Social Icons

sábado, 21 de agosto de 2010

ReVamp - Discografia Comentada

Em 2009 fomos surpreendidos pela triste notícia do fim do After Forever. É claro que muitos dos músicos continuaram na ativa, cada um seguindo seu próprio caminho. Floor Jansen decidiu criar uma nova banda, derrubando os que apostavam que a mesma seguiria carreira solo. Assim surgiu o ReVamp, que só pra deixar bem claro, não tem nada haver com vampiros! Felizmente a Floor não foi contagiada por essa maldita praga! ReVamp, juntou as palavras "renovar" e "mulher" ("Vamp" significa mulher forte, decidida, que vai atrás do que quer).
Para sua nova banda, Floor teve a colaboração dos compositores Waldemar Sorychta (Grip Inc, Enemy of The Sun) e Joost van den Broek, compositor e colega do After Forever.
Para lhe dar força neste recomeço, a vocalista teve o apoio seleto de diversos músicos importantes e postou no Youtube dois videos de apoio, o primeiro com Simone Simons (Epica), Liv Kristine (ex-Theatre of Tragedy, Leaves' Eyes), Doro Pesch (Warlock, Doro), Tarja Turunen (ex-Nightwish) e o segundo com Charlotte Wessels (Delain), Marco Hietala (Nightwish, Tarot) e Anneke van Giersbergen (ex-The Gathering, Agua de Anique).
Com as forças recuperadas e o auxílio de compositores talentosos ao seu lado, Floor deu início as gravações do primeiro disco, auto-intitulado ReVamp, com o seguinte line-up: Matthias Landes (Dark Fortress) na bateria, Jaap Melman (Dreadlock Pussy, Pendejo) no baixo, Jord Otto na guitarra, Arjan Rijnen (Pendejo) na guitarra e Ruben Wijga (Insomnia) nos teclados. O álbum ainda contém a participação de Björn 'Speed' Strid (Soilwork) na faixa "Disdain", George Oosthoek (ex-Orphanage) na faixa "Here Is My Hell" e Russell Allen (Symphony X) na faixa "Sweet Curse".
E num é que a banda fez um trabalho muito decente? Em primeiro lugar cumpre esclarecer que não adianta querer comparar o ReVamp com o After Forever, pois as bandas são bem diferentes! A mudança é nítida até no vocal de Floor Jansen que está mais agressivo, mostrando toda a versalidade da vocalista.
Linha similar seguiu o álbum seguinte, "Wild Card", que veio em 2013. Os moldes são os mesmos, sem novidades, mas também é um trabalho decente e muito bom de se ouvir. Sua sonoridade é um pouco menos sinfônica em relação ao antecessor, mas a pegada firme continua, os guturais seguem sendo muito utilizados e Floor demonstra estar afiada como sempre.
O som do ReVamp é um Symphonic Metal, porém bem mais pesado. O disco não chega a ser uma obra-prima, mas é muito bom. Talvez os vocais mais líricos de Floor façam falta, mas é preciso entender que essa foi uma forma de tentar desvincular o ReVamp de tudo que Floor tinha feito anteriormente. Resta agora aguardar qual será a postura adotada nos próximos álbuns.


 ReVamp (2010)

01 - Here's My Hell
02 - Head Up High
03 - Sweet Curse
04 - Million
05 - In Sickness 'Till Death Do Us Part: All Goodbyes Are Said
06 - Break
07 - In Sickness 'Till Death Do Us Part: Disdain
08 - In Sickness 'Till Death Do Us Part: Disgraced
09 - Fast Forward
10 - Kill Me With Silence
11 - The Trial of Monsters
12 - Under My Skin
13 - I Lost Myself
14 - No Honey For The Damned (Bonus Track)

 Wild Card (2013)

01 - The Anatomy of A Nervous Breakdown': On The Sideline
02 - The Anatomy of A Nervous Breakdown': The Limbic System
03 - Wild Card
04 - Precibus
05 - Nothing
06 - The Anatomy of A Nervous Breakdown': Neurasthenia
07 - Distorted Lullabies
08 - Amendatory
09 - I Can Become
10 - Misery's No Crime
11 - Wolf and Dog
12 - Sins (Bonus Track)

Download

5 comentários:

  1. Caramba, eu estava procurando essa banda, olhei no blog e não tinha. Fui dar um rolê no mercado e quando volto, ha! ela está aki, vcs são demais!!!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Cara, Essa Banda É Muito Foda!!

    ResponderExcluir
  4. O link para download do Wild Card só dá como pagina não disponível

    ResponderExcluir