "March of Time" também veio caprichadíssima, e não preciso nem falar do vocal do Alessandro, não é verdade?
Mais um trabalho magnífico de autoria do Luca Turilli. Mais um álbum bombástico, prazeroso e viciante. Como eu já havia dito, se ter um Rhapsody já é bom, dois é melhor ainda!


 Ascending To Infinity (2012)

01 - Quantum X
02 - Ascending To Infinity
03 - Dante's Inferno
04 - Excalibur
05 - Tormento e Passione
06 - Dark Fate of Atlantis
07 - Luna
08 - Clash of The Titans
09 - Of Michael The Archangel and Lucifer's Fall
10 - March of Time (Helloween Cover) (Bonus Track)

Download

 Prometheus: Symphonia Ignis Divinus (2015)

01 - Nova Genesis (Ad Splendorem Angeli Triumphantis)
02 - Il Cigno Nero
03 - Rosenkreuz (The Rose and The Cross)
04 - Anahata
05 - Il Tempo Degli Dei
06 - One Ring To Rule Them All
07 - Notturno
08 - Prometheus
09 - King Solomon and The 72 Names of God
10 - Yggdrasil
11 - Of Michael The Archangel and Lucifer's Fall Part II: Codex Nemesis
12 - Thundersteel (Riot Cover) (Cinematic Version) (Bonus Track)

Download (Ulozto)
Download (Zippyshare)

2 comentários:

  1. muito boa a matéria, gostei muito.
    mas não consigo baixar o álbum usando o 4shared, ele sempre nos manda baixar um arquivo que não tem nada a ver!
    mas o seu site é ótimo !

    ResponderExcluir
  2. Perfeito! Sou fan do rhapsody desde 2001 realmente os últimos álbuns não deixa a desejar! Tô gostando do blog, o warrior of the metal está sendo o melhor blog de meta, parabéns! O que eu faço pra colaborar com o blog?

    ResponderExcluir