Social Icons

domingo, 26 de abril de 2009

HDK (Hate Death Kill) - Discografia Comentada


Mesmo antes do fim do After Forever, o guitarrista Sander Gommans, principal compositor da banda desde a saída de Mark Jansen, já vinha trabalhando em um projeto solo, o HDK, iniciais de Hate Death Kill. Após cerca de três anos do fim das gravações, o trabalho System Overload foi lançado, coincidentemente logo após o fim da banda principal de Sander. Neste projeto, que provavelmente após o fim do After Forever, vai se tornar uma banda, Sander apresenta uma sonoridade diferente e diversificada, definida pelo compositor como "No Boundary Metal", ou seja, Metal Sem Fronteiras, mas podemos rotular como Melodic Death/Gothic Metal, para termos uma melhor noção sobre que tipo de som se trata esse projeto. O guitarrista teve como grande parceira no desenvolvimento do projeto a vocalista Amanda Somerville (Avantasia, Aina, Epica, entre outros), que no começo surgiu apenas para auxiliar nos vocais e acabou se tornando uma peça fundamental em todo o álbum. Foi Amanda inclusive, que sugeriu Andre Matos (ex-Angra, Shaman e Viper) para os vocais de Request. Aliás, vale a pena ressaltar a participação de Andre, que canta de uma forma totalmente diferente do que estamos acostumados a presenciar, o timbre agressivo apresentado pelo músico é uma surpresa, o que faz muitos não reconhecerem a voz do músico! Outro nome importante no projeto é Arjen Anthony Lucassen (Ayreon, Ambeon, entre outros), tendo este inspirado Sander de forma significativa durante toda sua carreira. Além deste, outros grandes músicas marcam presença como o vocalista Patrick Savelkoul (Callenish Circle), o baterista Arien van Weesenbeek (Epica) e o tecladista Joost Van den Broek (ex-After Forever). Vale a pena baixar e conferir a novidade, pois Sander Gommans é um músico excelente e com o fim do After Forever, este projeto deve ser sua principal ocupação.


 System Overload (2009)

01 - System Overload
02 - Requests
03 - Let Go
04 - Terrorist
05 - Pedestal
06 - On Hold
07 - Breakdown
08 - March
09 - Perfect
10 - Fight Or Flight
11 - Fine Lines

Download

 Serenades of The Netherworld (2014)

01 - Revelation
02 - Electric Soul
03 - Mortal Zombie
04 - Serenade of The Netherworld
05 - Return From Tomorrow
06 - Let Life Be Done
07 - Eternal Journey
08 - Witness
09 - Book of Lies
10 - Omega

Download

domingo, 5 de abril de 2009

Almah - Discografia Comentada

O Angra voltou! E para comemorar o retorno da melhor banda brasileira de metal melódico, trago um dos seus "filhos". O Almah é um projeto solo solo de Edu Falaschi, fundado em 2006, ano do lançamento do álbum homônimo. Para o primeiro trabalho Edu, contou com os seguintes músicos na gravação do álbum: Emppu Vuorinen (guitarra, Nightwish), Casey Grillo (bateria, Kamelot) e Lauri Porra (baixo, Stratovarius). Além disso, auxiliaram nas gravações como convidados especiais: Eduardo Ardanuy (guitarra, Dr. Sin), Mike Stone (guitarra, Queensrÿche), Tito Falaschi (baixo, Symbols e Soulspell) e Fabio Lagura (teclado, Angra, Shaman, Hangar). Após algumas apresentações, como o Angra estava parado, Edu Falaschi resolveu levar o projeto adiante com músicos fixos na banda. Assim veio o Fragile Equality, um disco excelente, que com certeza foi um dos melhores de 2008. Este álbum contou com os guitarristas Marcelo Barbosa (Khalice) e Paulo Schroeber, o baixista Felipe Andreoli (Angra), o baterista Marcelo Moreira (Burning In Hell) e o tecladista Fábio Laguna.
Após o lançamento, enquanto o Angra passava por problemas empresariais novamente, Edu seguia firme e forte com o Almah, promovendo a banda, fazendo shows, crescendo. Porém, nos bastidores, ia começando uma briga interna entre Edu Falaschi e Felipe Andreoli. Mas juntos, por profissionalismo, seguiram em frente, e inclusive, lançaram o álbum "Aqua" com o Angra, em 2010. Ainda sob esse clima pesado, o álbum "Motion", com o Almah, lançado em 2011, foi lançado, trazendo-nos um Almah bem diferente do que estamos acostumados. Ele é mais agressivo, com tons de canto mais graves, demonstrando que esse é o estilo verdadeiro do timbre do Edu. Ele já vinha tendo problemas para cantar as músicas do Angra, que são em alto tom, e isso ferrou bastante a voz dele.
Edu dizia que cantar no Angra era fácil quando entrou. Era jovem e estava empolgado. Mas com o tempo, cantar músicas fora de seu timbre começou a ferrar sua voz, além da descoberta de que ele tem refluxo. Ele ficou um tempo sem cantar, seguindo uma dieta rigorosa, para recuperar a saúde das cordas vocais. Isso, somado às brigas com Felipe Andreoli, culminaram na saída de Edu do Angra, e na saída de Andreoli do Almah. Foi uma escolha feita sob muito pensamento, com muita calma, para não fazer nada de errado. Esse pensamento já vinha atordoando Edu havia muito tempo, até que se concretizou.
Portanto, Edu é apenas vocalista do Almah, e segue integralmente com a banda, enquanto Andreoli ficou com o Angra. A banda ainda segue sem substituto. Tito Falaschi (Symbols), irmão do Edu, é um dos nomes cotados, mas segundo o próprio Edu, isso não é possível, pois ele é muito ocupado com outras coisas.
Felizmente, a banda seguiu, mas com algumas alterações na formação nos tempos que se sucederam. O guitarrista Paulo Schroeber, cedendo vaga para Gustavo di Pádua. Raphael Dafras ocupou o posto deixado por Felipe Andreoli. Dessa forma, a banda seguiu, e no início de 2013, entraram no DO IT! STUDIO para dar início à produção do quarto álbum de estúdio do Almah. Esse estúdio é de Edu e Tito, e era recém-inaugurado.
Ainda antes do álbum "Unfold" sair oficialmente, o Almah se apresentou no palco Sunset da edição de 2013 do maior festival musical do mundo, o Rock In Rio, dividindo o palco com o Hibria. O show foi muito bom, apesar de, como sempre, a voz do Edu dividir opiniões desde que passou a apresentar problemas. Talvez tenha se tornado moda falar coisas negativas do Edu, o que não é muito legal, apesar de, certamente, algumas vezes ter falhado sim.
Em novembro, finalmente, o novo álbum foi lançado, apresentando uma postura que, por sinal, une o peso de "Motion" e certo melodismo de "Fragile Equality". O feedback do público foi positivo, bem como o da mídia especializada. Inclusive, foi líder de vendas da Die Hard por semanas!

|    Official Website    |    Facebook Page    |
|    Twitter    |    YouTube Channel    |


 Almah (2006)

01 - King
02 - Take Back Your Spell
03 - Forgotten Land
04 - Scary Zone
05 - Children of Lies
06 - Break All The Welds
07 - Golden Empire
08 - Primitive Chaos
09 - Breathe
10 - Box of Illusion
11 - Almah
12 - The Sign of Glory (Bonus Track)
13 - Supermind (Bonus Track)

Ouvir (Spotify)

 Fragile Equality (2008)

01 - Birds of Prey
02 - Beyond Tomorrow
03 - Magic Flame
04 - All I Am
05 - You'll Understand
06 - Invisible Cage
07 - Fragile Equality
08 - Torn
09 - Shade of My Soul
10 - Meaningless World

Ouvir (Spotify)

 You Take My Hand (Demo) (2008)

01 - Magic Flame (Demo Version)
02 - You Take My Hand (Demo Version)
03 - Meaningless World (Demo Version)

 Motion (2011)

01 - Hypnotized
04 - Bullets On The Altar
05 - Zombies Dictator
07 - Soul Alight
09 - Daydream Lucidity

Ouvir (Spotify)

 Unfold (2013)

01 - In My Sleep
02 - Beware The Stroke
03 - The Hostage
04 - Warm Wind
05 - Raise The Sun
06 - Cannibals In Suits
07 - Wings of Revolution
08 - Believer
09 - I Do
10 - You Gotta Stand
11 - Treasure of The Gods
12 - Farewell

Ouvir (Spotify)

 Within The Last Eleven Lines (Compilation) (2015)

01 - Wings of Revolution
02 - Days of The New
03 - Beyond Tomorrow
04 - Breathe
05 - Believer
06 - Living and Drifting
07 - Torn
08 - King
09 - Warm Wind
10 - Trace of Trait
11 - Birds of Prey
12 - Pegazus Fantasy (Acoustic) (Bonus Track)
13 - The Sign of Glory (Bonus Track)
14 - Supermind (Bonus Track)
15 - Moonlight Serenade (Acoustic) (Bonus Track)

Ouvir (Spotify)